4 Comments

 

  1. 27/12/2013  0:09 by celso pinaffi Responder

    como pude ler ali nas letrinhas miúdas os prós são bem mais interessantes do que os contras, vejamos:

    Fato de ser monomotor - O F-16 também é monomotor e é considerado um dos melhores caças, ninguém fala mal do F-16 por ser monomotor

    Fato de não ter sido testado em combate - É porque os países operadores não se envolveram em nenhum, o adversário teve sorte

    Fato de transportar 6000 kg de armas - Isso pode ser compensado adicionando mais dois elementos ao esquadrão atacante ou seja mais 24 ton, pronto resolvido

    Fato do radar estar em desenvolvimento - Não é qualquer radar, é um AESA, e a SAAB detem o expertise para fazê-lo e instalá-lo dentro do pequeno GRIPEN

    Sobre embargo de peças - Muito difícil tendo em vista a boa relação tanto do Brasil quanto da Suécia com todos os fabricantes, os Estados Unidos não irão embargar a turbina pois tem negócios mais rentáveis ainda com o Brasil e em retaliações comerciais acabariam saindo prejudicados

    bem essa é a minha opinião, também pode ser que eu esteja errado.

    • 27/12/2013  13:30 by _RR_ Responder

      celso pinaffi,

      Apenas um complemento:

      Hoje, o que manda é a precisão do armamento... Se antes eram necessários muitos aviões armados com toneladas de armamento para resolver o problema, agora apenas algumas aeronaves ( ou as vezes apenas uma ) armadas com armas de precisão podem fazer o mesmo serviço de forma mais eficiente e até mesmo mais econômica...

      Em outras palavras, embora capacidade de carga ainda seja importante, a capacidade de ir ao longe com armamento de precisão, me arrisco a dizer, adquire importância maior...

      Se o Gripen NG realmente resultar em tudo o que promete ser, então ele fara basicamente a mesma coisa que os demais eurocanards concorrentes ( Rafale e Typhoon ) na maioria das situações e a custo sensivelmente menor.

      Mesmo o Gripen C já é uma aeronave extraordinária; e a considero equivalente ao F-16 block 50/52 em muitos aspectos ( notadamente eletrônica embarcada ).

      Por fim, uma correção: o radar AESA do NG ( o ES-05 RAVEN ) está sendo desenvolvido pela empresa Selex Galileo, que, salvo engano, associou-se ( ou vai associar-se ) a empresa brasileira Atmos para o prosseguir o desenvolvimento do radar...

      Saudações.

      • 27/12/2013  22:54 by pinaffi Responder

        positivo RR, obrigado pelas informações, por isso que eu gosto de debater com pessoas que entendem do assunto.

  2. 26/12/2013  17:39 by Jose Responder

    Lamentável o tom jocoso...

Leave a reply

 

Your email address will not be published.