Por Ivan Ryngelblum e João José Oliveira

Os acionistas da Embraer aprovaram, no dia 12 de abril, a incorporação das empresas Bradar e da Neiva. A ata do encontro foi divulgada nesta segunda-feira (23) no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).



A Bradar é uma empresa pertencente ao grupo Embraer Defesa e Segurança, criada no desde 15 de março de 2011. Na data, a Embraer Defesa e Segurança assinou contrato de compra de 64,7% e, posteriormente, 90% do capital social da divisão de radares da OrbiSat da Amazônia S/A, implicando na cisão da OrbiSat em duas empresas: a Bradar Indústria S/A, com foco em radares de defesa e sensoriamento remoto; e a outra atuando no segmento de equipamentos eletrônicos, com sede em Manaus, que continuou sob controle dos antigos proprietários.

A Neiva é uma fabricante de aeronaves leves comprada pela Embraer em 1980. Fundada em 1954, para produzir planadores, a companhia passou em 1975 a produzir aviões leves para a Embraer. Em 2006, tornou-se unidade da Embraer. De 2007 a 2009, passou por uma ampliação e hoje a Embraer Unidade Botucatu emprega 1,9 mil empregados.

As aprovações ocorreram em um momento em que a companhia negocia com a americana Boeing uma forma de combinar negócios das duas empresas. Para analistas, essa incorporação da Bradar e da Neiva pela Embraer é um movimento relacionado ao contexto de reestruturação com vistas à combinação com a Boeing.

FONTE: Valor



 

14 Comments

 

  1. 27/04/2018  8:28 by Topol Responder

    E agora para acabar com tudo o governo reduz drasticamente as taxas de importação de bens industrializados... como se já não fosse suficiente o custo Brasil nossas empresas agora terão que encarar a concorrencia deliberada de americanos europeus e principalmente asiáticos... já está tudo bem claro para mim... querem que isto aqui se transforme em um fazendão !!! e estão conseguindo

  2. 26/04/2018  0:26 by MATHEUS LUIZ JORGE CORTEZ Responder

    Amigos, também estou triste, mas tentem dar uma animada. Talvez haja alguma esperança com as eleições. Contudo, perder a aviação regional da Embraer vai ser muito ruim mesmo. Sobre a Bradar e Neiva, não sei se vão entrar no negócio, porque as últimas notícias que li só diziam que a aviação executiva vai continuar com a Defesa & Segurança, para gerar renda. Senão a empresa morre muito rápido. Será que estas duas vão parar na mão da Boeing? Pode ser uma tentativa do mercado, mas creio que o governo federal possa vir a vetar. Acredito/espero que as foças armadas não deixarão de notar tal movimentação. Mas do fundo do meu coração de brasileiro patriota, desejo que essa venda seja cancelada, ou ao menos adiada para depois da eleição. Na esperança de que alguém digno venha a ganhar.

    Off topic: Perceberam como notícias da Petrobrás não existem mais? Estão nos fazendo esquecer que ela existe. Retalhando-a. Ridícula a situação. Outras duas áreas, empreiteiras e processamento de carne, onde já se viu a polícia federal de um país atacar as líderes mundias em seus seguimento de atuação. É de doer no couro. Quantos ativos no exterior e no país, de empresas pertencentes a grupos nacionais, já foram vendidas a grupos estrangeiros? Isso por que estavam envolvida em corrupção? Nem a Alemanha nazista foi obrigada a punir tão severamente suas empresas, o ocidente aprendeu com o resultado da primeira. Mas daí o Brasil deve pagar o mais alto preço? Ser eterno subjugado ao interesse do capital internacional. Ou acham que o que citei acima não procede? Se incomodei alguém, foi por um bom motivo. Mas por educação, peço desculpas.

    • 26/04/2018  0:32 by MATHEUS LUIZ JORGE CORTEZ Responder

      *construção civil e produção e processamento de carnes
      *primeira guerra mundial

      obs: passou batido.

