Ministro da Defesa Joaquim Silva e Luna com o Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência do Brasil, Sérgio Etchegoyen e o Comandante da Marinha, AE Eduardo Bacellar Leal Ferreira

Por Luiz Padilha

A Marinha do Brasil celebrou o aniversário de sua Força de Submarinos em solenidade realizada nesta terça-feira, 17 de Julho, na Base Almirante Castro e Silva, na Ilha de Mocanguê, Rio de Janeiro. A cerimônia contou com a presença do Ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, do Comandante da Marinha, AE Leal Ferreira, do Senador da República, Álvaro Dias e demais convidados.



Senador Álvaro Dias presente a comemoração dos 104 anos da FORSUB

Durante a cerimônia, o Contra-Almirante Alan Guimarães Azevedo, comandante da Força de Submarinos, proferiu um discurso onde enalteceu todos os submarinistas por sua dedicação em manter o proficiência da Força. Em seguida foram agraciados oficiais com a medalha Almirante Áttila Monteiro Aché, por terem concluído em 1º lugar os Cursos de Aperfeiçoamento.

Histórico

Em 17 de julho 1914 foram incorporados três navios da classe “Foca” e criada a Flotilha de Submersíveis. Nascia, assim, a Força de Submarinos, que tem como missão exercer o controle operativo dos submarinos no mar e das atividades de mergulho da Marinha. A atual denominação veio apenas em 1963.

A Força compreende o Comando, a Base Castro e Silva, o Centro de Instrução e Adestramento almirante Átilla Monteiro Aché (CIAMA), o Grupamento de Mergulhadores de Combate (Grumec) e os seguintes submarinos: quatro da classe “Tupi”, um “Tikuna” e um navio de socorro.

Desde 2008, o Brasil conta com o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), que além do submarino a propulsão nuclear, prevê outros quatro convencionais diesel-elétrico. Para viabilizar tais tecnologias, em 2010 iniciou-se a construção do Estaleiro e da Base Naval de Submarinos, em Itaguaí (RJ).

Ainda este ano, no dia 12 de Dezembro, está previsto o lançamento do S-BR1 Riachuelo, que dá nome a nova classe de submarinos construídos no ICN em Itaguaí.

COMANDO DA FORÇA DE SUBMARINOS

Niterói, 17 de julho de 2018.
ORDEM DO DIA Nº 1/2018
Assunto: 104 Anos da Força de Submarinos

Voltando no tempo, mais precisamente, ao memorável 17 de julho de 1914, era criada a Flotilha de Submersíveis com a incorporação de três submarinos da classe “Foca” encomendados à Itália, no âmbito do Programa de Construção Naval de 1904. A estes pioneiros, eternizados no distintivo que nós, submarinistas, orgulhosamente carregamos no peito e na alma, sucederam-se o submarino “HUMAYTÁ” da classe BALILLA, os “TANGO” da classe “PERLA”, os “FLEET-TYPE” da classe HUMAITÁ, os “GUPPY” da classe GUANABARA, os “OBERON” da classe HUMAITÁ e os atuais IKL-209 da classe “TUPI” e o “TIKUNA”.

Em 1928, a Flotilha de Submersíveis passou a se chamar Flotilha de Submarinos, permanecendo com este nome até 1963, quando recebeu a atual denominação “Força de Submarinos”. Esta secular Organização Militar distinguiu-se não só pela operação de diferentes classes de submarinos, mas também pelo pleno domínio das atividades de escafandria, mergulho saturado, mergulho de combate, socorro e salvamento de submarinos sinistrados e medicina hiperbárica. Evidencia-se ainda pela notoriedade alcançada na formação e qualificação do seu pessoal, acumulando conhecimento e desenvolvendo capacidade própria de emprego da arma submarina.

Assim, respaldados no legado que uma estirpe de marinheiros, de valor imensurável, edificou com honra e abnegação e aos quais rendemos nossa mais profunda gratidão e admiração, obtivemos a maturidade requerida para olhar adiante com olhos mais audaciosos.

À medida que o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) avança, o Brasil vem conquistando a autossuficiência tecnológica para projetar e construir seus próprios submarinos. Estamos convictos de um futuro promissor conforme evoluem as obras do Complexo Naval de Itaguaí, composto de Estaleiro e Base Naval. A partir de 2020, incorporaremos novos submarinos convencionais da classe Riachuelo e logo chegaremos ao submarino de propulsão nuclear, o classe “Álvaro Alberto”, que conferirá a Marinha uma formidável capacidade dissuasória.

Dessa forma, ao celebrar os 104 anos da nossa querida “Flotilha”, felicito nossos submarinistas, mergulhadores, mergulhadores de combate, médicos e enfermeiros hiperbáricos, psicólogas de submarino, militares e servidores civis, de ontem e de hoje, em especial os Oficiais agraciados com a “Medalha Almirante Áttila Monteiro Aché”, por terem concluído em 1º lugar nossos Cursos de Aperfeiçoamento.

Expresso ainda meus cumprimentos e minha gratidão às senhoras e senhores submarinistas honorários, ora diplomados, bons companheiros e belos amigos, que emprestam parte de seu valioso tempo para o engrandecimento da nossa Força.

Por fim, rogo ao Senhor Bom Jesus dos Navegantes que continue, em sua infinita bondade, nos iluminando e nos protegendo!

Força de Submarinos! Marinheiros até debaixo d’água!
Glória à Flotilha!
Viva à Marinha!
ALAN GUIMARÃES AZEVEDO
Contra-Almirante
Comandante



 

1 Comment

 

  1. 18/07/2018  12:42 by ALEXANDRE ESTEVES DA SILVA Responder

    Aos marinheiros "até de baixo d'água" os meus cumprimentos e reconhecimento pelos excelentes serviços prestados ao Brasil.
    Bravo Zulu!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.