Prédio-principal-da-Thales-Nederland

Prédio principal da Thales Nederland em Hengelo-NL

Por Luiz Padilha

EspecialDefesa Aérea & Naval visitou a sede da Thales Nederland, (ex-Hollandse Signaalapparaten B.V./Philips), na cidade de Hengelo-NL no início deste mês, e pôde conhecer in loco, o portfólio dos produtos que a Thales produz, para a área de Defesa Naval.

O Sr. Gerben Edelijn, CEO da Thales Nederland gentilmente nos recebeu, dando-nos as boas vindas fazendo uma introdução sobre a Thales.

CEO-da-Thales-Nederland,-Sr.-Gerben-Edelijn

CEO da Thales Nederland Sr.Gerben Edelijn

Em seguida, nos foi apresentada a gama de produtos que a empresa produz e suas aplicações junto aos vários clientes pelo mundo, com experiência em mais de 40 Marinhas, ao londo quase cem anos (desde 1922). O Sr. Pim Van Wensveen, Consultor Sênior para Sistemas Navais da Thales, passou a abordar os diferentes tipos de sistemas navais que a Thales possui, e vamos passar aos nossos leitores o que vimos em nossa visita.

A evolução dos sistemas de combate naval, evoluíram de uma forma muito rápida nos últimos anos e a Thales, como líder na integração de Sistemas de Combate Navais, acompanhou de perto o mercado, percebendo as necessidades de seus clientes e desenvolveu diferentes tipos de radares.

Sobre o mar e sobre a terra, as missões estão se tornando mais complexas, em ambientes muito densos e numa variedade enorme de cenários. Estas ameaças exigem que os Estados se prontifiquem para ter um melhor controle de suas fronteiras e em suas costas, tornando suas Forças Armadas mais versáteis, mais flexíveis e mais ágeis.

Pim-Van-Wensveen

Consultor Sênior para Sistemas Navais da Thales Sr. Pim Van Wensveen abrindo a apresentação

Atualmente 52 países optaram por usar equipamentos Thales, usufruindo do expertise da empresa na integração de múltiplas tecnologias. Cada cliente possui necessidades próprias (cenário operacional, meios, transferência de tecnologia e parceria industrial), e para cada uma, a Thales tem um produto no estado da arte.

No Brasil, a Omnisys é o hub de tecnologia da Thales para introduzir estes sistemas para o mercado brasileiro, oferecendo apoio a longo prazo, mas, a Thales está aberta para projetos com qualquer outra indústria brasileira capacitada.

A Thales possui um portfólio amplo de radares para atender as necessidades dos clientes como mostraremos a seguir. Porém, antes vamos especificar os tipos de bandas em que os radares atuam.

Os diferentes tipos de Banda – (Military Standard)

bandas

– A banda L para longa distância;

– A banda S para longa e média distância;

– A banda C para média distância;

– A banda X para média e curta distância (<50-100km) e com alta resolução e;

– As bandas Ku, K e Ka para acompanhamento e guiagem a curta distância (<50Km).

Apesar dessa diversidade, os fenômenos físicos e atmosféricos influem bastante nos resultados.

thales-radares-portfólio

Radar AESA 3D SMART-L EWC

O SMART-L Capability Early Warning (EWC) é um radar multifeixe 3D, que foi projetado para fornecer vigilância de longo alcance e designação de alvos no ar e na superfície. Ele é um radar de varredura eletrônica ativa (AESA), controlado digitalmente. Concebido com tecnologia de ponta, o SMART-L é um radar com um desempenho de longo alcance incomparável com alcance de 2.000 km. Dentro desta gama enorme ele é capaz de detectar uma ampla gama de alvos furtivos e mísseis balísticos (BMD).

Smart-L

Radar Smart-L na torre de testes da Thales em Hengelo-NL

Vantagens

Em sistemas de radar tradicionais a funcionalidade continua inalterada durante sua vida útil. E é ai que surge uma das muitas vantagens do SMART-L EWC,  pois ele é um radar AESA programável que pode ser facilmente atualizado e preparado para futuras ameaças. Os recursos adicionais podem ser introduzidos durante a vida de acordo com as necessidades do cliente. Isso o torna pronto para o futuro, com a Thales sempre na vanguarda.

Principais características

• Tecnologia AESA L-band;
• eixo duplo multi-feixe com instantânea mono-pulso como a precisão em azimute e elevação;
• Extensão de processamento de Longo Alcance;
• processamento instantâneo Doppler para toda a gama, cobertura de azimute e elevação;
• Comprovado conceito BMD – Ballistic Missile Defence;
• Ampla cobertura de elevação com iniciação rápida e rastreamento ativo;
• Dedicado técnicas ECCM, supressão Multipath usando vigas sob o horizonte;
• Adequado para uso naval, bem como em aplicações terrestres.

