PROCESSO: PO nº 1600005 – Gab Cmt Ex
EB: 64536.001331/2018-39
ASSUNTO: autorização para assinatura do Complemento nº 6 à Carta de Oferta e Aceitação referente à linha de fornecimento BR-B-UUG, objetivando a utilização de saldo remanescente para o fornecimento de peças de reposição, visando à modernização de 150 (cento e cinquenta) Viaturas Blindadas de Transporte de Pessoal M113BR, por meio do programa Foreign Military Sales (FMS).



COMANDO LOGÍSTICO
1. Processo originado no Comando Logístico, por meio do DIEx nº 321-Seç CLIX Bld/ S Dir Mat/DMAT, de 13 de dezembro de 2017, com a finalidade de obter autorização para a assinatura, pelo Chefe da Comissão do Exército Brasileiro em Washington, em nome do Exército Brasileiro, do Complemento nº 6 à Carta de Oferta e Aceitação referente à linha de fornecimento BR-B-UUG (Letter of Offer And Acceptance BR-B-UUG), para a utilização de saldo remanescente para o fornecimento de peças de reposição, visando à modernização de 150 (cento e cinquenta) Viaturas Blindadas de Transporte de Pessoal M113BR, por meio do programa Foreign Military Sales (FMS).

Sobre a modernização das VBTP M113 no Exército Brasileiro

O Projeto de Modernização, da VBTP M113B para a versão M113 BR, teve início em 2012, por meio de acordo internacional, via programa Foreign Military Sales (FMS) entre os Governos do Brasil e dos Estados Unidos da América, com a participação da empresa BAE Systems. A primeira medida adotada pelo Pq R Mnt/5 foi a preparação da linha de produção para que fosse modernizada a viatura protótipo; em seguida, essa viatura seguiu para o Centro de Avaliações do Exército (CAEx), onde foi submetida a diversos testes em concordância com as Normas do Exército Brasileiro (NEB), bem como algumas normas internacionais. Na sequência, produziu-se um lote-piloto, que foi apreciado e aprovado por aquele Centro.

A produção seriada foi efetivamente iniciada em 2013, com a primeira fase, correspondente ao primeiro contrato via FMS, o qual se encerrou em 2015 e foi responsável pela modernização de 150 viaturas. Hoje, está em andamento a segunda fase, relativa ao segundo contrato de mesma natureza, com previsão de encerramento em 2019, contemplando outras 236 viaturas. O possível terceiro contrato ainda se encontra em fase de estudo pelo Estado-Maior do Exército e pelo Comando Logístico.

Nesse processo de modernização, a VBTP M113 BR recebe outro conjunto de força e um reforço na suspensão, além de alterações de sistemas e componentes que permitem suportar a potência adicional de cerca de 90cv, característica técnica desejável para acompanhar a Viatura Blindada de Combate Carro de Combate (VBCCC) Leopard 1A5 BR, em uma Força-Tarefa. O Projeto conta, ainda, com modificações no Sistema de Comunicações, através da adoção do equipamento rádio FALCON III e do Intercom SOTAS.



image_pdfimage_print

 

14 Comments

 

  1. 15/02/2018  17:19 by LM Responder

    Bom dia pessoal, eu acho que o Exército Brasileiro precisa urgente ter uns ou muitos do Blindado Bradley. Quem sabe se os EUA estão abertos para negociar via FMS ? Um grande abraço

  2. 15/02/2018  13:10 by jose luiz esposito Responder

    Adriano Correia mas outra vez tenho que ler isto, nosso TEATRO se for Teatro de Humor Negro , o nosso e qualquer TEATRO , depende dos MEIOS do INIMIGO , e não dos nossos Meios . Quem pensa ser o nosso INIMIGO ? Espero que não aponte os nossos vizinhos , amigos ,irmãos com a mesma formação nossa , neste caso estas fazendo apenas uma suposição errada e pensando nossas FFAA para brincar de guerra , todos sabemos quem é o nosso provável inimigo e seus aliados Capachos , que já vêm a anos trabalhando e amaciando nossa população , para que no Futuro possam tomar nossas riquezas , para isto usam suas ONGs CAVALOS DE TROIA , Creio que agora já percebeste quem deverá ser o nosso ou nossos INIMIGO(S) .
    Porém mais dinheiro gasto nestes M!113 logo quando pensava em uma nova fabrica de Panelas de Alumínio , é para o que servem estas Sucatas de Alumínio , em Itália estão sendo usados em Fábricas de Bicicletas !!

