Quatro carros de combate M-109 com tubos, foram embarcados nos EUA e seguem para o Porto de Paranaguá, com previsão de chegada para 28 de fevereiro.

Paralelamente, a Artilharia Divisionária da 5 Região Militar (AD/5) está coordenando um estágio de equipes técnicas para a preparação dos M-109.

FONTE: Twitter Gen Theophilo

 

22 Comments

 

  1. 16/02/2018  12:04 by mf Responder

    Deveremos ter 32 M-109A5+ (modernizados) e 40 M-109A5 ativos, mobiliando os 5 grupos AP e 4 unidades para instrução, totalizando 72.

    Os demais M-109A5 doados (são 100 doados no total) e os menos modernos M-109A3 atualmente em serviço deverão servir como fonte de peças para os da ativa, não creio que o A3 ficará na ativa se os A5 são mais modernos e estão vindo em bom estado, basta fazer uma revisão geral. Os M-108 vão virar ferro velho mesmo.

    Além disso 40 blindados remuniciadores e armados com metralhadoras deverão dar apoio, também foram doados.

    Tempos atrás os EUA já tinham doado 50 blindados da famlia M-113, 34 na versão de comando e controle, 12 na versão A2, e 4 na versão de resgate.

  2. 09/02/2018  1:47 by mf Responder

    Apenas retificando o colega, todos os ASTROS são na versão Mk.6, a alcunha de ASTROS 2020 é mais o nome do projeto, os ASTROS mais antigos estão ou já foram modernizados para o padrão Mk.6, que possibilitará que todos no futuro possam lançar o missel de 300km que está em desenvolvimento.

  3. 08/02/2018  18:49 by Leonardo Rodrigues Responder

    Se pensarmos em Artilharia estamos com uma defasagem enorme, mas ao mesmo tempo avançamos na aquisição de equipamento moderno. Temos antigos Mod 56 Oto Melara, M101, M114 Towed Howitzer todos da metade do século passado, no entanto já foram aposentando os M108 e serão substituídos pelos M109 A5( que não é um Paladim, mas merece créditos por sua modernidade e em geral atende as necessidade do EB), Temos o sistema astros Mk3, Mk¨6 e o futuro 2020, além dos L118 AR. Na artilharia AA temos o que há de melhor faltando a FAB assumir seu protagonismo na proteção de longo e médio alcance visto que há uma lacuna a se cobrir e possíveis parcerias a desenvolver ou uma contrapartida ao equilíbrio da balança comercial com a Russia com os S300/400 e o Pantsir. Acredito estarmos avançando ficando como sempre a FAB em sua constante indecisão ou pouca influência politica.

    • 08/02/2018  19:41 by Johan Responder

      Leonardo, se me permite uma correção, Astros 2020 é o programa enquanto o MK6 é o veículo do referido programa. Os canhões AA também precisariam de uma modernização ou substituição.

  4. 08/02/2018  10:07 by mf Responder

    temos 280 M-101 e 92 M-114, estas velharias precisam ser substituídas com urgência.

    artilharia antiaérea estamos bem para aquilo que se propões: defesa de ponto para baixa altitude (igla, rbs-70, gepard 1a2), ainda que os bofors e oerlikon sejam de versões já obsoletas destes canhões.

    • 08/02/2018  11:52 by Johan Responder

      Concordo plenamente mf, só acho errado a decisão que tomaram de deixar a AA de médio e longo alcance com a FAB, pois esta enrolou o meio de campo com o Pantsir. Depender só de caças para defesa aérea está longe de ser o ideal.

  5. 08/02/2018  3:58 by Fabio Aguiar Responder

    Só faltam uns L-119 e uns M-198 (uns = dezenas).

  6. 08/02/2018  1:08 by Esteves Responder

    Artilharia Auto Propulsada não é a mesma coisa que Auto Rebocada?

    Um obuseiro não é uma arma antiaérea. Atira para o alto, mas o alvo está em terra. O RBS e o Bosfors são armas antiaéreas. Os obuseiros são terra-terra. Os outros dois são terra-ar.