HNLMS-Tromp-(F-803)

HNLMS Tromp-(F-803) equipada com o radar AESA 3D SMART-L EWC

O SMART-L EWC detecta alvos como mísseis balísticos independentemente. Após o início do fast track, o alvo balístico é mantido até o zênite. O alcance de detecção de mísseis balísticos é significativamente melhorado através de forward/backward scanning, mantendo os modos que proporcionam maior tempo de observação.

O SMART-L equipa as fragatas de defesa aérea holandesas, alemãs, o LPD coreano e está sob contrato para navios da Marinha dinamarquesa. Um derivado do SMART-L, o S1850M, equipa os destroyers Type 45 da Royal Navy, os destroyers da classe Horizon, franceses e italianos, e irá equipar os novos porta-aviões britânicos da classe Queen Elizabeth.

Active Phased Array Radar – Multifunction “APAR” 

Primeiro radar multifuncional verdadeiro do mundo (operando em Banda X), o APAR fornece os recursos necessários para as ameaças de mísseis modernos anti-navio, sendo capaz de executar várias tarefas ao mesmo tempo, como detecção automática e rastreamento de alvos de baixa altitude (mísseis seaskimmers), detecção e acompanhamento de alvos aéreos com o apoio e orientação de uma gama muito ampla de mísseis. Foi especialmente concebido para lidar com as exigências de orientação terminal (ICWI) do SM-2 e mísseis ESSM.

O APAR é capaz de orientar vários mísseis simultaneamente (200 alvos aéreos até 150km e 150 alvos de superfície até 32km), ante várias ameaças. Esta capacidade única tem sido demonstrada em vários ensaios ao vivo.

APAR

Radar APAR da fragata HNLMS De Zeven Provicien

A antena APAR consiste de quatro matrizes, cada matriz composta de mais de 3.000 minúsculos elementos de transmissão/recepção – T/R. A combinação de módulos T/R em uma matriz pode gerar feixes estreitos que podem ser apontados em qualquer direção dentro de um cone de cerca de 120º de azimute e 70º de elevação. Combinadas, as quatro matrizes cobrem 360º. Mudar de um feixe para outro, pode ser feito rapidamente. O uso de tantos módulos T/R dá a este radar uma performance única e alta disponibilidade operacional.

A agilidade do APAR, garante um alto desempenho nas condições mais adversas, sob severas medidas de proteção eletrônicas, e é muito útil para a recolher informações mais específicas sobre alvos detectados.

O APAR está operacional nas quatro fragatas da classe De Zeven Provincien da Marinha Real Holandesa, nas três fragatas da classe Sachsen da Marinha Alemã e nas três fragatas da classe Iver Huitfeldt  da Marinha Dinamarquesa.

F 219 Sachsen     fragata-De-Zeven-Provicien     Iver Huitfeldt

O APAR também realiza Search Cued (busca usando dados provenientes de um outro sensor), fornecendo suporte para o canhão do navio, orienta os mísseis usando a técnica Interrupted Continuous Wave Illumination (ICWI), permitindo, assim, a orientação radar de 32 mísseis semi-ativos teleguiados em vôo simultaneamente, incluindo 16 na fase de orientação para o alvo.

Com seu inovador Counter-Countermeasures (ECCM), o APAR é o par perfeito para trabalhar com o radar SMART-L EWC.

Ambos, SMART-L EWC e o APAR, são sistemas que a Thales está oferecendo para o futuro Escolta do programa PROSUPER da Marinha do Brasil.

AESA 3D radar “NS100”

Este é o novo radar 3D naval da Thales, que é basicamente um multi-sensor, e já está em produção com vários contratos. O NS 100 3D é da nova geração de radares de vigilância radar naval operando em Banda S, ar e superfície, que utiliza o sistema de varredura eletrônica ativa, AESA combinando uma antena e um eixo duplo de processamento multi-feixe. Este novo conceito permite a detecção simultânea de uma enorme variedade de alvos em um único modo. Os feixes de detecção são simultaneamente posicionado na elevação, bem como em direção ao azimute.

NS-100-3D

Radar AESA NS 100 3D

Devido as novas capacidades multi-missão, a vigilância com o NS100 é reforçada para a defesa anti-pirataria, detecção de VANTs (UAVs), e  controle para mísseis ativos. Estes diferentes tipos de alvos exigem diferentes perfomances do radar, pois caças exigem detecção de longo alcance, mísseis em mergulho, exigem cobertura elevação, mísseis anti-navio (seaskimmers), requerem tempo de reação rápida, helicópteros hoverando exigem informação espectral, e os VANTs são pequenos e lentos e requerendo uma boa supressão.