      • 26/04/2018  0:42 by MATHEUS LUIZ JORGE CORTEZ Responder

        *venda mascarada
        *(espero) ... não deixem de notar

  3. 25/04/2018  19:55 by Gilbert Responder

    Mais um episodio do desmonte do Brasil, Agora a Embraer-Boeing vai levar mais 2 empresas junto de brinde

  4. 25/04/2018  8:37 by Topol Responder

    Os acionistas só querem o dinheiro deles renda as margens de lucro esperadas ... não estão nem um pouco preocupados com a "nação" com nossa "estratégia de defesa", nossos políticos são um câncer e o Brasil caminha para sua total falência e fracasso de onde nunca mais se levantará,

  5. 25/04/2018  0:50 by Igor Grabois Responder

    Sugiro que assistam a entrevista com o grande neurocientista brasileira Miguel Nicolelis, no site Tutameia. O objetivo é obliterar a nação. Vejam na foto do Saber-200 o logo da Finep. O povo brasileiro bancou a Embraer e suas coligadas por décadas, com verbas do tesouro, financiamentos do BNDES e a Boeing leva isso de barato. Só os tais fundos de investimentos ganham com isso. Sem C&T, nada de país. Governo vende pátria, traidores, merecem ser julgados nos termos dos artigos 355 e 357 do Código Penal Militar.

  6. 24/04/2018  22:34 by Armando Eisele Responder

    A marca EMBRAER será APAGADA !!!!!! Essa é a intenção dessa multinacional - APAGAR a EMBRAER. Agora vocês esperam que o GOVERNO mais BANDIDO da TERRA. Tenha MORAL, ÉTICA e PATRIOTISMO !!!! Quantas MALAS carregadas nessa LIQUIDAÇÃO dos horrores ? Pior é ver o MILITARES não fazerem NADA !!!! Estão transportando MALAS também ? O BRASIL acabou e ainda tem militar que acredita que não tem um futuro a TEMER !!!!! QUE vergonha ...ainda aparece uns salsichas pasteurizadas pelos MBA's da vida, vendo alguma vantagem nesse negócio ao Brasil !!!!! Essa geração de TRAIDORES, ficará marcada pelo PIOR momento que esse pais, já viveu na sua história. Mas virá, uma nova geração e essa vai derrubar todos e tudo e nos transformaremos numa nova Venezuela. Pois a FOME e a falta de presente e futuro, aliado a ignorância, são os piores conselheiros. Em CUBA um bando virou um exercito e um exercito virou um bando......aqui também será o mesmo ou já é !!!!!!

  7. 24/04/2018  21:31 by Daniel Responder

    O olho grande do Tio Sam querendo "tudo" para ele e os covardes e irresponsáveis como sempre não fazem nada!

  8. 24/04/2018  18:57 by Larri Gonçalves Responder

    Devem estar dormindo no ministério da defesa deixar a BRADAR cair na mão da Boeing, afinal ela não é uma empresa da EDS, portanto deve ficar fora do acordo com a Boeing, devem tá armando para o Brasil ter que comprar radares dos Yanques, são um bando de patetas neste governo.

  9. 24/04/2018  17:40 by Erikson Responder

    Rafael, na verdade não poderia, se o nosso governo exercesse o golden share (acho que é esse o nome), bloquearia essa venda. Mas como o nosso governo não está nem aí, há muito não trabalha pelo país, ta lá só pra tentar não ser preso, então o resultado é esse....

  10. 24/04/2018  17:27 by Wellington Góes Responder

    Se for isto, da BRADAR em específico, for incorporada à Embraer comercial e saindo das asas da EDS, então o GF terá que rejeitar o negócio com a Boeing. Até onde se sabe, a EDS e suas coligadas ficariam de fora. Se isto é com o intuito de manobrar, então que se rejeite todo o negócio de venda à Boeing. Mostra que não estão querendo fazer uma negociação séria e lá na frente vão manipular as coisas para piorar a situação da Embraer no Brasil.

    Minha opinião;

  11. 24/04/2018  14:04 by Rafael Responder

    Prezado Augusto, foi o que eu também entendi! A pergunta que eu faço é pode isso Arnaldo??

  12. 24/04/2018  12:55 by Augusto Responder

    O que se infere do texto é que essas empresas, precipuamente de interesse militar, estão saindo da Embraer Defesa e que vamos ficar sem uma empresa capaz de produzir radares quando a Boeing comprar a Embraer, porque elas estarão no pacote. Claramente foi uma jogada pensada dos interessados em lucrar com a venda. Estou delirando ou vão deixar isso acontecer, logo agora que o SABER M-200 está quase pronto e logo agora que o Exército está utilizando o M-60?

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.