Ainda não há indicações sobre a localização do submarino. As condições climáticas mostram uma ligeira melhora, mas ainda são adversas. Um ruído, que foi capturado por navios e por uma aeronave, está sendo analisado.

Na sede do Estado-Maior da Armada Argentina, o porta-voz da instituição, Capitán de Navío Enrique Balbi, informou hoje que, apesar dos esforços nas operações de buscas ao submarino ARA “San Juan”, ainda não há indícios da sua localização. “Ainda não temos contato com eles, continuamos sem comunicações. A alternativa é tentar localizá-lo visualmente ou com detecção de radar. Enfretentamos ventos fortes, chuva torrencial e ondas de até 6 metros de altura. As condições meteorológicas vão melhorar substancialmente a partir de amanhã, terça-feira”, explicou.

 

Ao longo do dia, observou-se uma queda no vento e na altura das ondas. O porta-voz também explicou que, com a melhoria climática, os sensores disponíveis estarão mais efetivos pelos meios que se dedicam a tentar detectar o submarino ‘San Juan’.

Toda essa tecnologia é complementada por “todos os nossos meios navais, aéreos que estamos usando”, disse o comandante Balbi, sem descartar nenhuma hipótese.

Ele também explicou que “um plano de voo foi mantido 24 horas, graças aos aviões da Força Aérea, da Marinha, da Prefectura Naval e os estrangeiros. Tivemos mais de uma aeronave em voo em diferentes áreas, de modo a não causar interferência mútua”.

Hoje, a partir da captação do sonar da corveta ARA Rosales e do destróier ARA Sarandí, ambos da Marinha argentina, destacou-se uma aeronave P-8 da Marinha dos EUA, que lançou os sonobóias passivas que também capturaram esses ruídos. Após o procedimento, este material de áudio foi levado ao Centro de Coordenação de Busca e Resgate (SAR), na Base Naval de Puerto Belgrano, para análise. “O local do ruído está dentro da área de operações, agora, temos que processá-lo e estudar sua assinatura acústica para determinar sua origem”, explicou o porta-voz da Marinha.

Próximo ao local onde o ruído foi detectado, tem uma corveta e um destróier operando, três navios equipados com sondas multifeixes foram vasculhar o que está abaixo da superfície do mar.

De acordo com a confirmação de que a empresa de telefonia por satélite fez hoje, o comandante Balbi comentou que “recebemos oficialmente da empresa de satélites que investigou todos os sinais no espectro da área de operações foram analisados ​​e não correspondem ao telefone via satélite do submarino ‘San Juan'”.

Neste momento, em toda a área de operações e com todos os meios disponíveis, as operações de busca e salvamento do submarino e seus 44 membros da tripulação continuam intensa e incessantemente.

FONTE: Armada Argentina

 

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.