O NS100 detecta essa ampla variedade de alvos em um modo único, porque nunca se pode ter certeza sobre o tipo de ameaça que será encontrada. Isto pode ser realizado por causa de seu processamento através do feixe digital múltiplo com os dois eixos (Dual Axis Multi-beam), explorando a pleno a capacidade AESA de digitalização para frente e para trás na formação do feixe.

Além da antena interrogador IFF, o NS100 é projetado para integrar com a antena Scout Mk3 FMCW (Real Low Probability of Intercept -LPI), uma câmera IR, receptor AIS e antenas ADS-B. Esta solução integrada permite a montagem de vários sensores criando um maior nível de integração a bordo do navio. Posicionar todos os sensores em uma única plataforma, e na melhor posição (Topside), otimiza o campo de vista global e o desempenho do sensor. Também questões relacionadas a interferências, são resolvidos pela solução integrada do sensor múltiplo.

Capacidade única de desempenho escalável

O desempenho do NS100 pode ser escalado, acrescentando elementos transmissores para atender às diversas exigências e necessidades operacionais das marinhas de guerra em todo o mundo. O mesmo radar básico pode ser otimizado para diferentes classes de navios, levando a vantagens logísticas inteligentes. Além disso, a arquitetura flexível do radar, permite a introdução durante sua vida útil, de novas capacidades, preparando o radar para o futuro.

Radar Multi-beam 3D “SMART-S Mk2“

Com características de médio e longo alcance, o radar SMART-S Mk2, é o mais recente radar de feixe múltiplo 3D da Thales. Este radar opera na banda S e é otimizado para a designação de vigilância as alvos de médio-longo alcance em ambientes litorâneos.

SMART-S Mk2 3D-1

Linha de produção do radar SMART-S Mk2 3D

O SMART-S Mk2 foi projetado ter operar com alto desempenho, mísseis terra-ar (SAM), como o ESSM ou Sea Ceptor. Ele é extremamente adequado como o principal radar de vigilância aérea e de superfície (Busca Combinada), para fragatas leves, corvetas, OPVs e navios, tais como Landing Platform Docks(LPD).

O SMART-S Mk2 3D poderia vir a equipar, caso a Marinha do Brasil crie um programa de modernização de seus meios atuais, tanto as fragatas da classe Niterói, a corveta Barroso e até mesmo o NAe São Paulo.

SMART-S

Radar SMART-S montado na superestrutura de uma Corveta da Indonésia

Com seus dois modos principais, na faixa de 250 km, com modo especial para helicóptero de fácil instalação, alta confiabilidade e fácil manutenção, o SMART-S Mk2 é mais uma vez, um passo em frente no desenvolvimento de radares. Este radar da Thales é muito bem sucedido. Atualmente mais de 60 sistemas foram vendidos para 15 marinhas diferentes e integrados em 6 diferentes CMSs. Eles serão instalados em novos navios, bem como sobre os navios mais antigos que estão sendo modernizados, como por exemplo a classe Almirante Padilla da Armada da Colômbia.

Radar 3 em 1 “VARIANT”

Com o marketing “3 pelo preço de 1”, o radar naval VARIANT, é um moderno e eficiente sensor de vigilância e de indicação de destino para os navios de guerra, operando tanto em águas azuis quanto em águas marrons.

VARIANT é um radar espetacular para os navios que operam em um ambiente como o descrito. É um radar estabilizado, de vigilância 2D de ar e de superfície (Busca Combinada), plus radial speed, com dois transceptores e duas antenas diferentes e superpostas:

Variant-2D

Radar VARIANT 2D

– Um transceptor principal, de dupla banda C&X doppler pulsado, fornece cobertura aérea e de superfície.
– Um transceptor secundário do tipo FMCW (Frequência Modulada de Onda Contínua), que oferece uma verdadeira cobertura de superfície com Baixa Probabilidade de Interceptação (LPI), com menos do que 3,5Watt de potência de saída, permitindo que o navio realize operações secretas. Sendo capaz de operar em intervalos de menos de 15 metros na orientação do helicóptero orgânico do navio quando houver baixa visibilidade, tornando-se um recurso adicional.

Além disso, uma antena IFF está montada na parte traseira das duas antenas superpostas.

• Banda dupla que é extremamente eficiente contra múltiplos caminhos, dutos e interferências eletrônicas.
• Processamento de Pulso-Doppler assegura baixa taxa de falsos acompanhamentos de alvos no mar aberto e em áreas litorâneas.
• Redundância avançada; importante para missões de longo tempo no mar.