  3. 15/02/2018  0:01 by Esteves Responder

    Nelson Jobim instalou a Wegmann em Santa Maria para montar e vender os Leopards aqui. O lobby incluía a modernização dos M113.

    O conjunto mecânico e o ponto mais fraco do blindado. Ainda utiliza motores Detroit diesel 2 tempos. São bem antigos. O post não informa qual o novo trem de força do blindado. Deveria ser MWM já que também são alemães e temos unidades da empresa no Brasil.

    Provávelmente, pelo problema da propriedade industrial da BAE Systems e de custos, está sendo feito fora.

  4. 14/02/2018  23:34 by LucianoSR71 Responder

    Pessoal, tá no texto que isso é via FMS, ou seja condições financeiras especiais ( preço e juros ).

  5. 14/02/2018  22:32 by Wellington Responder

    Esqueceram que o M113 é patenteado pela BA Systems?

    • 14/02/2018  22:34 by Wellington Responder

      BAE Systems

    • 14/02/2018  23:16 by César Pereira Responder

      O M113 pode até ser patenteado,mas isso não impede que a modernização seja feita por outra empresa, Não estamos nos apoderando do projeto ! Grande abraço !

    • 15/02/2018  11:06 by Jr Responder

      E daí que é patenteado pela Bae Systems????? O EB não fez um acordo com a determinada empresa via FMS para fazer os trabalhos aqui?????? Pois bem, então se a determinada empresa não só permitiu, como ajudou o EB fazer os trabalhos aqui, qual é o ponto da sua reclamação?

  6. 14/02/2018  22:29 by mf Responder

    Com isso quase todos os M-113 do exercito serão revitalizados, temos cerca de mais de 620 unidades, incluindo a versão de comando adquirida recentemente, é a saída mais econômica, assim como o lote adicional de 128 Leopard 1A5 que estão em negociação. A prioridade do EB são os blindados sobre rodas, não há dinheiro para investir com o mesmo vulto nos dois tipos.

    • 14/02/2018  22:41 by Wellington Responder

      Dinheiro há, mas nossos governantes não pensam assim. Já passou da hora do EB comprar uns Leopard 2A6 ou 2A7.

  7. 14/02/2018  22:23 by Adriano Corrêa Responder

    Para acompanhar o Leo 1A5 e esses M113BR, sería de boa lida o MADER 1A5. Na Alemanha tem bastante desses carros em deposito e eles podem nos entregar em bom funcionamento.

    Sei que há reclamações por serem carros antigos, mas para nosso teatro está bom, pois mais uns 200 Leopard 1A5 no EB é preciso.
    420 Leo 1A5BR + 500 M113BR + 200 MARDER1A5(BR) + 50 Geopard 1A5BR... Daria uma força sobre lagarta de bom tamanho. Para até missões expedicionárias da ONU. Pois pelas notícias me parece que a partir de 2018 usarão de maior força em suas missões, principalmente na África.

  8. 14/02/2018  20:01 by Tomcat3.7 Responder

    Mas as modernizaçoes estão sendo feitas aqui por pessoal do EB uai.

    • 14/02/2018  20:58 by César Pereira Responder

      Sim claro.mas a quê preço ? é seria necessário a participação estrangeira ? Creio que não, poderíamos dispensar a BAE System e esse convênio com os EUA, gerando tecnologias nacionais e INDEPENDÊNCIA , não há algo mais estratégico que a INDEPENDÊNCIA do saber fazer ! Grande abraço !

  9. 14/02/2018  18:56 by César Pereira Responder

    Poderíamos estar fazendo essas modernizações nós mesmos sem participação estrangeira, quem quiser conhecer o protótipo do M113-T desenvolvido em Santa Maria no RS,basta procurar no Youtube por ''Protótipo do blindado M113 - Santamariense'' . No vídeo podemos ver como o projeto do M113-T poderia também abranger o Cascavel e também o Urutu , mas como sempre os lobbys e os interesses escusos se apresentaram novamente para atrasar esse país !

Leave a reply

 

Your email address will not be published.