Wataniya Airways, do Kuwait, assina contrato para E195-E2

Farnborough, Reino Unido, 17 de julho de 2018 – Em um acordo que verá a primeira operadora de E2 do Oriente Médio, a Embraer anunciou hoje, no Farnborough Airshow 2018, que assinou um pedido firme com a companhia aérea Wataniya Airways, do Kwait, para 10 jatos E195-E2. O pedido firme será incluído na carteira de encomendas da Embraer do terceiro trimestre de 2018.



O contrato também inclui 10 direitos de compra para o mesmo modelo, elevando o pedido potencial total para 20 aeronaves. O pedido tem um valor estimado de USD 1,3 bilhão, pelo atual preço de lista, com todos os direitos de compra sendo exercidos.

As entregas começarão em 2020. “É ótimo dar as boas-vindas à Wataniya Airways à família de operadores de E-Jets”, disse John Slattery, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. “A Wataniya não será apenas a primeira operadora de E2 no Oriente Médio, mas também o cliente de lançamento mundial de nossa classe executiva de assentos escalonados, que estabelecerá um novo nível de conforto na classe executiva para jatos de corredor único.”

A companhia aérea receberá o E195-E2 em uma confortável configuração de 118 assentos, com 12 na classe executiva e 106 na classe econômica. “O E195-E2 nos permitirá abrir mercados não atendidos e aumentar as freqüências, oferecendo melhor conectividade ao mercado do Kuwait”, disse Rakan Al-Tuwaijri, CEO da Wataniya Airways. “Escolhemos os assentos escalonados para nos diferenciar da concorrência, oferecendo um produto superior com espaço extra para as pernas e melhor privacidade para nossos clientes.”

Embraer e Republic Airways assinam carta de intenção para até 200 jatos E175

Farnborough, Reino Unido, 17 de julho de 2018 – A Embraer e a Republic Airways, maior operadora de E-Jets do mundo, anunciaram no Farnborough Airshow, a assinatura de uma Carta de Intenção para um acordo de venda de 100 jatos E175, com opções de conversão para o E175-E2, além de direitos de compra para 100 jatos E175 adicionais.



Caso todos os direitos de compra sejam exercidos, o contrato tem um valor estimado de USD 9,3 bilhões, com base nos atuais preços de lista, e será incluído na carteira de pedidos da Embraer assim que o contrato se tornar firme, até o final deste ano. “Estamos satisfeitos em expandir nossa parceria com a Republic, um dos nossos maiores e mais valiosos clientes”, disse John Slattery, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. “Com um relacionamento de 20 anos, estamos imensamente honrados em continuar sendo parte integral de seu sucesso à medida que expandem sua frota. com jatos E175 adicionais.

A Republic é um componente importante da história da Embraer e estamos absolutamente comprometidos em fornecer um produto que atraia seus clientes enquanto fornece soluções que aumentam a lucratividade.” “Nas últimas duas décadas, adquirimos mais de 350 jatos por meio de nossa parceria com a Embraer”, disse Bryan Bedford, Presidente e CEO da Republic. “Dessa maneira, conseguimos entregar à indústria segurança, serviço diferenciado e disponibilidade aos nossos parceiros e esse pedido permite à Republic focar no novo passo de crescimento no mercado regional norte-americano.

Os E-Jets provaram ser o produto que permite à Republic oferecer aos um experiência de produto confiável incomparável aos nossos clientes, ao lado dos nossos 5.500 dedicados profissionais de aviação, possibilitam a realização da visão de longo prazo de ser a companhia aérea regional preferida.” A Republic Airways e a Embraer estabeleceram sua parceria em 1999, quando uma de suas ex-subsidiárias, a Chautauqua Airlines, recebeu seu primeiro ERJ 145 com a pintura característica da US Airways Express.

Hoje, a Republic opera uma frota de quase 190 aeronaves E170 e E175 e oferece voos com tarifas fixas operadas sob suas marcas parceiras American Eagle, Delta Connection e United Express.

Com este novo contrato, a Embraer soma vendas de mais de 520 vendas de E175 para companhias aéreas na América do Norte desde janeiro de 2013, sendo a responsável por mais de 80% de todos os pedidos neste segmento de jatos de 70-76 lugares.

Embraer e Mauritania Airlines assinam contrato para dois E175

Farnborough, Reino Unido, 17 de Julho de 2018 – A Embraer e a Mauritania Airlines anunciaram hoje, no Farnborough Airshow 2018, um pedido firme para dois jatos E175. O contrato tem um valor de USD 93,8 milhões, com base nos atuais preços de lista, e será incluído no backlog da Embraer do terceiro trimestre de 2018.