    A fragilidade maior está, penso, no alcance da defesa terra-ar. O EB comprou os Leopard1 A2 para os Jogos Olímpicos com alcance declarado de até 5 km. Aqui no DAN tem vídeo de exercício do EB com o Leopard1 A2 atirando contra o solo. Diferente do obuseiro, o blindado alemão atira em trajetória tensa como um tanque.

    Minha dúvida é: leio que não temos defesa terra-ar de médio e longo alcance. Nesse caso como se trata de defesa do espaço aéreo é atribuicao da FAB apresentar defesas terra-ar? Ou do EB já que as armas atiram do solo?

    • 08/02/2018  6:47 by Luiz Padilha Responder

      Defesa aérea de médio e longo alcance é uma atribuição da FAB.

    • 08/02/2018  9:46 by Johan Responder

      Esteves, retirei de um artigo "Artilharia no Brasil" da UFJF bastante elucidativo por sinal:
      "Quanto ao transporte a Artilharia de Campanha classifica-se em auto-rebocada, quando tracionada por viaturas e autopropulsada, montada permanentemente sobre reparo constituído pela própria viatura."

  7. 08/02/2018  0:16 by Johan Responder

    Dodo no meu comentário especifique de se tratar da artilharia AR (auto rebocada) mais precisamente os M101 e M114.

    • 08/02/2018  10:23 by Dodo Responder

      Canhoes de artilharia auto rebocada nao sao modificaveis como outras armas ao longo do tempo,pode ver pelos conflitos modernos como na siria ou na ucrania em que se utilizam artilharias projetadasa mais de 40 anos mas que continuam desempenhando um papel fundamental em campo de batalha. Repito artilharia rebocada avanca de maneira diferente a AP,MBT,AAA etc...Nao tem mto no que mexer

  8. 07/02/2018  19:36 by Julio Faria Responder

    E viva os EUA!!!!!! Já estamos bem armados para a guerra do Vietnan, antes estávamos bem preparados para a 2ª guerrra mundial, melhorou... Que venham os M-198 em quantidade!!! E Chinooks...

    • 07/02/2018  22:49 by Dodo Responder

      Por acaso o igla e o rbs 70 ou o saber m60 sao da guerra do vietnan ? Ou o astros 2020 etc...? Espirito de vira lata bateu forte ai em,nem parece que o brasil é o 17 em poder militar dos 195 paises analisados

    • 07/02/2018  23:53 by Adriano Corrêa Responder

      Julio Faria.

      Esses Obuses são bons tecnologicamente, o problema é quando houver uma crise no grau que aconteceu com a Argentina e agora com a Turquia,seremos igual a eles jogados a escanteio. Por não termos uma indústria bélica nacional de peso.

      Isso aí tmbm é o premio por termos desistido de nosso desenvolvimento de Lançadores e foguetes em detrimento a Washinton

  9. 07/02/2018  18:42 by Gerson Carvalho Responder

    Não temos só os AA IGLA S. Esqueceram os sistemas AA SAAB RBS70 inclusive compramos pacote completo com sumulador e tudo mais!

  10. 07/02/2018  18:26 by Gilbert Responder

    Na primeira foto aquelas caixas de metal são 4 torpedos que estão vindo juntos?

    • 07/02/2018  18:39 by Luiz Padilha Responder

      São os tubos/alma dos M-109.

  11. 07/02/2018  15:29 by JUNIOR Responder

    ARTILHARIA DE CAMPANHA ESTÁ OK, REALMENTE, COM UMA VÍRGULA PARA OS m 114 E OS oTO MELARA 105MM. Mas e a artilharia AAé? Vamos ficar com IGLAS/SABER M 60 para o resto da vida?

  12. 07/02/2018  14:48 by Johan Responder

    Bruno na questão da artilharia AP ficará muito bem com a chegada do A5, mas a artilharia AR estamos ainda com peças da época da II guerra mundial! Espero que surja alguma "compra" via FMS do M198.

    • 07/02/2018  22:45 by Dodo Responder

      Que armas da 2 guerra? O igla s ? O rbs 70 ? O oto mellara e o bosfors 40 mm ?

  13. 07/02/2018  13:21 by Bruno.Aguiar.Med Responder

    Quanto mais melhor kk. Acredito que no quesito artilharia o EB está bem.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.