Agência Espacial Brasileira recebeu relatório do PNPC. Medidas protetivas serão tomadas pela AEB

A Agência Espacial Brasileira (AEB) recebeu Relatório de Avaliação de Riscos com o mapeamento das vulnerabilidades da instituição. De acordo com a AEB, com base na análise feita pela Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), serão tomadas providências necessárias para minimizar os riscos indicados. O documento foi entregue no fim do ano passado.

A avaliação faz parte do Programa Nacional de Proteção do Conhecimento Sensível (PNPC). As atividades do PNPC na Agência Espacial foram realizadas ao longo de dois anos e contaram com o apoio de grupo de trabalho formado por profissionais da AEB.

Durante a entrega do relatório, a ABIN apresentou aos dirigentes da Agência Espacial os graus de vulnerabilidades e possíveis ameaças que a AEB pode sofrer em suas áreas. Também foram recomendadas medidas para proteção das informações classificadas como conhecimentos sensíveis e sigilosos.

Para o diretor de Transporte Espacial e Licenciamento da AEB, Marco Antônio Rezende, a conscientização é um dos passos essenciais para a implantação da cultura de proteção do conhecimento sensível. “Com esse relatório saberemos identificar e proteger os assuntos sensíveis e sigilosos que fazem parte do nosso trabalho, pois o setor espacial é uma área de extrema importância para o desenvolvimento do país”, explicou.

Proteção

As medidas de proteção a serem adotadas pela AEB abrangem segmentos como proteção física e de documentos, assim como gestão de pessoas e proteção dos sistemas de informação.

Após conhecimento do Relatório de Avaliação de Riscos pelos dirigentes da AEB, o grupo de trabalho será responsável em elaborar um plano de atividades para implementação e acompanhamento das recomendações do PNPC.

 

4 Comments

 

  1. 10/01/2017  10:11 by romário

    Será que a ABIN fez esse tipo de avaliação na PETROBRAS?

  2. 10/01/2017  15:11 by justin oliveira

    Porque não fizeram isso a mais tempo?Teríamos evitado tantos problemas que só serviram para atrasar o desfalecido P.E.B.

  3. 10/01/2017  16:29 by César Pereira

    Será que podemos crer nesteste profissionais? Será que possuem capacidades? Eu não acredito mais !

  4. 10/01/2017  18:14 by Operacional

    Uma dúvida, houve auditoria do programa de gerenciamento de risco do programa ou não existia? Certamente uma instituição deste porte não teria como iniciar a desenvolver suas atividades sem que uma série de requisitos legais aplicáveis sejam cumpridos...ou a ABIN está realizando este PNPC em mais instituições? Este processo é muito interessante e de valia aos institutos vinculados em qualquer fase operacional. Forte abraço.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.