“A Embraer tem muito orgulho de receber a Mauritania Airlines na crescente família de operadores de E-Jets”, disse Raul Villaron, Diretor de Vendas para Oriente Médio e África, Embraer Aviação Comercial. “Com a melhor eficiência operacional na sua categoria, o E175 é um sucesso ao redor do mundo e estamos muito felizes com a entrada da aeronave no mercado africano pelas mãos da Mauritania Airlines.”

A Mauritania Airlines receberá as aeronaves com 76 assentos em uma confortável configuração com duas classes de serviço. As entregas ocorrerão em 2019.

“A aquisição dos jatos E175 faz parte da modernização de nossa frota, substituindo aeronaves antigas por novos aviões de corredor único”, disse Mohamed Radhy Bennahi, CEO da Mauritania Airlines. “Estamos certos de que, com o E175, poderemos oferecer um serviço ainda melhor aos nossos clientes, com mais conforto, além de adicionar mais frequências e novos destinos.”

Helvetic Airways assina carta de intenção de compra para até 24 E-Jets E2

Farnborough, Reino Unido, 17 de julho, 2018 – A Embraer anunciou hoje no Farnborough Airshow que a Helvetic Airways, com sede em Zurique, na Suíça, assinou uma Carta de Intenção para 12 aeronaves E190-E2, com direitos de compra de outras 12 aeronaves e direitos de conversão para o modelo E195-E2.



Se todos os diretos de compra forem exercidos, o acordo tem valor estimado em mais de USD 1,5 bilhão, pelo atual preço de lista. A encomenda será incluída na carteira de pedidos da Embraer assim que se tornar firme, o que deve acontecer nos próximos meses.

As primeiras 12 aeronaves E190-E2 começarão a substituir os cinco Fokker 100 e os sete E190 da Embraer atualmente em operação na Helvetic Airways, em um período entre o final de 2019 e o começo de 2021.

Os direitos de compra para as 12 aeronaves adicionais (E190-E2 ou E195-E2) permitirão à Helvetic Airways crescer de acordo com as oportunidades de mercado.

Tobias Pogorevc, CEO da Helvetic Airways, disse: “Nossa frota Embraer vem tendo um desempenho excelente em termos de taxas de despacho e nossos Fokker 100 foram muito produtivos nos últimos 12 anos. No entanto, com os novos E2, a Helvetic consolidará sua operação altamente confiável com a mais silenciosa e eficiente aeronave disponível de última geração. Além disso, a mudança do atual E190 para a frota E2 será simples para nossos pilotos, pois a comunalidade das aeronaves exige uma transição de apenas dois dias e meio de treinamento.” “Ser responsável por toda a renovação da frota de uma companhia aérea é uma grande honra para a Embraer, e um importante endosso do serviço que a Embraer vem prestando à Helvetic há muitos anos com a frota de E-Jets”, disse Martyn Holmes, Diretor de Vendas para Europa, Rússia, Ásia & Leasing da Embraer Aviação Comercial. “O respeito pelo meio ambiente em que opera, aliado ao desejo da Helvetic de crescer suas operações, tornam os E-Jets E2 as aeronaves mais ecológica, silenciosa e eficiente do segmento, e a solução perfeita para a companhia aérea concretizar suas ambições.”

Os planos da Helvetic de lançar novas rotas para o Aeroporto de London City receberam um novo impulso na semana passada, no dia 13 de julho, quando o E190-E2 fez sua estreia no aeroporto em Londres.

Embraer e Azul assinam carta de intenção para jatos E195-E2 adicionais

Farnborough, Reino Unido, 17 de julho de 2018 – A Embraer e a Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. anunciaram hoje, no Farnborough AirShow 2018, na Inglaterra, a assinantura de uma Carta de Intenções para um pedido firme de 21 jatos do modelo E195-E2.



Este contrato tem um valor estimado de USD 1,4 bilhão, a preço de lista. A encomenda será adicionada à carteira de pedidos da Embraer assim que o contrato firme estiver concluído. Este é um pedido adicional aos 30 jatos E195-E2 encomendados pela companhia área em 2015, o que elevará o pedido frime total da Azul junto à Embraer para 51 aeronaves E2.

A Azul é o operador de lançamento do E195-E2 e receberá a primeira aeronave em 2019. “A Azul é muito mais que um cliente, é um grande parceiro de negócios. A Embraer está junto com a Azul antes mesmo do nascimento da empresa, e por isso é tão importante para nós seguir colaborando para a construção do seu futuro”, disse John Slattery, Presidente & CEO, Embraer Aviação Comercial. “O E195-E2, avião mais avançado em sua categoria, vai permitir à Azul melhorar ainda mais seu desempenho operacional, além de permitir aos pilotos dos atuais E-Jets da empresa uma suave transição de treinamento.” “Estamos muito felizes com o aumento de nossos pedidos de E2s. Nossa frota de aeronaves da Embraer sempre foi e sempre será fundamental para nossa malha e estratégia de frota. Estamos muito satisfeitos com o nosso atual processo de transformação de frota, principal vetor de expansão de margem nos próximos anos.

