6 Comments

 

  1. 08/06/2018  15:30 by Carlos roberto Responder

    espero que com o desenvolvimento deste reator em todo pais venha fazer que a economia do pais só tenha a crescer mais e mais assim esperamos até porque com a multiplicação deste reator ,. polpará outros setores que exige altos gastos em energia e gastos financeiros esse reator chegou na hora certa antes tarde do que nunca parabéns para todos os envolvidos neste grande progresso parabéns a nossa marinha parabéns Brasil

  2. 08/06/2018  12:36 by IVALDO Responder

    resta saber se quem comprar a eletrobras, leva toda tecnologia desenvolvida??

    • 08/06/2018  14:19 by Leonardo Costa da Fonte Responder

      Ivaldo, o que é que tem uma coisa a ver com a outra?!!!!!

    • 08/06/2018  15:20 by Jr Responder

      O que a Eletrobrás tem que ver com esse reator amigo??????

      • 08/06/2018  20:03 by Leonardo Costa da Fonte Responder

        Acho que você deveria prestar atenção na primeira colocação do Ivaldo e o que eu escrevi. Para começo de conversa isto é um reator de potência!!! Ou seja, ele tem que ter a capacidade de aumentar e reduzir sua potência para atender às necessidades de manobra de um submarino. Reatores para produção pura e simples de energia elétrica não tem esta capacidade. Não são feitos para terem variações de potência. A tecnologia para produção de energia elétrica, como nos reatores das usinas de Angra, são muito mais simples que a tecnologia usada para o reator do Labgene. Obviamente, se for necessário produzir reatores civis, eles terão que ser muiiiiitto maiores e diferentes do Labgene. A tecnologia para produção de energia elétrica está disponível para se comprar e não há segredo... Aí eu pergunto de novo, o que a Eletrobrás, ou melhor a subsidiária dela a Eletronuclear (que provavelmente não será privatizada) tem a ver com o a tecnologia desenvolvida para o labgene? Pensem um pouco...

        • 09/06/2018  8:14 by Jr Responder

          A minha pergunta foi para o Ivaldo, eu entendi o que você escreveu. O Ivaldo quis insinuar que com a privatização da Eletrobrás, tudo isso ai passaria para ao mãos de quem comprar a Eletrobrás, só que ao que parece a Eletronuclear ficara de fora da privatização

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.