Imagem-1-e-2-GripenNG-SAAB-Eng.Bras_.Trein_

Por Ivan Plavetz

De acordo com a SAAB, o primeiro grupo de engenheiros e técnicos brasileiros pertencentes à EMBRAER e AEL Sistemas iniciou, na semana passada, trabalhos nas unidades da companhia como parte do programa de transferência de tecnologias no âmbito do Projeto F-X2, que está sendo desenvolvido para suprir 36 aviões de combate Gripen NG para a Força Aérea Brasileira (FAB).

Seguindo o conceito “on-the-job training”, o treinamento do grupo está focado na concepção estrutural e nos sistemas gerais da aeronave (aviônicos, software, sensores, sistemas veiculares e armas), bem como na produção, testes e verificações, manutenção e vistoria. Tudo para que seja dada uma base à compreensão geral da plataforma do Gripen NG e da filosofia de design e metodologia. Em uma fase posterior, o treinamento será focado na integração dos sistemas e da concepção global, gerando capacitação para integração de armas e sensores, por exemplo. Treinamento concentrado no design conceitual para futuros sistemas da aeronave também será parte de um próximo estágio.

Os treinamentos agora iniciados têm o seguinte formato:

– Cursos gerais sobre a empresa, o produto e os processos de trabalho.

– Cursos específicos sobre o produto/sistema e sobre processos e ferramentas adaptados para o trabalho individual em um sistema/área técnica específica.

– Treinamento prático individual, por meio da participação nas equipes da SAAB, trabalhando nas áreas técnicas específicas nas quais os participantes são especializados.

Conforme a SAAB, em termos de inovação, os brasileiros terão contato, pela primeira vez, com modernas concepções aplicadas em um tipo de aeronave dotada de sistemas altamente integrados. Elevado nível de integração de sistemas e de sensores é a chave para se alcançar vantagens competitivas com uma aeronave de última geração. De acordo com a companhia, essa característica possibilita um grande potencial de crescimento, por meio do desenvolvimento de software e da integração de novos sensores e armas. Para o Brasil, o conhecimento sobre as filosofias de arquitetura e design do sistema de uma aeronave supersônica moderna concede a capacidade de manter e atualizar permanentemente o sistema do Gripen NG e, no longo prazo, de desenvolver sistemas avançados de combate.

Vale lembrar que engenheiros da brasileira Akaer já participam do projeto Gripen NG à algum tempo. Eles receberam treinamento e desenvolveram alguns trabalhos na concepção estrutural da fuselagem. A SAAB informou que esses profissionais receberão treinamento em outras partes da aeronave e irão trabalhar mais nessas áreas.

FONTE: T&D