gripen BASC

clippingOs governos do Brasil e da Suécia formalizam hoje às 10h, em Londres, os contratos financeiros da compra de 36 caças supersônicos Gripen NG. O pacote inclui ainda a aquisição do armamento das aeronaves.

A cerimônia será na Embaixada do Brasil envolvendo funcionários da agência sueca de crédito à exportação, a SEK, e da Procuradoria Geral da Fazenda. O valor total é de cerca de US$ 5,4 bilhões, com oito anos de carência e 15 anos para o pagamento.

Há um mês, a operação esteve em risco: o setor econômico do governo pedia a revisão para baixo da taxa de juros, de 2,54% ao ano; propunha 2,19%. A empresa fornecedora dos aviões e da tecnologia que será repassada, a Saab, tentou uma negociação intermediária, sem sucesso. Com a discussão realizada diretamente entre governos, o processo resultou em um acordo no dia 28 de julho.

Para o ministro da Defesa, Jaques Wagner, principal negociador, o entendimento oficializado hoje encerra a “etapa de gabinete” e inicia “a fase da execução do contrato”. O parceiro nacional é a Embraer Defesa e Segurança. A empresa, segundo Wagner, já está preparando a infraestrutura da fábrica de Gavião Peixoto, a 300 km de São Paulo, para receber o programa. A primeira unidade será entregue em 2019 e a última, cinco anos depois.

Gripen E - FAB

O crédito cobrirá 100% do contrato comercial, sem a necessidade de pagamento de sinal. “A aprovação do projeto é uma decisão estratégica para garantir a soberania nacional do espaço aéreo brasileiro”, disse o ministro Jaques Wagner, lembrando que o pagamento efetivo do financiamento só ocorrerá após o recebimento da última aeronave previsto para 2024.

Com a decisão, a Força Aérea Brasileira (FAB) terá aeronaves de defesa e superioridade aérea compatíveis com a importância geopolítica do Brasil, abrindo as portas do mercado da América do Sul à Saab e às empresas brasileiras subcontratadas.

O financiamento permitirá a aquisição dos 36 caças Gripen NG, que atenderão às necessidades operacionais da FAB nos próximos 30 anos.

Por meio de um programa de transferência de tecnologia, com o Gripen NG o Brasil poderá deixar de ser comprador para se tornar fornecedor de aeronaves de combate de última geração. Anunciada em dezembro de 2013, a encomenda cobre suporte logístico e armamento.

O pacote prevê a fabricação de 15 das 36 unidades no Brasil, incluindo 8 unidades de dois lugares, para treinamento de pilotos e missões especiais. O modelo, criado para a FAB, será desenvolvido em parceria entre Saab e Embraer.

FONTE: O Estado de SP

image_pdfimage_print

 

18 Comments

 

  1. 26/08/2015  8:14 by José Carlos Oliveira Responder

    Apesar das implicâncias daqueles que não percebem que as FFAA estão acima destas questiúnculas ( há até quem ache a Parada de 7 de Setembro uma palhaçada ) o avanço que agora se vê, deriva da percepção dos novos Comandantes das Forças, que tem estado a incentivar o progresso tecnológico; e aqui temos de prestar uma homenagem a aquele que foi o grande mentor deste grande feito: o Soldado JUNITI SAITO.
    Não podemos deixar passar este momento sem reconhecer o valor deste grande brasileiro.

  2. 26/08/2015  6:57 by Rafael damasceno Responder

    No meu entender o governo podia fazer uma espéce se poupança até o dia que chegar o primeiro pagamento até lá já daria pra ter pelo menos 30% do valor total e o restante iria pagando na valsa e as parcelas seriam menores e com as parcelas menores daria pra comprar mais caças ,mas estamos no Brasil.

    • 26/08/2015  10:07 by Topol Responder

      Poupança ??? O governo ??? Só de ouvir esse nome os políticos já ficam alvoroçados para tentar sacar ... poupança para eles não é uma conta para guardar dinheiro e sim um lugar de onde tirar dinheiro.

  3. 25/08/2015  23:12 by Bráulio Silveira Responder

    Torço que o GAP seja preenchido até com o GRIFFO A/B, mas otimizados na versão C/D. Às favas que sejam os caças do FX-1, o que não pode é esticarmos a solução F-5EM por mais tempo.

  4. 25/08/2015  21:36 by Popeye Responder

    E a carruagem continua a passar(2) e no governo do PT, por incrível que pareça, pois segundo alguns era este governo que não gostava de militares.

  5. 25/08/2015  21:27 by filipe Responder

    é o fim de uma era , e o inicio de outra , daqui para a frente teremos uma FAB voltada para a mais alta tecnologia de defesa.

  6. 25/08/2015  13:28 by antonio gomes Responder

    Mas, urgente é a aquisição de Gripens usados até a chegada dos novos, o que vai demorar alguns anos..... Só F5-EM para defender o espaço aéreo nacional não dá......

  7. 25/08/2015  11:50 by Eurípedes Responder

    e a carruagem continua a passar, mas os cães sempre vão latir, e as forças armadas vão receber meios de dissuasão, cada vez melhor

  8. 25/08/2015  11:07 by SAAD Responder

    Nosso pais é uma vergonha mesmo, olha só o juros deles 2.54 ao ano enquanto aqui 15% a 20% ao ano, é acho que não temos soluçao mesmo.somos todos troxas mesmos.

    • 25/08/2015  21:58 by Edson Responder

      Sim, eu acho que vocês são trouxas . . . . eu não sou . . . . .

      • 26/08/2015  10:53 by Ze Abelardo Responder

        Discordo. É o inverso.

  9. 25/08/2015  10:17 by Diego Responder

    Caro Padilha, gostaria de saber o que consta neste contrato de armas assinado em londres, é o mesmo que inclui armas Israelenses ou outro com armas Europeias?? Grato e grande abraço!

  10. 25/08/2015  9:55 by Celso Responder

    Ate q enfim ....esta novela ja tava pior q o Direito de nascer....rsrsrsr pra quem lembra, essa novela era de 1964 na antiga rede tupi e so terminou uns 4-5 anos depois rrsrsrsr . Mas dai a escrever q o dito ministro foi o principal negociador...kkkkk to morrendo de rir.......dar loas a quem nao merece sequer um bom dia ja eh demais hemmm......

    • 25/08/2015  12:17 by Marcelo Responder

      olha, acho que na questão dos juros ele foi o principal negociador....mas isso foi apenas um pequeno capítulo da grande novela que teve a sua primeira parte encerrada hoje.
      Abraços

    • 25/08/2015  12:33 by Ibanez Responder

      E quem foi que negociou com os representantes da Saab então? Se ele não é responsável por uma negociação importante como essa então quem é?

    • 25/08/2015  15:06 by Andre Responder

      E para completar a novela, a midia fica com esse melodrama de "operação em risco" em vez de enaltecer a tentativa de reduzir o custo do financiamento. O governo tem seus podres, mas criticar a tentativa de reduzir o custo dos aviões faz a oposição cair em contradição.
      Será que depois dessa o Morales terá peito de ameaçar de novo o Brasil?
      Enfim, até que enfim!

    • 25/08/2015  23:09 by Bráulio Silveira Responder

      Foi aquela em que a Janete Clair "matou" metade num terremoto para salvar a audiência?

    • 25/08/2015  23:13 by Bráulio Silveira Responder

      "metade dos personagens". Desculpa-me a elisão.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.