saber M60

A empresa acaba de entregar mais 3 unidades do radar Saber M60 para o Exército Brasileiro e a partir desta entrega o produto já totaliza 22 unidades vendidas em menos de 3 anos.

A Força Aérea Brasileira (FAB) deverá receber mais três (03) unidades do mesmo radar Saber M60 até o final de 2013, se somando à unidade já recebida pela FAB de acordo com aquisição efetuada em Abril deste ano.

O radar Saber M60 foi desenvolvido em conjunto com o CTEx (Centro Tecnológico do Exército) com o objetivo de realizar a vigilância em baixa altura. Este produto possuí capacidade de localizar alvos em até 60 quilômetros de distância transmitindo informações em tempo real para um Centro de Operações de Artilharia Antiaérea (COAA). Este tipo de tecnologia é dominada por somente 5 países no mundo.

O Saber M60 possuí baixo peso e de fácil instalação, podendo ser colocado ativo em cerca de 15 minutos demandando somente 3 pessoas, com isso a mobilidade do sistema é muito grande e permite que ele possa ser transportado para qualquer local do território nacional ou até mesmo para as missões de paz no exterior. O radar pode ser integrado tanto com sistemas de armas baseados em mísseis quanto em canhões, e como diferencial o Saber M60 pode operar em conjunto com um Centro de Operações de Artilharia Antiaérea (COAAe), uma exclusividade da BRADAR.

O radar Saber M60 foi utilizado com sucesso no Brasil pelas ocasiões dos grandes eventos recentes, como a Visita do Papa Francisco, a Copa das Confederações e também na Rio +20, Conferência das Nações Unidas sobre desenvolvimento sustentável. Estas utilizações do Saber M60 comprovam a possibilidade de uso dual do radar.

BRADAR anuncia contratos avaliados em R$ 36 milhões na área de sensoriamento.

A BRADAR assinou recentemente 3 importantes contratos na área de sensoriamento remoto. Os negócios são avaliados em 36 mihões de reais, com a Compania de Pesquisas e Recursos Minerais (CPRM) e as usinas de Santo Antônio e Belo Monte.

Na Usina de Santo Antônio, em Rondônia, a BRADAR renovou o contrato para monitoramento da área do reservatório da hidroelétrica. O objetivo é identificar regiões que sofreram modificações de borda, alteração de vegetação, novas edificações, entre outros aspectos, abrangendo uma área de cerca de 2,8 mil quilômetros quadrados em controle mensal.

Em Belo Monte, Pará, a BRADAR realizará o monitoramento de toda a extensão da usina e produzirá mapas cartográficos de alta precisão. O objetivo é auxiliar na gestão do projeto básico ambiental da usina, identificando possíveis desmatamentos, invasões irregulares, proliferação de plantas aquáticas, movimentações de terreno, entre outros. Estas informações serão cruciais para a usina acompanhar as ações em campo da implementação do empreendimento.

“Este serviço permite um maior controle sobre a área de proteção dos reservatórios coibindo imediatamente danos ao patrimônio e gerando documentação com fatos e dados de alta precisão“, disse Maurício Aveiro, presidente da BRADAR. “Está constatada a eficiência da aplicação da tecnologia de radar para o monitoramento de grandes áreas.“

Com a CPRM a BRADAR irá realizar o mapeamento cartográfico de área de extremo risco em 74 municípios Brasileiros, totalizando uma área de 90 mil quilômetros quadrados. As cidades selecionadas para monitoramento apresentam uma maior probabilidade de deslizamentos e enchentes e por isso foram selecionadas. O projeto deverá durar 15 meses e faz parte do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, do Governo Federal.

“É muito gratificante podermos participar desse projeto, pois osso produto foi comprovadamente classificado como o mais adequado para realizar esse tipo de levantamento“, disse Maurício Aveiro. “Poderemos contribuir com informações capazes de nortear as ações do poder público na prevenção de desastres naturais e catéstrofes nestes municípios“.

A BRADAR utilizará para este mapeamento a tecnologia de sensoriamento remoto por radar interferométrico de abertura sintética que opera nas bandas X e P, capaz de gerar mapas de alta precisão.

FONTE: Rossi Comunicação

 

2 Comments

 

  1. 07/10/2013  8:46 by Rafael

    BRADAR?
    Não era ORBISAT?

  2. 08/10/2013  1:22 by Alexandre Novaes

    Isso me parece algo como... (hipotético ) só 2 países fabricam Jipes de combate,dentre eles os EUA que fabricam os Hummers e o Brasil o JPX. blá blá blá blá blá...

Leave a reply

 

Your email address will not be published.