F-22 Raptor and Russian bomber

Quatro bombardeiros estratégicos russos desencadearam o acionamento do sistemas de defesa aérea dos Estados Unidos, durante a realização de práticas de bombardeios próximas ao Alasca, esta semana, com duas das aeronaves Tu-95 Bear H se aproximando dentro de 50 milhas da costa da Califórnia, confirmou o North American Aerospace Defense Command (Norad) nesta quarta-feira.

“A última vez que vimos algo semelhante foi há dois anos em 04 de Julho”, disse o Capt. Jeff Davis, da US Navy, porta-voz do Norad. Davis disse que as últimas incursões dos Bear’s H começaram na segunda-feira por volta das 4:30hs, hora do Pacífico, quando o radar detectou os quatro bombardeiros se aproximando da zona de defesa aérea dos EUA, perto das Ilhas Aleutas.

Dois caças F-22 Raptor da USAF foram acionados e interceptaram os bombardeiros, acompanhando os mesmos enquanto voavam em direção ao leste. Dois mudaram de curso e se dirigiram para oeste, em direção ao Extremo Oriente russo. Acredita-se que os bombardeiros sejam da base estratégica russa perto de Anadyr.

Os outros dois bombardeiros com capacidade nuclear, seguiram para sudeste e por volta das 21:30hs, entraram novamente na Zona Norte de defesa aérea dos EUA, já na altura da costa norte da Califórnia, sendo novamente interceptados, agora por dois caças F-15 Eagle, que durante o acompanhamento, voaram próximos de 50 milhas da costa, antes de mudarem de curso e rumarem para o oeste.

Um funcionário do Departamento de Defesa disse que os quatro bombardeiros foram apoiados por dois aviões tanque IL-78, utilizados para realizarem reabastecimento em voo durante a operação desta semana.

Il-78-Tu-95-bomber-refueling

Davis disse que a aeronave “agiu profissionalmente”, e que os bombardeiros pareciam estar realizando uma missão de treinamento. “Eles normalmente fazem treinamento de navegação de longo alcance no verão e não é incomum eles estarem mais ativos durante este período”, disse o porta-voz do Norad, completando “Nós avaliamos que era parte do treinamento. E eles não entraram no nosso espaço aéreo”.

O Republicano Mike Conaway (Texas), classificou os voos russos de “provocações intencionais” e disse que “Putin está fazendo isso especificamente para tentar provocar os EUA”, acrescentando que ele acredita que a Rússia ainda irá causar mais desses tipos de incidentes no futuro.

Para o Lt. Gen. (Ret.) Thomas McInerney, ex-comandante do Alasca do North American Aerospace Defense Command, disse que não se lembrava de um caso de bombardeiros estratégicos russos chegando tão perto da costa dos EUA. “No auge da Guerra Fria, não me lembro deles chegarem tão perto. Putin teve que aprovar esta missão e ele está apenas mostrando o seu desprezo pessoal pelo presidente Barack Obama, logo após encontrar com ele na Normandia, a menos de uma semana”, disse McInerney.

f15andbear

Davis disse que nos últimos 10 anos, 50 bombardeiros Bear H foram interceptados perto da zona de defesa aérea dos EUA, embora tenha reconhecido que o voo desta segunda-feira tão perto da California era incomum.

Os voos russos tem aumentado também em outros lugares nos últimos anos, intensificando as provocações russas nos jogos de guerra nuclear, como parte dos esforços de propaganda para mostrar o desagrado de Moscou com as defesas antimísseis dos EUA na Europa.

FOTOS: Meramente ilustrativas.

image_pdfimage_print

 

2 Comments

 

  1. 14/06/2014  7:57 by Topol-M Responder

    Os Bear são um símbolo da dissuasão nuclear da Rússia e são peça chave para essa função até hoje, assim como os B-52 estão para os Estados Unidos. Mesmo com os B-1 atualizados e os B-2 Spirit são os B-52 que sempre são deslocados para mostrar força, exceto no caso da Coréia do Norte quando Obama mandou logo um B-2 para acalmar o Gordinho.

  2. 12/06/2014  21:52 by Hermes Responder

    Com certeza os russos pegaram algumas informações sobre os F22 nessa interceptacao.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.