Porta aviões Tipo 001A - Foto AFP

A China tenciona criar uma frota poderosa capaz de operar nas vastidões dos oceanos para garantir a sua segurança. No entanto, presentemente a Marinha chinesa só possui o porta-aviões Liaoning, que foi construído na base do navio soviético Varyag.

Em abril passado a Marinha do país lançou à água o segundo porta-aviões (e o primeiro de produção própria), o Tipo 001A. Espera-se que este navio entre em serviço da Marinha em 2018.

De acordo com as fontes militares citadas pelo jornal The South China Morning Post, o estaleiro Shanghai Jiangnan Shipyard Group recebeu autorização das autoridades para construir o terceiro porta-aviões.

“O estaleiro está trabalhando para construir o casco do navio, e espera-se que isso leve cerca de dois anos”, revela a fonte. Assim, em sua opinião, é cedo para falar sobre a data do possível lançamento do terceiro porta-aviões.

De acordo com a mídia chinesa, os próximos porta-aviões do país terão uma nova catapulta eletromagnética, em vez de trampolim, para a decolagem dos aviões. Anteriormente, Estados Unidos eram os únicos a usar esse tipo de equipamento. Assim, o país planeja melhorar a capacidade de combate da sua Marinha.

Entretanto, a principal diferença entre os dois navios é o seu propósito. O Liaoning é destinado ao treinamento de táticas e procedimentos. O navio serve para estabelecer e treinar estratégias, envolvendo as tripulações do convés e para manobras de decolagem e aterrissagem dos aviões dos futuros porta-aviões da China. Por outro lado, o Tipo 001A foi concebido para defender o país e participar de batalhas reais.

FONTE: Sputnik

image_pdfimage_print

 

10 Comments

 

  1. 07/01/2018  13:11 by Nunes-Neto Responder

    Esse vão ultrapassar fácil os russos!

  2. 07/01/2018  13:10 by Nunes-Neto Responder

    Não sei se sinto orgulho ou tristeza, 90% desse NAa deve ter sido feito com minérios saídos do meu Estado Pará!Parabéns China.

  3. 05/01/2018  20:52 by Leonardo Corrêa Responder

    Capacidade de realização e de economia de escala impressionantes, que compete de igual para igual com qualquer um. Um pesadelo para as "famílias" visto que a eficiência sempre foi presente a elas.
    Conseguiram....

  4. 05/01/2018  19:25 by mauricio matos Responder

    Eles constroem um porta aviões mais rápido do que gente numa corveta a MB podia adquirir o projeto do A12 e entregar para os chineses eles faziam um novo com melhorias.

  5. 05/01/2018  19:04 by Celso Responder

    ilhas artificiais sao facilmene destruidas em qualquer ataque a media e longa distancia e nao tem qualquer utilidade a nao ser demarcar e marcar territorio em pontos perdidos do oceano e a partir destes criar novas fronteiras c claras pretensoes a levar suas reinvicacoes teritoriais o mais fundo possivel e longe de suas praias. Mas nada podera ser feito de fato se as mesmas forem atacadas, a nao ser a justificaativa de tentar retaliar e ai ja viu.........

    • 06/01/2018  11:11 by Leonardo Rodrigues Responder

      Não há nenhuma diferença entre destruir ilhas artificiais e afundar Navios aeródromos. Com as tecnologias embarcadas nos mísseis chineses os CVNs são ilhas flutuantes. Retaliações são recíprocas.

      • 06/01/2018  11:34 by Celso Responder

        ate certo ponto, sim. Mas e ai....quem vai atirar primeiro......para se lancar esse missil anti navio vc primeiro precisa avistar, quer por radar, quer visual, etc......mas para atacar um alvo fixo vc nao precisa de um porta avioes.....vc viajou na maionese....tecnologia dos misseis chineses kkkkkkkkk...ainda estao anos luz, foguetes eles tem, mas sistemas oticos e de mira ou laser a altura das do ocidente, os chinas ainda tem muito chao pra chegar la.

  6. 05/01/2018  16:12 by nanogp2002 Responder

    E por aqui, vendendo tudo a preço de banana ...

  7. 05/01/2018  14:04 by Dalton Responder

    Está um pouco confuso...o "Liaoning 16" é o tipo 001...o segundo NAe o "Shandong 17" , primeiro completamente construído na
    China é o tipo 001A, que deverá ser comissionado ainda em 2018, para então passar por uma série de testes e certificações
    para estar plenamente operacional em 2019/2020.
    .
    O terceiro NAe de indicativo "18" e o segundo completamente construído na China, ainda sem nome, poderá ser lançado ao
    mar em dois anos, para efetivamente ser comissionado em 2022...há quem aposte que esse NAe já terá catapultas, portanto seria um novo Tipo o "002", mas, não há certeza disso por enquanto, há quem diga que será uma segunda unidade Tipo 001A
    e um NAe com catapultas e muito maior seria um terceiro construído localmente.

  8. 05/01/2018  13:41 by filipe Responder

    Os chineses não estão de brincadeira, eles têm um plano de construir um total de 5 CVF + 1CVN totalizando 6 unidades, para rivalizar com os 6 CVNs da US Navy na frota do Pacifico, sem contar com as ilhas artificiais.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.