Os governos da Alemanha e da França anunciaram os planos conjuntos de desenvolvimento de uma “nova geração” dos caças Eurofighter, a fim de aumentar o poderio da União Europeia (UE) e a cooperação entre os dois países.

O anúncio foi feito pela França após conversações entre o presidente do país, Emmanuel Macron, e a primeira-ministra alemã Angela Merkel.

Ao chamar o plano de “revolução profunda”, Macron destacou ainda que “os dois parceiros esperam finalizar um roteiro conjunto até meados de 2018”, em declarações reproduzidas pela Agência AFP.

“Os caças foram projetos muito pesados para nossos exércitos e nossos governos”, destacou Macron. O presidente francês afirmou que as aeronaves europeias comuns economizarão dinheiro, eliminando a concorrência entre diferentes jatos que estão atualmente no mercado.

“O objetivo deste avião de combate para uma nova geração é primeiro lançar um programa comum de pesquisa e desenvolvimento para poder planejá-lo juntos e, em seguida, para que nossos dois exércitos possam usá-lo juntos. Eu confirmo para você, é uma revolução profunda, mas não temos medo das revoluções”, disse.

Os projetos militares entre os dois países vão além dos caças. De acordo com a Agência Reuters, os dois lados também concordaram em desenvolver um quadro de cooperação para o próximo modelo do helicóptero de ataque Tiger, e para mísseis tácticos terra-ar, segundo o documento divulgado após a reunião.

Outros projetos

O documento também mostra que a Alemanha e a França concordaram em trabalhar em conjunto para adquirir sistemas terrestres, incluindo tanques pesados e artilharia, e que um contrato deverá ser assinado antes de 2019 para o projeto Eurodrone, liderado pela Alemanha e que visa acabar com dependência da UE dos drones militares norte-americanos e israelenses.

O projeto anunciado na quinta-feira vem depois que a França retirou-se do projeto Eurofighter na década de 1980 para fazer seu próprio avião de guerra, o Rafale. O novo avião de combate substituirá tanto o atual Eurofighter e o Rafale.

A Europa atualmente tem três aviões de combate: o Eurofighter Typhoon, o Rafale francês e o Gripen da Suécia. No entanto, alguns analistas dizem que a UE precisa de apenas um avião de combate, devido a pressões orçamentárias e custos de desenvolvimento.

Macron e Merkel também discutiram fortalecer a integração europeia na defesa, contra-terrorismo e imigração.

FONTE: Sputnik