No dia 8 de fevereiro, a Marinha do Brasil e a empresa Itaguaí Construções Navais encerraram o processo de transferência das seções do primeiro submarino convencional, o “Riachuelo” (S40), para o Estaleiro de Construção do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub), localizado no Complexo Naval de Itaguaí, Rio de Janeiro (RJ).

Em 14 de janeiro, as seções de vante (S4, S3 e 2B) já integradas, pesando 619 toneladas, com 39,86 metros de comprimento e 12,30 metros de altura foram transportadas por um veículo especial de 320 rodas, por um trajeto com cerca de cinco quilômetros, percorrido em 11 horas. A segunda seção (2A), com 370 toneladas e 18 metros de comprimento, foi transferida em 4 horas, no dia 4 de fevereiro. A última seção (S1), com aproximadamente 190 toneladas e 14 metros de comprimento, teve sua movimentação concluída no dia 8 de fevereiro, em 3 horas.

O processo exigiu um planejamento de meses que incluiu, entre outras ações, a adequação de trechos da rede elétrica em relação à seção de maior altura e interrupções pontuais do tráfego na BR-493.

A entrega de todas as seções no Estaleiro representa o início de uma nova fase na construção. A integração das seções e dos diversos sistemas e equipamentos permitirão o lançamento ao mar do Submarino “Riachuelo” no segundo semestre de 2018.

FONTE: MB



image_pdfimage_print

 

20 Comments

 

  1. 10/02/2018  16:03 by jefferson Responder

    como esta então o s-br 2 e o s-br3 no que se refere as seções de junção

  2. 09/02/2018  14:58 by Andre Responder

    Bem grande o menino! Ainda tem aquele costume de se tirar fotos de submarinos de qualquer jeito mas vou parar de falar sobre isso: dois dedos de espaço na parte da esquerda e a proa forçada para não sair. Mesmo com a seção S1 separada já é possível ter uma noção do tamanho do submarino, tanto em sua extensão como em sua altura tendo como parâmetro o tamanho dessas pessoas que passam ao lado dele. Fico feliz de ver finalmente esse estágio do submarino.

  3. 09/02/2018  14:06 by Bruno.Aguiar.Med Responder

    Falta pouco! Não vejo a hora dele ser lançado a água. Espero que tudo dê certo.

  4. 09/02/2018  12:40 by André Castro Responder

    Mas em deslocamento submerso, se eu não me engano, o submarino enche os tanques de lastro para submergir, dai a diferença de peso de 1870t para 2000t, não sei se seria isso, mas é o que me pareceu mais lógico.

  5. 09/02/2018  12:13 by ALEX TIAGO Responder

    Obrigado Padilha. Mesmo assim ainda tenho duvidas combustivel e armamento e tripulacao mais alimentacao entre outros chegaria ai entre 700 e 800 toneladas é apenas duvidas.

    • 09/02/2018  12:16 by Luiz Padilha Responder

      É a diferença entre estar na superfície e estar imerso. 1.870 contra 2.000

  6. 09/02/2018  11:01 by Augusto Responder

    Agora, sim, dá para ver que é enorme o bicho! Contando os meses para vê-lo no mar.

    • 09/02/2018  14:46 by Andre Responder

      O Brasil não é banhado pelo mar!

      • 09/02/2018  15:05 by augusto Responder

        Putz...

        • 09/02/2018  17:20 by Andre Responder

          Defina "putz"!

          Augusto, não estou te criticando não rsrsrs só quero que as pessoas tenham consciência dessa importância de que mar e oceano são diferentes, até para você não ser um maria vai com as outras repetindo as mesmas desinformações - apesar de que ao dizer mar acaba indo com as outras. Para você ter uma ideia é como se todas as pessoas achassem certo dizer "comprimentei" (até o sistema quer corrigir) achando que é o modo certo e não cumprimentei. Só isso! Não precisa entrar em pânico.

          Nossa! Não pode dar uma opinião que já vê defeito em tudo. Me critiquem também com argumentos aceitáveis que aceito mudar de opinião dependendo do caso, como por exemplo o uso de AIP que eu não aceitava, mas agora encaro como uma solução alternativa e intermediária em propulsão submarina.

          Valeu Augusto!

  7. 09/02/2018  10:54 by Pablo Responder

    Depois de sei lá quantos anos de atraso já estava mais do que na hora de ver um sub. Espero que não ocorra mais atrasos, principalmente no sub nuclear e nos navios classe tamandaré, o que menos precisamos é de atrasos nesse momento, nossa defesa não pode esperar mais, caso contrário ficará aos cacos (mais do que já está)

  8. 09/02/2018  10:30 by lincoln Responder

    Falta a helice do submarino.

    • 09/02/2018  10:36 by Luiz Padilha Responder

      rsrsrsrsrs isso é no final e ela não será mostrada, espero, pois cada marinha utiliza um tipo de hélice para justamente não dar vantagem aos "inimigos".

      • 09/02/2018  21:51 by Luciano Andrade Responder

        Padilha, meu amigo, vc quer que os 'do ramo' lhe afoguem? Em assuntos náuticos é "O" hélice, sou leigo, mas já levei 'porrada' por isso, rs. Abs.

        • 10/02/2018  12:59 by Luiz Padilha Responder

          Digitei do celular e o corretor é um inimigo cruel.

          • 10/02/2018  16:04 by Luciano Andrade Responder

            Fiz p/ zoar, rs. Abs.

    • 15/02/2018  17:16 by Gilberto Rezende Responder

      Em termos náuticos a palavra hélice é um substantivo MASCULINO.
      Portanto na MARINHA se diz O HÉLICE do navio... Ou neste caso o hélice do submarino.
      A hélice feminina é coisa de geometria e avião, de matemáticos civis e aviadores...

      Hélice Wikipédia

  9. 09/02/2018  10:14 by ALEX TIAGO Responder

    Alguém poderia me responder como é calculado o peso de um submarino??? Estou curioso porque calculei a tonelagens das 3 partes separadas e na teoria de leigo faltaria mais de 800 toneladas para bater as 2000 toneladas??????

    • 09/02/2018  10:38 by Luiz Padilha Responder

      2.000t deslocará quando ele estiver imerso e com tudo o mais dentro dele, incluso torpedos, misseis, tripulação, combustível e etc.

    • 09/02/2018  11:41 by Jr Responder

      Na realidade, segundo um slide da MB o S-BR terá 1870 toneladas e 71, 62 metros de comprimento

Leave a reply

 

Your email address will not be published.