Soldados portugueses atuam na MINUSCA

Por Bruno Góes

BRASÍLIA- O Brasil desistiu de enviar tropas em missão de paz à República Centro-Africana. A informação foi confirmada ao GLOBO, ontem, pelo Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx). O país vai rejeitar o pedido da ONU, que queria 750 militares para atuar na região. O governo brasileiro considerou que não há dinheiro para a missão.

No mês passado, a ONU pressionou o Ministério da Defesa para que o país se posicionasse sobre o assunto, segundo fonte ouvida pelo GLOBO. Em 2017, a diplomacia brasileira havia sinalizado às Nações Unidas que participaria da missão. A área técnica do governo chegou a diminuir o orçamento para o primeiro ano de ação para R$ 280 milhões – inicialmente, eram R$ 400 milhões.

Mas, quando o assunto chegou à mesa do presidente Michel Temer, a conclusão a que se chegou foi de que há restrição orçamentária. E a prioridade, para o governo, é a intervenção federal no Rio de Janeiro.

A ONU contava com a presença de tropas brasileiras e chegou a avisar que não tinha plano B, ou seja, não cogitava ocupar a região com tropas de outro país. Agora, terá que procurar outro parceiro. Em novembro do ano passado, Jean-Pierre Lacroix, chefe das operações de manutenção de paz da ONU, declarou publicamente que a experiência do Brasil no Haiti seria importante para a missão na África. EXPERIÊNCIA NO HAITI A missão era vista por militares como uma continuidade do trabalho bem-sucedido no Haiti, que durou entre 2004 e 2017.

Durante as negociações, a Defesa explicou à ONU que o país está em ano eleitoral e com dificuldades de fechar o Orçamento. Em novembro do ano passado, as Nações unidas fizeram o convite oficial para o Brasil participar da missão. À época, pedia o reforço das tropas “o mais breve possível”.

A guerra civil na República Centro-Africana fez com que meio milhão de centro-africanos se refugiassem em países vizinhos, segundo a Agência da ONU para Refugiados (Acnur). Em janeiro, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICR) afirmou que metade da população necessita de ajuda humanitária.

Fonte: O GLOBO

 

 

16 Comments

 

  1. 11/04/2018  13:08 by Victor Zizo Responder

    Excelente notícia. Primeiro devemos estabelecer a paz no nosso país e depois tentar ajudar as outras nações. Monetáriamente o ONU nos deu um baita calote ao não reembolsar o que gastamos na missão no Haiti e hoje quer se envolver nas questões internas do país.

  2. 10/04/2018  22:16 by Esteves Responder

    A ONU se mete e se introme em assuntos internos no Brasil. Pressiona e faz críticas públicas sobre presídios, políticos, sentenças, manifestações e Rio de Janeiro.

    Se Temer mandou a ONU procurar outro, fez bem.

  3. 10/04/2018  17:58 by Alexandre Responder

    Finalmente uma decisão sensata. Já chega o Haiti, que foi MAIS um ralo de dinheiro, como já mencionaram.

  4. 10/04/2018  16:35 by Miguel Responder

    Opinião de leigo: IMHO chance de treinamento real, foi pro ralo. Se a ONU pelo menos pagasse integralmente os custos... Negocio é ficar dando tiro no meio do mato mesmo (não muitos porque não temos grana pra munição...)... mas o país está quebrado... a roubalheira não termina nunca...o trilhão de impostos arrecadados nunca são suficiente nem pro básico. Para crime organizado temos: Policia Militar, Policia Civil; Policia Federal; Policia Rodoviaria Federal; Policia Ferroviaria Federal; Guarda Portuaria; Guarda Municipal; Força Nacional...ops....ainda parece não ser suficiente...tem que usar tanques....triste.

    • 11/04/2018  4:02 by Igor Andreati Responder

      A coisa é tão feia que Polícia Ferroviária Federal só existe na constituição... triste ver que ano após ano não se vê investimento em ferrovia nem em hidrovia... só com o dinheiro que o país economizaria ao reduzir o uso de rodovia pra transporte de longa distância, já daria pra transformar o Brasil em país de 1 mundo... caramba, ferrovia melhoraria até a segurança pública, pois ia ser muito mais fácil fiscalizar as fronteiras estaduais sem milhões de caminhões passando..... mas sem caminhão acaba a boquinha da petrobrás, da máfia dos pedágios, da máfia dos pneus... melhor fazer copa do mundo mesmo

  5. 10/04/2018  14:22 by César Pereira . Responder

    Melhor noticia não poderia ter,essas missões não passam de teatro , vide o Haiti pouco mudou desde a missão da ONU !

  6. 10/04/2018  14:16 by Athos Franca Responder

    Pesquisem sobre este título na Folha de SP: "Comissário da ONU critica intervenção federal no Rio", e pode ser que isso explica a decisão brasileira de não participar com envio de tropas à Africa.

  7. 10/04/2018  13:05 by pgusmao Responder

    Finalmente uma decisão sensata deste governo, já não bastava aquele ralo de dinheiro que era o Haiti, pois o que ganhamos foram milhares de refugiados.

  8. 10/04/2018  11:14 by Dodo Responder

    Que pena,lamentável a decisão,essa é uma excelente oportunidade de testes de equipamentos e treinamento de pessoal tanto em termos operacionais(pracas) e táticos(oficiais). Mas enfim,considerando o mundo em que vivemos,não faltarão missões de paz para participarmos kkkkk

  9. 10/04/2018  11:12 by RAFAEL DAMASCENO Responder

    No mais o cancelamento dessa missão na minha opinião só mostra como estamos atrasados tanto com meios treinamentos e $$$ guerra e isso o inimigos não esperam voce ter condições , o Brasil desistiu basicamente pelo desafio logístico, mas vão esperar as coisas serem boa pra poder participar?

  10. 10/04/2018  11:08 by Rafael Responder

    Prezados,eu acabei de ler em outro sítio que o Brasil vai participar da missão de paz no Congo com um general brasileiro sendo o force comander.

    • 10/04/2018  11:47 by Luiz Padilha Responder

      Rafael tb li, mas carece de confirmação do governo. Até lá, estamos com a oficial.

    • 10/04/2018  14:16 by Guilherme Wiltgen Responder

      O que eu estou sabendo é que NÃO vamos participar das duas missões, RCA e Congo.

  11. 10/04/2018  10:40 by André Mendonça Responder

    Um pena essa decisão. Continuamos a mostrar que somos um anão diplomático e que não merecemos fazer parte do Conselho de Segurança da ONU.

  12. 10/04/2018  10:29 by tomcat3.7 Responder

    Ae sim, uma atitude sensata por parte de nossas lideranças !!!

  13. 10/04/2018  10:23 by Larri Gonçalves Responder

    Até que enfim uma boa notícia, nós temos que dar prioridade para o font interno em apoiar as ações de combate ao crime organizado em todo o pais e gastar os parcos recursos que temos em assuntos que nos interessam, afinal somos brasileiros e as FFAA são o último recurso que temo,. apesar de uma legislação antiga e da falta de apoio legal as ações das FFAA.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.