Conhecido por suas falas polêmicas, o general Eduardo Villas Bôas concedeu uma entrevista exclusiva ao jornalista e historiador Marco Antonio Villa da Jovem Pan e disse que o País “está à deriva”, sem cumprir um papel específico no mundo e que a intervenção federal além de ser “bem feita” deveria ser “estendida por todo o país”.


Para Villas Bôas, a verdadeira intervenção federal no Rio de Janeiro não está tendo visibilidade e o que há de mais importante é a reestruturação das instituições policiais cariocas. Ele analisa que a “capacidade administrativa e gerencial são fundamentais para restaurar o funcionamento de todos os subsistemas da polícia”. A ação no RJ, sob seu critério, é um “trabalho criterioso e bem feito e que precisa ser estendido a todo o país”.

Ultimamente o que tem tirado o sono do general é ver a sociedade se “dirigindo para um caminho que pode acarretar a perda da nossa identidade. Da essência de nós brasileiros como uma nação”. Para ele, o Brasil está em uma situação na qual medidas emergenciais devem ser tomadas. No centro do problema, estão as drogas: “Elas são um grande combustível das organizações criminosas. Aumentam a capacidade de contaminação em outras instituições e partes do país”.

Indagado sobre a união entre as forças armadas da América do Sul, o general lamenta dizer que não há bases comuns para um sistema de defesa. “Dizem que quando as ideologias ficam velhas elas se mudam para a América do Sul”, explica o general. Ele ressalta, no entanto, que há uma diplomacia militar muito intensa e trocas de instrutores e alunos entre os países.

Villas Bôas encerra dizendo que, em relação às eleições, o momento agora é de tolerar o diferente e essas diferenças não podem comprometer o futuro do Brasil e nem a governabilidade do próximo presidente. “É o momento de buscarmos uma convergência, uma mudança na nossa essência, na nossa tolerância. Tolerar a diferença. Esse sentido de pacificação é muito importante para o país”.

FONTE: UOL


 

9 Comments

 

  1. 07/09/2018  12:45 by Gerson Carvalho Responder

    Isso eh que gostar do osso! se fosse um praça não podia ficar na ativa! Este senhor devia esta em casa!

    • 07/09/2018  14:10 by César Pereira Responder

      Concordo plenamente com você meu caro Gerson de Carvalho,as academias militares vivem a fazer apologia ao vigor físico de seus membros, creio que já chegou o momento do general Villas Bôas deixar o seu cargo,pois não tem mais condição física para tal !

    • 07/09/2018  15:26 by Guilherme Wiltgen Responder

      Gerson,
      Ele é um General 4 estrelas mas, nem por isso deixou de ser um soldado e está lutando para cumprir com a sua missão!
      Além de ser um excelente Cmt é um militar altamente capacitado e provido de uma inteligência bem acima da média.
      Exemplo a ser seguido!
      Abs,

    • 08/09/2018  8:25 by XO Responder

      Arrego, cara... que papo é esse de "largar o osso" ? Leia um pouco sobre ele e não o rotule... ele continua a bordo, com muito sacrifício, e dando exemplo e cadência... se não pudesse ou conseguisse mais somar, concordaria com você... e comparar com praça, fala sério... o Gen Villas Boas está em posição de liderança e comando... esse ranço não cabe...

      • 08/09/2018  12:13 by Luiz Padilha Responder

        Essa é exatamente a nossa visão XO.

  2. 07/09/2018  12:15 by Caio Responder

    A idéia de nação nunca esteve tão fraca no Brasil, os chamados esquerdistas e direitistas fazem um ótimo trabalho dividindo o país, e a derrocada só da mostras de amplicação.

  3. 07/09/2018  9:49 by César Pereira Responder

    O general comete um erro ao dizer que o blindado Guarani foi totalmente desenvolvido no BRASIL, na verdade o Guarani é um projeto italiano de nome SUPERAV, que foi adquirido por nosso país a IVECO ! Não foi desenvolvido aqui,embora não nos falte competência !

  4. 06/09/2018  23:22 by ALEX ROCHA Responder

    Quisera a Deus,se os nossos governantes tivessem a lucides deste comandante. As forças armadas, sempre têm mostrado um amadurecimento acima da média e um bom sendo mesmo diante das adversidades. Fico feliz com o comando deste General e que Deus possa colocar nosso país governantes assim, sábios e de bom senso.

  5. 06/09/2018  18:56 by Penske Responder

    Depois do evento ocorrido hoje a tarde em Minas Gerais, só podemos endossar o que disse o General Villas Boas, afinal pessoas desequilibradas querem agir como transgressores da lei, tentando mudar o curso normal de um processo eleitoral com um atentado ?

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.