Mais de 100 membros das forças leais ao regime sírio do presidente Bashar Assad morreram em bombardeios conduzidos pela coalizão antijihadista liderada pelos EUA, anunciou nesta quinta-feira, 8, uma fonte militar americana.

“Consideramos que mais de 100 membros das forças pró-regime sírias morreram em confrontos com as Forças Democráticas Sírias (FSD) e as forças da coalizão”, afirmou a fonte, que pediu anonimato.

A operação, que prosseguiu até esta madrugada, foi motivada por um ataque contra posições das Forças Democráticas Sírias, rebelião liderada pelos curdos que tem o apoio de Washington, na província síria de Deir es-Zor.



De acordo com o Comando Central dos EUA, o local do ataque de terça-feira também abrigava assessores do grupo. “A coalizão realizou bombardeios contra as forças de ataque para responder a um ato de agressão”, disse a fonte americana.

A televisão estatal síria qualificou como “agressão” os bombardeios da coalizão liderada por Washington no leste do país. “Em uma nova agressão, (…) as forças da coalizão atacaram as forças populares” na Província de Deir es-Zor, afirmou a emissora, referindo-se a grupos paramilitares aliados do governo sírio.

Os confrontos acontecem em um momento de grande tensão entre Washington e Damasco com o retorno das suspeitas do uso de armas químicas pelo regime de Assad e as milícias aliadas ao governo.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) informou que também nesta quinta-feira ao menos nove civis morreram e outras dezenas ficaram feridos em bombardeios do regime sírio contra a região de Guta Oriental, enclave rebelde no leste de Damasco.

Os ataques foram realizados contra seis localidades, segundo o OSDH. Nos últimos três dias, os bombardeios intensivos do regime sírio mataram ao menos 149 pessoas.

FONTE: AFP

FOTO: Ilustrativa



 

2 Comments

 

  1. 09/02/2018  0:42 by Joao Responder

    interessante é que só quem agride são os Sírios. O mocinho da história é sempre o EUA, nunca fazem nada contra ninguém. Só o fato de você estar invadindo o território de um outro país já é considerada agressão, imagine então você incentivar grupos terrorista e milicias para lutarem contra o governo de um país. Só quem não quer enxergar esse regime ditador que os Norte Americanos exercem sobre a maioria dos países no mundo. Aí Korea do Norte, Irã, Síria entre outros, (nesse caso não cito Rússia nem a China por serem grandes potencias militares), são tidos como grandes ameaças por tentarem desenvolver as chamadas ''ARMAS DE DISSUASÃO'', para intimidarem países detentores dessa tecnologia.

  2. 08/02/2018  10:04 by Bueno Responder

    que confusão ... hora atacam um grupo em outra ajuda este grupo... complicado

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.