O primeiro navio-aeródromo da Marinha chinesa, o Liaoning, foi oficialmente comissionado no último dia 25, em meio a tensões com o Japão e Taiwan acerca da posse das ilhas Senkaku/Dayou, recentemente adquirdas pelo governo japonês.

A demonstração de força representada pela nova embarcação preocupa tanto os países vizinhos à China quanto a comunidade internacional.

“O comissionamento do Liaoning  é um pequeno passo no programa  de porta-aviões da Marinha chinesa. Ainda há um longo caminho a percorrer até termos uma força naval poderosa”, declarou o comandante do navio, contra-almirante Zhang Zheng à agência Xinhua.

Com a entrega do navio, a China é o décimo país, e último dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, a ter um navio-aeródromo integrando suas forças navais.

FONTE: Agência Xinhua, Terra Notícias e BBC Brasil

 

 

1 Comment

 

  1. 26/09/2012  22:21 by André Responder

    É justamente uma jogada política Aparecido, porque o status chinês na política mundial, por si só, não se sustenta se ele não impõe respeito, inclusive ao Japão - ainda mais tendo roubado o segundo lugar deles. Se bem que um navio dessa idade não é respeitável. Na verdade demorou para a China ter um navio dessa categoria, tanto que o Brasil ja tem o segundo em nossa armada (até que enfim o Brasil superou um país importante em alguma coisa, apesar de ja termos sido a segunda marinha mais poderosa do mundo - lembrei agora do CIGS, maior centro de instrução em guerra na selva). A própria India está providenciando o dele.

    Um comentarista do Terra disse que porta-aviões são máquinas ultrapassadas, para fins expansionistas e vulneráveis por serem grandes. São tão ultrapassados que os EUA ja estão na terceira geração de aeródromos NUCLEARES! O Brasil não é expansionista, mas tem porta-avião. E quem é doido de atacar um porta-avião com poderosas escoltas feitos justamente para esse fim - isso sem falar do próprio poderio aéreo da embarcação? É cada uma que se lê. Outra razão para a importância desse tipo de navio é justamente o alcance que eles concedem ao avião, ou seja, a exploração da chamada terceira dimensão como recurso militar estratégico. Um avião teria alcance limitado baseado em terra, mas tendo uma base móvel ele terá mais condições operacionais.

    O contra-almirante Zhang Zheng esta sendo muito modesto quando diz que tem um longo caminho para terem uma força naval poderosa”, o que nos dá uma idéia do quanto o Brasil regrediu em termos militares. Ele está sendo modesto porque seu país possue SSBNs! Só nesse aspécto ja merecem todo respeito do mundo - literalmente! Não é qualquer país que pode ter esse tipo de submarino! Como um país pode ter pouca influência política e principalmente militar se em seu arsenal conta com uma poderosa e temível arma como essa? E nem falei do exército e força aérea.

    Todos tem o direito de defender seus interesses estratégicos, e esta é uma forma até antiga de demonstrar força. É regra de sobrevivência não só nos dias atuais, e até animais se veem obrigados a usar essa atitude como extinto de sobrevivência: Ser forte para não ser alvo fácil.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.