Começou nesta segunda-feira (10), o Exercício COMAEX, que visa capacitar cerca de 100 militares da Força Aérea Brasileira (FAB), de diversas organizações do país, por meio de atividades simuladas de comando e controle das operações aeroespaciais. As atividades serão realizadas na sede do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), em Brasília (DF), até o dia 18 de setembro.



O Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino, realizou a abertura do evento e alertou sobre a importância do planejamento contínuo das ações. “Nós precisamos voltar nossas capacidades para o gerenciamento de comando e controle permanente. Esta edição do exercício é bastante embrionária e a nossa intenção é que, a partir de 2018, tenhamos uma COMAEX anualmente, para simular situações em todos cenários possíveis”, afirmou o oficial-general.

De acordo com o Comandante da Força Aérea Componente (FAC), Brigadeiro do Ar Sérgio Rodrigues Pereira Bastos Junior, o treinamento dos oficiais objetiva trabalhar um manual que servirá de base para os demais exercícios e também manter o treinamento de oficiais para situações de conflitos reais. Além disso, o Exercício poderá ter apoio de outras Forças. “A atividade poderá ter suporte da Força Aérea Terrestre e da Força Aérea Naval, além de atribuições para defesa aeroespacial e operações ofensivas. O objetivo é atingir o efeito planejado pelo Comando Conjunto Combinado no que tange às tarefas da Força Aérea Brasileira”, explica.

O Chefe da Divisão de Programação do COMAE e Chefe do Centro de Animação do COMAEX, Coronel Aviador Leonardo Venancio Mangrich, explica que o exercício passará por ciclos visando ao aprimoramento. “No Exercício, recebemos as orientações, iniciamos o planejamento e a partir daí, as decisões das ações serão tomadas. Após a execução, será realizado um retroalinhamento das informações, para, então, avaliarmos se os resultados foram atingidos na sua plenitude. Nós temos que ter a capacidade de adaptação necessária para que a nossa consciência situacional esteja mais adequada para atingir seus objetivos”, explica.

Antes do início do Exercício, os militares realizaram treinamento, receberam orientações sobre como seria a atividade e conheceram as instalações da campanha.

Fotos: Cabo André Feitosa / CECOMSAER
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Cristiane dos Santos
Edição: Agência Força Aérea – Revisão: Major Alle



 

1 Comment

 

  1. 11/09/2018  19:29 by PRAEFECTUS Responder

    Veja bem meus caros,

    no inicio da decada de 80 foi criado o SISDABRA Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro, o que denota visão já naquele tempo por parte da alta oficialidade da Fab, da importância de incorporar/dominar o expectro espacial para a efetiva defesa da soberania nacional. Uma pena que essa nomenclatura não tenha tido ao longo dessas decádas o aporte financeiro e material necessário para sua efetiva operacionalidade naquilo que lhe concerne na questão espacial. Lamentável!


    Grato

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.