Dado que 50% de nossos E1s serão devolvidos nos próximos cinco anos, esse novo pedido garante a substituição destas aeronaves por aeronaves de nova geração, mais eficientes na queima de combustível, contribuindo para a contínua redução de nossos custos unitários”, afirma John Rodgerson, CEO da Azul.

FONTE E FOTOS: Embraer



 

11 Comments

 

  1. 18/07/2018  10:32 by Ivens Irati Responder

    O argumento da necessidade de se unir a um parceiro que possa competir em um novo cenário de mercado é válido. O que não ficou claro foram as opções de parceria analisadas. Ou Se está negociando com o primeiro que bateu à porta? O que quero dizer é por certo existem empresas na China e na Rússia que querem entrar também nesse mercado e estariam dispostas a serem sócias e não donas da Embraer. Há outras saídas para um mercado mais competitivo. Mas elas não estão sendo veiculadas.

  2. 18/07/2018  8:02 by César Santos Responder

    Em time que está ganhando não se mexe, eh continuar por esse caminho, que com certeza a Airbus não vai ficar mais que 1 ano dando descontos astronômicos para empresas deixaram de comprar os aviões da Embraer. Pois se confirmar pelo menos 75% dessas vendas a líder continuará líder, e nada de vender uma empresa desse porte para a Boing a preço de banana, 3,8 bi para eles eh nada. Poderia fazer uma parceria com alguma menor ou coisa do tipo onde a Embraer passaria a dominar ainda mais este mercado, e eh claro adicionando novas tecnologias e seguimentos. Ozires aposentado já não tem vez na empresa para de tagarelar!👎

  3. 18/07/2018  7:44 by GripenBR Responder

    Ohhhh! O Brasil é tão bonzinho! Na Boieng estouram champangnes a esta hora.

  4. 17/07/2018  21:07 by Luciano Andrade Responder

    Vamos falar de maneira clara e direta: a Embraer não vendeu US$15 Bi, esse seria o valor caso todas as opções de compra fossem transformadas em pedidos firmes, coisa que não é comum acontecer. Outra coisa, a Embraer precisa deslanchar a venda dos E2 - o grosso desse valor refere-se aos E1, mais baratos - e estes foram menos de 50 unidades ( nessas vendas anunciadas hoje ). A aposta da empresa está toda na nova geração, investimentos bilionários foram feito p/ isso e agora ela não compete mais c/ a Bombardier ( que já vinha c/ subsídios ) e sim c/ a Airbus que simplesmente resolveu bancar descontos estarrecedores ( 72% p/ a JetBlue ) c/ o claro propósito de tirar a Embraer do mercado. Não temos cacife p/ esta nova fase do jogo.

  5. 17/07/2018  19:57 by César Pereira Responder

    Senhores vejam o potencial dessa empresa, líder em seu segmento, e alguns ainda tem a coragem de defender a sua venda ! Ozires Silva deveria ter vergonha de encabeçar essa ''campanha macabra '',a venda da Embraer é um crime contra o BRASIL !

  6. 17/07/2018  17:38 by Gallito Responder

    Depois desse anúncio de venda, acho que esse negócio com a Boeing vai melar......

  7. 17/07/2018  17:26 by Cleber Responder

    E os céticos dizem que temos que vender para a Boeing senão , não sobrevivemos . kkkkkkkkkkkkk

  8. 17/07/2018  17:08 by FERNANDO Responder

    UAUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU
    15 BILHÕESSSSSSSSSSSSSS
    DE REAIS OU DOLARES?

    • 17/07/2018  17:23 by Guacamole Responder

      US$ quer dizer dólares americanos, mano.
      Está lá no título da matéria.

  9. 17/07/2018  17:02 by Gerson Carvalho Responder

    E nossos políticos vendendo a maior empresa do mundo em sua categoria! É impressionante.

  10. 17/07/2018  16:45 by Alexandre Responder

    É sério isso? Embraer está anunciando a venda de 300 aviões nos próximos anos por cerca de 15 bilhões!!!
    E mesmo assim está entregando essa carteira junto com os pedidos antigos por 4 bilhões!!!!
    E ainda dizem que se não venderem vão falir!!!!
    A Boing deve estar comemorando até umas horas, kkkkkkkkk

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.