Rafale para o Brasil

Por Sudhi Ranjan Sen

O caça francês Rafale que a Índia está planejando comprar, no que está sendo anunciado como a maior compra de defesa por parte do país – “será golpeado como mosquitos em uma noite de agosto”, segundo o embaixador russo na Índia, Alexander Kadakin.

Kadadin também afirmou que os caças Sukhoi-27 fabricados na Rússia, que foram fornecidos a Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China, são muito mais capazes e avançados do que os caças Rafale. O caça russo MiG- 35, bem como os caças americanos F-16 e F-18, o Gripen NG sueco da SAAB e o francês Rafale, foram os principais concorrentes para o contrato de defesa.

Rafale na Cruzex

Após uma avaliação longa e detalhada, a India Air Force – IAF, havia selecionado os caças de fabricação francesa Rafale para substituir sua frota de caças envelhecida. O negócio é provável que saia a um custo para a Índia de gritantes U$ 23 bilhões. Sem questionar incursões estratégicas da Índia com os Estados Unidos e o antigo “Bloco ocidental”, o embaixador russo disse que os EUA “transferiram zero tecnologia à Índia”.

Ele citou o exemplo do míssil BrahMos, um míssil de cruzeiro supersônico desenvolvido e produzido entre a Índia e a Rússia. O Sukhoi-30MKI que agora está sendo licenciado e produzido na Índia, e a Usina Nuclear de Kudankulam, como exemplos de tecnologia crítica transferidas pela Rússia à Índia em conjunto.

Cruzex 2010 - Rafale

A Rússia, historicamente, tem sido um parceiro estratégico da Índia e o principal fornecedor de seus sistemas de armas. Mas, na última década, a Índia tem cada vez mais olhado para Israel e os EUA, afim de cumprir as suas necessidades de defesa. A mudança, sem dúvida, tem irritado a Rússia. Estas questões são susceptíveis de dominar as conversações em nível de cúpula entre o presidente russo Vladimir Putin e o primeiro-ministro Narendra Modi.

O presidente Putin tem uma visita programada a Índia em 11 de dezembro. A Rússia espera vender a Índia seus submarinos convencionais. Submarinos são fundamentais para a estratégia de “Sea Denial”, de impedir que navios de guerra de adversários, acessem áreas específicas no mar. A Índia tem apenas oito submarinos funcionais convencionais.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Defesa Aérea & Naval

FONTE: NDTV