Wave Glider SV3 - Pequeno Notável

Wave Glider SV3 - Pequeno Notável

Um exemplo potencial para o ditado “os melhores perfumes estão nos pequenos frascos” poderá potencialmente ser aplicado ao SV3 Wave Glider da Liquid Robotics Inc.

Essa empresa de Sunnyvale, Califórnia, desenvolveu um veículo marítimo não tripulado de propulsão solar /híbrido (VUM).  O Veículo SV3 Wave Glider é o último a sair do forno das equipes de desenvolvimento da empresa de embarcações de vigilância marítima.

Os inovadores sistema de propulsão e gerenciamento de energia da “Liquid Robotics” são projetados para ajudar os clientes a explorar as porções dos oceanos do mundo em condições que anteriormente eram muito difíceis ou caras de operar. Potencialmente isso significa que os militares podem usar os navios para monitorar vastas áreas marítimas ao redor do mundo sem a utilização de mão de obra e com custos reduzidos.

Bill Vass, Presidente e CEO da Liquid Robotics, falou à Defense IQ ano passado para discutir a tecnologia da empresa e como ela pode ser explorada para aplicações militares. O planador pode ser usado ​para uma
gama de missões diferentes, mas principalmente a tecnologia é vísivel na plataforma.

“Ele pode ser usado para uma grande gama de missões… ele pode ser utilizado para proteger uma frota “ouvindo” submarinos ou torpedos, pode ser utilizado para guerra anti-minas, pode ser utilizada para reconhecimento, e obviamente, proporcionando segurança para áreas específicas, para patrulhar um local específico e alertar caso um contato acústico, de vídeo ou de radar apareça.” Vass explicou.

Olhando para o futuro, Vass espera que os países comecem a aumentar a sua confiançam em veículos autônomos para melhorar a segurança nas suas fronteiras.

img-hero-svs_Series

“Qualquer país como o Canadá, que tem uma pequena marinha e uma grande costa, ou a Austrália ou a Nova Zelândia, Índia ou Brasil ou África do Sul, são todos alvos para nós … ele é muito mais barato ter robôs patrulhando o seu litoral que é ter muitos navios, sob o ponto de vista econômico eles podem estar presentes em muito mais pontos, a um custo muito mais baixo “.

As Forças Armadas Brasileiras tem que patrulhar 4,4 milhões quilômetros quadrados de águas territoriais e tem uma área de salvamento marítimo, que é uma vez e meia o tamanho de sua massa de terra. Com vastos depósitos de petróleo e gás, bem como reservas minerais valiosas, a Amazônia Azul – que é o nome que a Marinha do Brasil chama a área de mar que é responsável – é um recurso estratégico e econômico vital para o gigante Sul-americano. Com o advento da Copa do Mundo no próximo ano e as Olimpíadas em 2016, o Brasil está trabalhando no sentido de aumentar a sua capacidades de gestão de vigilância. A Amazônia Azul gestão de sistemas, chamada de Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz), é um programa de 4 bilhões de dólares que a Marinha do Brasil está supervisionando para ajudar a defender sua costa e proteger suas plataformas offshore. O objetivo do programa SisGAAz será de contribuir para a mobilidade estratégica do Brasil e permitir que ele atue contra quaisquer ameaças. O programa irá integrar uma série de tecnologias e plataformas, como  software para rádios, comunicações via satélite e radares de longo alcance, enquanto ostentando uma rede de detecção fixa de acústica submarina. Ele integrará o sistema de Comando e Controle Naval.

Liquid-Robotics-Introduces-Wave-Glider-SV3-USA

Talvez o Wave Glider possa ser a solução?

Vass disse que espera que o Wave Glider seja uma adição útil para qualquer Força Naval, e que pode ser usado em combinação com outros navios tais como navios de patrulha offshore.

“Ele sempre poderá ser utilizado em conjunto com outros navios como navios de patrulha… se você tem um país como a Nova Zelândia, você teria que tem centenas de navios lá fora para garantir a cobertura adequada do litoral mas você pode ter centenas de robôs, a um custo muito menor. Os robôs vão fazer a detecção inicial e então você teria barcos de patrulha de alta velocidade vindo em seguida para uma investigação mais detalhada, então eu acho que eles tem de tudo para trabalhar como uma equipe no futuro “.

No mês passado, a empresa fechou a liberação de $ 45milhões em financiamento para a Série E liderada por Riverwood Capital. Ela agora tem o dinheiro para continuar a desenvolver a fabricação desses UMVs, agora em maior volume. Olhando  através do periscópio, quem sabe começaremos a ver mais deles na superfície do oceano no futuro.

Arquitetura do SV3

Arquitetura do SV3

Descrição do Sistema:

O Wave Glider SV3 é composto de um flutuador de superfície e de um sistema de propulsão, ligado através de um submerso de largura de banda alta, umbilical de 4,0 metros aerodinâmico. O flutuador está disponível com tinta anti-cinza escuro (padrão) ou não-antifouling tinta amarela opcional, de alta visibilidade. No flutuador, há três painéis solares que fornecem energia ao sistema electrónico na placa de cobertura e de forma segura os compartimentos de carga para a frente e para trás. Os compartimentos de carga podem acomodar Unidades de energia modular ou Unidades de Carga Modular (MPU) de diferentes tamanhos que podem ser utilizados para uma variedade de cargas e os requisitos de energia. O flutuador possui um deck que pode suportar até quatro mastros.

O sistema de propulsão submersa tem uma porta de expansão para ligar e comunicar com uma única carga de submersa. Para auxiliar nas operações de navegação e ma, o Wave Glider SV3 vem com uma série de aids: uma AIS antena do tráfego marítimo e do receptor, um mastro com bandeira de visibilidade e luz, um sensor de velocidade da água, um rastreador Iridium auxiliar independente, um reflector de radar ativo , Estação Meteorológica, sensor de altura de onda e uma freqüência de rádio (RF) transponder rastreamento.

FONTE: Defense IQ / Liquid Robotics

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Defesa Aérea & Naval

 

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.