Ecos da Guerra do Pacífico

Por Coronel Paulo Roberto da Silva Gomes Filho No último dia 1º de outubro, a Corte Internacional de Justiça de Haia, principal órgão judiciário da Organização das Nações Unidas, decidiu contrariamente à Bolívia, que havia levado àquele tribunal, no ano de 2013, uma solicitação no sentido de que o Chile fosse obrigado a negociar com a Bolívia uma solução para que esta voltasse a ter uma saída soberana para o […]

 

Negação do Uso do Mar em Perspectiva: Capacidades Chinesas e Lições para o Brasil

Por Guilherme Henrique Simionato dos Santos O objetivo principal desse trabalho é analisar o desenvolvimento das capacidades militares chinesas relacionadas a essa função e tirar ideias para o Brasil. A China parece adotar uma abordagem interessante no seu perfil de forças: mistura sistemas relativamente simples com sistemas de alta tecnologia, tendo como foco a negação do mar e a negação do acesso ao seu entorno. Como resultado, tem-se cada vez […]

 

Capacidade nuclear mundial continuou crescendo em 2016

Por Leonam Guimarães A capacidade de geração nucleoelétrica global aumentou em 2016 para 391,4 GWe líquidos, contra 382,2 GWe no final de 2015, de acordo com dados da World Nuclear Association. A construção de três grandes usinas nucleares também começou em 2016, enquanto três outras foram permanentemente desligadas. Dez novas usinas nucleares, com uma capacidade de geração combinada de 9.579 MWe, entraram em operação em 2016, superando 2015 (9.497 MWe) […]

 

Opinião: Áreas sensíveis à Defesa do Brasil

No entorno, pode-se apontar como de interesse vital as áreas destacadas com estrelas vermelhas na figura, pois afetam diretamente a defesa nacional. As indicadas com estrelas azuis são áreas de interesses importantes, assim chamados pela necessidade de nelas o Brasil projetar poder, a fim de auferir vantagens relevantes seja diretamente para respaldar a inserção soberana, proativa e pacífica do país no cenário global, seja indiretamente para a defesa da pátria, que […]

 

Análise - "A quarta Batalha do Atlântico"

Por Vice-Admiral James Foggo III e Alan Fritz Com “mais atividade de submarinos russos do que vimos desde os dias da Guerra Fria,” uma melhor postura da força europeia, torna-se vital para a Marinha dos EUA e da NATO/OTAN. Cento e um anos atrás, um grande poder lançou uma nova arma no mundo. Essa arma permitiu contornar vantagens militares de seus adversários e dar-lhes um golpe quase paralisante. Essas armas, […]

 

Otan cutuca urso com vara curta

Por Mikhail Moltchanov Incluído em nova estratégia de segurança federal, avanço da Otan pode resultar na união estratégica entre Rússia e China em aliança oriental. No último dia de 2015 a Rússia adotou uma nova estratégia de segurança que acrescenta de forma explícita a expansão da Otan à lista das principais ameaças à segurança do país. Segundo o presidente russo Vladímir Pútin, o fato de Moscou conduzir uma política externa […]