damen_anuncio

Por Luiz Padilha

destaqueCom a presença de grandes estaleiros expondo seus novos produtos e “muitos” conceitos, senti a falta de um que não se fez presente. Estou falando do Posco-Daewoo, que recentemente “teria fechado contrato com a Marinha do Brasil”, para construir 2 navios pelo preço de USD 1 bilhão. Isso foi desmentido pela MB e a ausência deste estaleiro na maior e mais importante exposição naval do mercado causou estranheza.

Mas vamos dar espaço para as empresas que se fizeram presentes.

O estaleiro DAMEN trouxe para a exposição seus produtos de maior sucesso e alguns conceitos. Com as vendas das corvetas classe SIGMA 9113 para a Marinha da Indonésia, que optou também pelas aquisição da nova fragata SIGMA 10514, o estaleiro DAMEN mostra capacidade em diversificar sua linha de produtos, atendendo as necessidades de seus clientes.

O DAMEN produz também o Ocean Patrol Vessel da classe Holland e o Stan Patrol 5009 de 500 toneladas, que pode receber uma canhão de 40mm na prôa e que atualmente está em construção no Equador, através de transferência de tecnologia, por um estaleiro local.

euronaval-2016-70       euronaval-2016-175

euronaval-2016-71

Saindo do stand do DAMEN, seguimos pela exposição e próximo ao stand da Ministério da Defesa da França, encontramos um helicóptero NH-90 NFH da Marine Nationale. Esta aeronave opera equipada com um sonar FLASH da Thales, mas nesta exibição ela estava sem ele a bordo, mas estava armada com um torpedo europeu MU90 Impact.

euronaval-2016-119

euronaval-2016-17     euronaval-2016-16     euronaval-2016-120

euronaval-2016-118     euronaval-2016-117     euronaval-2016-73

Ao lado da aeronave também haviam os dispensers com as sonobóias ativas e passivas, além de um dispositivo que ao ser lançado na água, permite que a aeronave se comunique com o submarino e um torpedo pesado F21 que irá equipar os nossos submarinos Scorpene.

euronaval-2016-14

euronaval-2016-19     euronaval-2016-21     euronaval-2016-20

euronaval-2016-116

Ao lado da aeronave, havia um blindado 8X8 Nexter VBCI do exército francês. Uma rápida passada pelo stand da Zodiac e um inflável Hurricane em destaque.

euronaval-2016-18     euronaval-2016-23     euronaval-2016-22

Um dos conceitos mais estranhos que observei, foi apresentado pelo estaleiro Fincantieri, com um mock-up em escala reduzida de uma superestrutura com um design bem estranho, para ser utilizada numa fragata designada pelo estaleiro como Multipurpose Offshore Patrol Ship.

euronaval-2016-90     euronaval-2016-1     euronaval-2016-4

euronaval-2016-3

Modelo do cockpit do futuro Mutipurpose Offshore Patrol Ship

Bem ao lado como na edição anterior estava o stand da MBDA, com seus produtos expostos. Os mísseis Aster 15, 30 e MdCN saindo de lançadores verticais, mais ao fundo o Sea Ceptor (CAAM), escolhido pela Marinha do Brasil para equipar as futuras corvetas classe Tamandaré e o MICA VLS.

euronaval-2016-86     euronaval-2016-80     euronaval-2016-82

Mas não haviam só estes, tinham o novo lançador Simbad RC que é o lançador dos mísseis Mistral, o míssil Brimstone Sea Spear e o míssil Sea Venon/ANL que poderá vir a ser o substituto dos Sea Skua utilizados pelos Super Linx da Marinha do Brasil. Os mísseis anti-navio Exocet MM40 Block 3 e Marte ER também estavam expostos no stand.

euronaval-2016-84     euronaval-2016-85     euronaval-2016-87

euronaval-2016-89

Míssil anti-navio Marte ER

No stand da Saab todos os dias foram de movimentação intensa entre o público em geral e os militares, pois a empresa apresentou um novo conceito de mastro integrado com os radares Sea Giraffe 1 (Banda X) e Sea Giraffe 4A (Banda S), trabalhando em conjunto, reduzindo de forma consistente a capacidade do inimigo em “jammear” os sistemas do navio.

