Rio de Janeiro, 23/08/2012 – A Marinha do Brasil celebrou, na manhã desta quinta-feira, a assinatura de termo de transferência de subordinação de quatro helicópteros SeaHawk (MH-16), para serem incorporados ao Primeiro Esquadrão de Helicópteros Anti-Submarinos da força naval.

Dois deles foram apresentados em cerimônia realizada hoje, na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (RJ) – um em sobrevoo e outro no pátio. As demais unidades chegarão ainda este ano. Até 2014, mais duas aeronaves do mesmo modelo serão recebidas, totalizando seis novos SeaHawk para a Marinha.

Fabricados pela empresa americana Sikorsky, os Seahawks são aptos para missões costeiras e oceânicas. Possuem sistema de abastecimento que permite 5 horas ininterruptas de voo, podendo atingir velocidade máxima de 160 nós (o equivalente a mais de 290 km/h).

A assinatura de incorporação dos helicópteros foi acompanhada pelo ministro da Defesa, Celso Amorim. Segundo ele, a nova aquisição vai ajudar a modernizar a Marinha e a proteger a região marítima do país.As aeronaves são também equipadas com sensores de última geração, metralhadora lateral, torpedos anti-submarino e míssil anti-navio.

“Não podemos nos descuidar de nossas riquezas, entre as quais o pré-sal”, afirmou.

Os helicópteros serão usados na vigilância da chamada “Amazônia Azul”, em atividades de detecção, localização, acompanhamento, identificação e ataque a submarinos e alvos de superfície, além de ações de busca e salvamento. Eles vão substituir os Seaking (SH-3A/B), usados por mais de 40 anos pela Aviação Naval.

Em Ordem do Dia lida na solenidade, o diretor-geral do Material da Marinha, almirante-de-esquadra Arthur Pires Ramos, ressaltou que é um marco na história da Força adquirir equipamentos “mais modernos”, que representam significativo “avanço tecnológico”. Ele lembrou, ainda, que a compra faz parte do programa de reaparelhamento da Marinha.

Estiveram presentes ao evento, que comemorou também o 96° aniversário da aviação naval, o comandante da Marinha, almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto; o comandante de Operações Navais, almirante-de- esquadra Max Roffé Hirschfeld; o comandante da Força Aeronaval, contra- almirante Victor Cardoso Gomes; veteranos e demais autoridades civis e militares.

FONTE: MinDef

image_pdfimage_print

 

4 Comments

 

  1. 24/08/2012  10:30 by jcsleao

    É um bom começo. Penso, porém, que precisamos de pelo menos mais seis outros.

  2. 24/08/2012  15:05 by Luiz Padilha

    Calma amigo.
    A Marinha vai se reequipando do jeito que pode. Hoje temos 4 no Brasil e 2 para chegar. Existe a possibilidade da aquisição de mais 2 unidades. São negociações demoradas para que no final, tenhamos um produto desta qualidade que acabamos de receber.

  3. 24/08/2012  15:11 by jcsleao

    Concordo Padilha. Na verdade fui econômico no meu comentário. Na verdade sonho que o Prosuper ande e venham as benditas escoltas de 6.000t. Os MH-16 extras seriam para elas. Tá, eu sei, a escoltas, se vierem, vão demorar ainda. Mas sabe como é, o helicóptero é espetacular e a gente vai se entusiamando...

  4. 24/08/2012  15:14 by Luiz Padilha

    Mantenha seu entusiasmo em alta. Ok?

Leave a reply

 

Your email address will not be published.