Deputados da oposição criticaram as negociações da fabricante brasileira de aviões com a norte-americana Boeing

O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato, disse nesta quarta-feira (4) aos deputados da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional que a Embraer não pode deixar de analisar propostas de parceria com outras empresas, pois precisa de recursos para tocar seus projetos. Ele lembrou que a maior parte dos empreendimentos da Embraer vem do governo.



Durante a audiência pública, o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, afirmou que o orçamento tem sido insuficiente para os investimentos necessários em vários setores.

Questionado pelos parlamentares sobre a venda de parte da Embraer para a norte-americana Boeing, Rossato respondeu que os entendimentos feitos até agora preservam totalmente as subsidiárias da empresa brasileira na área de defesa.

Ele informou que a Embraer está finalizando os projetos dos aviões E-2 e KC-390 e que, caso não surjam outros empreendimentos, possivelmente haverá demissões de engenheiros. “Então é justo que a empresa analise as possibilidades de negócios. Não existe nada de concreto, há estudos sendo feitos, mas nós estamos considerando muito essa questão de soberania”, declarou.

Para o deputado Carlos Zarattini, o governo deveria preservar a empresa integralmente. “É um crime de lesa-pátria. Estamos entregando a estrangeiros o desenvolvimento aeronáutico feito por engenheiros daqui”, disse. “A Boeing falou que pretende renovar o seu quadro de engenheiros com os profissionais brasileiros. Então os engenheiros brasileiros serão transferidos para os Estados Unidos? E quem vai garantir que a produção das aeronaves não será transferida também daqui dois ou três anos?”, acrescentou.

Orçamento

Joaquim Silva e Luna informou que o orçamento que pode ser usado para despesas não obrigatórias das Forças Armadas é de apenas R$ 13,3 bilhões em 2018, e que o montante vem caindo ano a ano. Segundo ele, há risco de redução das atividades nas áreas de fronteiras, na Antártica e até em horas de voo caso não sejam aportados mais R$ 5 bilhões em 2019. O ministro ainda apresentou tabelas que mostram que os militares ganham menos que várias forças policiais estaduais.

Sobre as negociações com os Estados Unidos em torno do uso da base de lançamento de Alcântara, no Maranhão, Joaquim Silva e Luna utilizou argumentos semelhantes ao caso da Embraer. Ele destacou que a Argentina investe quase R$ 1 bilhão por ano em programa espacial, dez vezes mais que o Brasil. Conforme o ministro, se não há investimento, melhor negociar o ativo, no caso, a localização privilegiada, enquanto ele não se torna obsoleto por inovações tecnológicas.

FONTE: Agência Câmara
FOTO: Ilustrativa



 

5 Comments

 

  1. 07/07/2018  6:33 by Beck Nader Responder

    Este comentário expressa exatamente o que penso sobre o assunto: https://www.flightglobal.com/news/articles/opinion-embraer-will-be-stronger-with-boeing-than-w-450001/

  2. 06/07/2018  12:08 by Marcelo Monteiro Responder

    Dinheiro, dinheiro, e mais dinheiro. Temos o 13 maior orcamento militar do mundo!!! Não é exatamente a falta de dinheiro que é o problema, mas, sim, como ele é gasto. Se mais de 80!% vai para cobrir despesas com os militares ativos e inativos, sobra pouco para investimento e custeio das atividades essenciais. O País também possui outras prioridades, senhores (educação, saúde, habitação, saneamento básico...). Ou começamos a gastar melhor o dinheiro que temos, ou a situação precaria de nossas forças armadas vão continuar do mesmo jeito. O orçamento da nação tem limites, meus amigos.

    • 06/07/2018  19:51 by Francisco Jorge Berguenmayer Minuzzi Responder

      Em todas as Forças Armadas do mundo, os profissionais militares são pagos com recursos orçamentários. O problema do Brasil não é falta de dinheiro. É o roubo e a corrupção.

  3. 06/07/2018  11:52 by jose luiz esposito Responder

    A quanto tempo falo em trabalharmos conjuntamente com a Argentina , e trazermos outros mais vizinhos do Continente , mas os Militares brasileiros a 129 anos escolheram que deveríamos deixar de ser Líder para sermos CAPACHOS dos EUA , então eles sempre têm esta Conversa Fiada de fazermos Acordos e Conversamos com outros , etc , mas somente para criarem Desculpas para as suas verdadeiras Intenções , o que eles fazem em seus Comandos que não Batam na Mesa e exijam Verbas necessárias para os nosso Programa Espacial , mas fica mais fácil queixarem-se ao Povo , e daí tudo continuará assim , as Castas Corporativas avançando em nossa Riquezas e o Brasil que foi o PAÍS do FUTURO , esta tornando-se o O PAÍS SEM FUTURO !!

  4. 06/07/2018  11:13 by felipe Responder

    generais das forcas armada brasileira tanto do exercito, aeronáutica e marinha sao todos covarde e traidores da pátria.como eles pode permitirem que as nossa riqueza seja dada para os estados unidas.so uma observacao eles sao todos americanizado. lamentavel

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.