euronaval-2016-124 euronaval-2016-123 euronaval-2016-122       euronaval-2016-162

euronaval-2016-13       euronaval-2016-10

Além dos radares, a Saab apresentou também seu sistema integrado de comunicações Tacticall, o novo ROV MuMNS e uma maquete de seu novíssimo submarino A-26 já em construção, que será pauta de matéria à ser publicada aqui no DAN em breve.

euronaval-2016-7

Falando em submarino, a Airbus DS Optronics Solution expôs seus periscópios e mastros optrônicos, como o SERO 400 e o SERO 250 que possui unidade de vídeo (VDU), unidade de controle do periscópio (PCU) e uma visão realística do quadro tático. Quatro países já encomendaram o SERO 250 (Colômbia, Peru, Coréia do Sul e Turquia).

euronaval-2016-33

euronaval-2016-32     euronaval-2016-31     euronaval-2016-29

CONTINUA……….

 

 

image_pdfimage_print

 

10 Comments

 

  1. 29/10/2016  1:00 by hamiltonpe

    porque o video ta privado?

  2. 29/10/2016  1:08 by Luiz Padilha

    Desculpe. Não está mais.

  3. 29/10/2016  9:52 by John Paul Jones

    Prezadoeditor, porque voce só comentou as empresas estrangeiras, a industria nacional estava presente e vc não ressaltou nada ....

  4. 29/10/2016  9:59 by Luiz Padilha

    Prezado leitor.

    Se você acompanhar o DAN, verá em http://www.defesaaereanaval.com.br/euronaval-2016-o-dan-esteve-presente/ que o espaço foi dado para as empresas brasileiras sim. Basta ficar mais atento. Abs

  5. 29/10/2016  13:15 by Carlos Franca

    Adoro ver essas maquetes de navios, dava pra fazer um ótimo nautimodelo RC! rss

  6. 29/10/2016  14:33 by Bardini

    Baita cobertura Padilha!
    .
    Será que aquele LST da DAMEN não seria uma opção para cobrir a baixa do Mattoso Maia?
    Ou a MB não pretende mais operar LSTs?
    .
    Aquele OPV dispensa comentários. Mas a 2ª geração é mais negócio.
    .
    A respeito do PPA, o bicho é realmente estranho. No final das contas, é uma espécia de fragata de patrulha...
    Me parece ir de encontro as propostas das outras marinhas europeias, de ter uma classe secundária, fazendo companhia assim para F-110, FTI e Type-31.

  7. 29/10/2016  14:46 by Luiz Padilha

    Obrigado. Sozinho e com dores na coluna, fazemos o possível. Como vc pode reparar, muitos conceitos. Perguntava aos expositores sobre os navios, tipo: Qual marinha utiliza? E a resposta era quase sempre: Estamos tentando vender nosso projeto.

    Ou seja, tudo o que vc viu ali, a maioria nem existe. Só no papel. rsrsrsrsrs

    Mas os sistemas de armas é diferente. A maioria testada e em operação nas marinhas pelo mundo.

    O PPA é um pesadelo. Feio de doer. A MB tem outras prioridades no momento e ainda não sei se o Mattoso continua ou não. Vamos aguardar.

  8. 29/10/2016  15:18 by Bardini

    É, no papel é bonito, vender, o que vende bem é aquela linha de patrulha menor ali.
    .
    Comenta-se que o OPV 1800 tem boas chances com os Australianos.

  9. 29/10/2016  20:38 by Topol

    Mistral RC é bem interessante... pode ser usado não apenas em navios mais também em viaturas, seria uma boa opção para o Brasil adaptar em seus navios e também em algumas viaturas Guarani...

    Brimstone Sea Spear também tinha espaço por aqui, seria um belo reforço...

    No mais, apenas exercício de imaginação, fazer o que...

  10. 29/10/2016  23:25 by jairo

    Por favor uma matéria sobre o novo LHD da Fincantieri e tbm o novo navio logistico italiano!!!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.