O ministro da Defesa, Raul Jungmann, seguiu pra Linköping, a 174 quilômetros de Estocolmo, para conhecer a fábrica da SAAB onde está sendo produzindo o novo caça brasileiro, o Gripen NG.

Durante a visita, o ministro assistiu a uma apresentação do JAS39 Gripen, utilizado pela Força Aérea Sueca, nas versões C e D, e reforçou a importância do diálogo bilateral com o país nórdico: “Estamos aqui para tratar da parceria estratégica Brasil e Suécia, que vai representar um salto em termos de desenvolvimento de aviônicos, de aviação e evidentemente para a nossa Embraer. É uma parceria voltada para o desenvolvimento tecnológico e para a garantia da soberania brasileira” explicou Jungmann.

A cooperação com a Suécia deverá beneficiar não somente as fornecedoras de equipamento para a produção do caça, mas também outras áreas das economias dos dois países, além de uma série de possibilidades de acordos compensatórios (offset), que permitirão a transferência de tecnologia.

Em entrevista para a Agência da Força Aérea, o presidente da Saab, Håkan Buskhe, falou da parceria com Brasil: “A FAB tem uma grande e rica experiência operacional e suas demandas únicas, como, por exemplo, a aviônica avançada e novos sistemas de armamentos que serão introduzidos ao Gripen NG, vão aumentar ainda mais as capacidades aeronáuticas. Particularmente, a FAB é o primeiro cliente da configuração de assento biplace do Gripen NG. Essa versão vai ser usada em um número de missões e aplicações em cenários operacionais complexos e já está atraindo bastante a atenção de clientes potenciais”.

O novo caça da FAB

Com precisas armas teleguiadas, o Gripen NG pode atacar e destruir alvos aéreos, marítimos e terrestres, 24 horas por dia, em qualquer condição meteorológica.

Produção Brasileira e Transferência de Tecnologia

O compromisso assumido com o setor aeroespacial brasileiro inclui a opção de fabricar peças e conjuntos do Gripen NG, bem como a montagem final da aeronave no Brasil. Além disso, a cooperação com indústrias brasileiras no estabelecimento de um centro de manutenção da aeronave no Brasil irá garantir uma futura autonomia nacional.

Desde de 2015, engenheiros brasileiros participam de intercâmbio na SAAB. Ao todo, 350 profissionais serão enviados para cumprir programas direcionados a diferentes áreas de desenvolvimento, totalizando cerca de 25 mil horas de treinamentos teóricos e práticos.

FONTE e FOTO: MD

 

2 Comments

 

  1. 19/06/2017  20:26 by Marcos

    Eu não vou com a cara desse Ministro, tem jeito de arrogante e prepotente e que é assim toma decisões autoritárias e muitas vezes equivocadas. Se ele é eu não sei mas é a imagem que passa ao publico no caso eu.

  2. 19/06/2017  21:00 by Guilherme Wiltgen

    Marcos,
    Entre o final do ano passado e o início desse mês, eu estive três vezes com o MD e, nessas oportunidades, ele foi extremamente simpático e atencioso.
    E o mais importante, se mostrou muito atento às necessidades das Forças, além de me falar que acompanha o trabalho do DAN.
    Abs,

Leave a reply

 

Your email address will not be published.