155 Illustration__Airbus_Helicopters

Seul, março de 2015 – A Airbus Helicopters irá se unir à Korea Aerospace Industries para o desenvolvimento de duas aeronaves biturbinas de cinco toneladas, que atendem aos requisitos sul-coreanos para sua próxima geração de Helicópteros Leves Civis (LCH) e Helicópteros Leves Armados (LAH).

Como vencedora da concorrência LCH e LAH, a Airbus Helicopters dará continuidade a seu relacionamento de grande sucesso com a Korea Aerospace Industries, que inclui o programa conjunto em que foi desenvolvido o Surion, helicóptero biturbina de transporte utilitário da Coreia.

“Gostaríamos de expressar nossa profunda gratidão à Korea Aerospace Industries e ao governo da Coreia do Sul por confiar a nós o seu mais importante programa de helicópteros”, afirmou Guillaume Faury, presidente da Airbus Helicopters. “Estamos empenhando todo o nosso esforço para assegurar que os projetos LCH e LAH sejam concluídos dentro do prazo, dos custos e da especificação.”

Tanto o LCH quanto o LAH serão baseados nos helicópteros H155 (antes conhecidos como EC155), a última evolução da família Dauphin, que inclui o helicóptero Pantera, suas variantes militar e governamental, as quais têm demonstrado suas capacidades de operação no mundo todo.

Como parte do novo acordo, a Airbus Helicopters irá transferir o conhecimento técnico da empresa, conforme já demonstrado no programa Surion – para assegurar que a Coreia esteja habilitada a desenvolver seus mais novos produtos, os quais se tornarão líderes da próxima geração de aeronaves leves na categoria de cinco toneladas.

“Os programas LCH e LAH serão baseados em nossa colaboração com a Korea Aerospace Industries para o Programa Surion, que se tornou uma referência em colaboração bem-sucedida em aeronaves. Dando continuidade a esta parceria, reduziremos de forma significativa os riscos destes dois novos programas de desenvolvimento, atendendo, ao mesmo tempo, a todos os requisitos da missão”, acrescenta Faury. A previsão de entrada em serviço da versão LCH é 2020 e da versão LAH é 2022.

Norbert Ducrot, presidente da Airbus Helicopters North Asia, demonstrou confiança no sucesso do programa, que verá o desenvolvimento paralelo das versões civis e militares. “Não temos somente uma forte parceria com a Korea Aerospace Industries, temos também uma experiência comprovada em projetos civis e militares contínuos, em que os dois parceiros se beneficiarão nesses dois programas”, declarou.

Os helicópteros da família Dauphin da Airbus Helicopters – nos quais as versões LAH e LCH são baseadas – são operados por mais de 60 clientes e mais de 1000 unidades destes helicópteros possuem cerca de cinco milhões de horas de voo em serviço. O H155 apresenta o mesmo piloto automático digital de quatro eixos que os pilotos da República da Coreia tanto apreciaram ao voar o Surion e garante um excelente desempenho em voo pairado em condições extremas, junto com configurações de alta precisão para altitude, velocidade e proa.

DIVULGAÇÃO: Convergência Comunicação Estratégica

 

3 Comments

 

  1. 28/03/2015  0:14 by Caio Junior Responder

    Em primeiro lugar, a cadencia da modernização é um acordo entre Helibras e EB aonde se definem o melhor momento para parar um Pantera que entrará em grande inspeção é definido em contrato. Alem desse fator tem o aspecto de recursos disponíveis e o preço da modernização gira em torno de 30% de um helicóptero novo dessa classe! Isso é praticamente um padrão quando se fala de modernização! Outro aspecto é que o motor do AS 365 K2 é o mesmo do H155 porém o K2 do EB é mais leve e também conta com o PA 4 eixos digital do

  2. 26/03/2015  21:10 by Douglas Schuindt Responder

    Pelo alto valor da modernização e pelo praz alongado, era de se esperar que os Panteras do EB ficassem no mínimo iguais a esse mockup daí de cima.

    • 28/03/2015  0:02 by Caio Junior Responder

      Desculpa, mas essa modernização representa 30% do preço de um novo helicoptero dessa classe, iguais aos padrões de outros países!!! Com relação ao prazo, isso é uma decisão do EB porém um aumento da cadência já está sendo tratado!!! Depende dos recursos!!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.