No contexto da Amazônia Azul, encontram-se atividades diversas tais como comércio marítimo, produção e prospecção de petróleo e gás natural, pesca e turismo marítimo. Tais atividades demandam às Forças Armadas uma capacidade de vigilância de extensas áreas marítimas. Radares de navios de guerra devem ser capazes de visualizar todos os tipos de embarcações comerciais, que vão de navios petroleiros a pequenas embarcações pesqueiras, pequenas aeronaves e helicópteros. As distâncias são substanciais, de modo que os navios necessitam permanecer no mar por longo tempo, o que exige equipamentos confiáveis.

Guaicamacuto

OPV classe Guaicamacuto, como radar VARIANT e o radar de direção de tiro STIR 1.2 EO Mk2

O VARIANT está em produção de larga escala e tem um histórico comprovado dentro de 10 Marinhas diferentes, incluindo aquelas que operam em ambientes tropicais como o Brasil. É utilizado em diversos tipos de navios, desde pequenos navios da guarda costeira como o NP500 da Marinha do Brasil, até em navios alto valor de apoio logístico, que também podem ser capazes de executar missões autonomamente, como o NDCC Almirante Sabóia.

Como os outros radares oferecido no Brasil, a Thales tem a intenção de transferir o ‘know-how’ e o ‘know-why’ do VARIANT para a indústria brasileira, de modo a aumentar a autonomia das operações no Brasil e obter tempos de respostas de curto prazo às solicitações de apoio logístico.

O VARIANT, juntamente com outros radares de vigilância como SMART-S Mk2, pode ser considerado como uma solução versátil e de baixo risco para os atuais e futuros navios da Marinha do Brasil, e terá suporte por muitos anos, face a grande base instalada no país.

Radar de Direção de Tiro “STIR 1.2 EO Mk2”

O STIR 1.2 EO Mk2 é o mais recente radar de direção de tiro da Thales. Sua alta confiabilidade (é o único radar diretor de tiro no mundo com transmissores solid state), e excelente capacidade de detecção de alvo stealth (detecção minima de alvo em um ambiente litorâneo ou de mar aberto tem um RCS de apenas 0.001 m2), que torna uma excelente opção para completar sistemas de vigilância como o NS 100 3D, o SMART-S Mk2 3D e o VARIANT 2D.

STIR-1.2-EO-Mk2

Radar diretor de tiro STIR 1.2 EO Mk2

Os transmissores em solid state garantem a alta confiabilidade (high ‘MTBF’). Um conjunto completo eletro-ótico EO, complementa o radar de banda dupla (X&Ka), com um desempenho ideal em ambientes litorâneos e ECM exigente.

A faixa dinâmica alta dos receptores de baixo ruído em combinação com processamento avançado Doppler coerente assegurar a detecção de alvos furtivos na desordem pesado.

As capacidades ECCM são reforçadas pelo uso exclusivo de um radar de banda dupla. Jammers de banda Ka são raros e não muito eficazes devido à atenuação atmosférica. Um conjunto completo EO complementa o radar.

Um total de 41 sistemas foram contratados por 11 Marinhas diferentes.

Stir-1.2

O uso de radar na banda K, com seu pequeno beamwidth, reduz muito os erros de baixa elevação. O STIR 1.2 EO Mk2 , possui iluminação CW opcional para orientação de ESSM, com cobertura stealth reduzindo o RCS, além de ser de fácil manutenção através de testes Built-In, e reparo por substituição.

E aqui termina a primeira parte de nossa visita a sede da Thales Nederland, na cidade de Hengelo. Na segunda parte de nossa visita iremos abordar as características do sistema I-MAST, vamos falar da provável utilização do radar de vigilância marítima e de superfície SEAKER na Olimpíadas do Rio 2016 e do sistema de intercomunicação entre veículos SOTAS, já utilizado pelo Exército Brasileiro. Até lá!

 

5 Comments

 

  1. 12/04/2015  14:24 by KLEBER CSERNIK

    Muito boa , mais muito boa mesmo a matéria , ai se o nosso Brasil tivesse vontade politica de investir , pois na atual carruagem vamos exportar somente soja , algodão etc e etc .E nunca produtos manufaturados , que é isso que gera emprego de qualidade .

    BRASIL ACIMA DE TUDO

  2. 12/04/2015  15:34 by Roberto

    Alto nível da matéria, parabéns !

  3. 12/04/2015  20:12 by Bosco

    A matéria ficou ótima, só o título é que dificulta posterior pesquisa.

  4. 12/04/2015  20:33 by Luiz Padilha

    Não há como agradar a todos, mas acho que está bem claro, de qualquer forma troquei.

  5. 13/04/2015  10:50 by raphael

    alto nivel! conheço muito a holanda, morei 4 anos neste pais, eu torço para que esses radares sejam empregados ns MB e futuramente nossa industria consiga desenvolver, nao sei como anda o SABER 200, nem a versao embarcada deste, sei que é muito pesado, mas tem um poder computacional absurdo.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.