Preço de oportunidade: o lote completo sai por US$ 508.631,12. Aviões são capazes de voar a 2.336 km/h.

Por Roberto Godoy

Os mais poderosos caças que a Força Aérea já operou estão à venda. Os 11 supersônicos Mirage 2000 C/B, capazes de voar a 2.336 km por hora, formaram a elite da aviação brasileira de combate entre 2005 e 2013 e estão sendo oferecidos no mercado internacional pela Comissão Aeronáutica, em Washington. Preço bom, de oportunidade: o lote completo sai por US$ 508.631,12. Novas, e conforme a configuração, poderiam custar até US$ 45 milhões cada.



Os aviões estão sendo mantidos em duas bases da FAB – em Brasília e Anápolis. A oferta cobre um pacote completo: motores e sistemas eletrônicos de bordo foram preservados. Peças e componentes não estão incluídos. A Força informa que os caças negociados não têm condições de voo. A unidade mais barata está cotada a US$ 7.327,61. A mais cara, a US$ 62.635,12. A proposta vencedora será anunciada no dia 6. O comprador terá cinco dias para o pagamento e mais dois meses para retirar os aviões.

O Comando da Aeronáutica identifica qualquer dos nove países que ainda usam o Mirage 2000 em todo o mundo como clientes potenciais, interessados em uma espécie de desmanche, para usar partes na manutenção dos próprios jatos. Todavia, nada impede que um eventual colecionador faça sua oferta. Segundo um veterano do Esquadrão Jaguar, o 1.º Grupo de Defesa Aérea, de Anápolis, há dezenas de promotores de shows aéreos, na Europa e nos Estados Unidos, que se interessariam.

Qualquer que seja a natureza da transação, ela terá de passar pelo governo da França, país onde os caças foram fabricados pelo grupo Dassault Aviation, e onde foram comprados, já usados, pelo governo federal, em 2005, por cerca de US$ 200 milhões. A aquisição abrangia ainda a conversão dos supersônicos para os requisitos da FAB, dois tipos de mísseis, bombas, apoio logístico, treinamento, peças e partes sobressalentes. O acordo foi ajustado diretamente entre os então presidentes Nicolas Sarkozy e Luiz Inácio Lula da Silva.

Os Mirage 2000 fizeram bonito durante os oito anos em que foram operados pelo Esquadrão Jaguar. Eram vistos como equipamento de treinamento e transição para o espetacular jato Rafale C, também francês, cotado como favorito na escolha do novo modelo de múltiplo emprego da aviação militar do Brasil. Acabou dando o sueco Gripen NG, mais barato, inovador, e com ampla transferência de tecnologia, cláusula principal do interesse do Alto-Comando.

Ficha técnica

Entretanto, os F-2000 formaram duas gerações de pilotos de alto rendimento. A turbina Snecma M53 permitia instalar até 6,3 toneladas de bombas, mísseis e foguetes sob a asa do jato de 14,3 metros de comprimento e 9,13 m de envergadura, armado com um canhão Defa de 30 mm. A grande altitude, no limite de 17 km, na velocidade plena, podia cobrir a distância de Brasília a São Paulo em menos de meia hora. Desativados à meia-noite de 31 de dezembro de 2013, foram substituídos temporariamente pelos F-5M, modernizados pela Embraer Defesa. Os novos Gripen, 36 deles, começam a chegar em 2019.

FONTE: Terra



 

7 Comments

 

  1. 13/10/2018  23:16 by Gilberto Rezende Responder

    Até hoje sequer voou o segundo protótipo sueco do "vencedor mais barato, inovador e com ampla transferência de tecnologia" que não inclui sua turbina americana ou seu radar...
    Vale LEMBRAR que os Egípcios já voam seus Rafales e só não finalizaram o acordo porque o míssil SCALP supostamente 100% francês tem UM componente americano e os americanus trump malvados se negam a fornecer os componentes para sabotar a venda dos aviões ao Egito...
    Lembro também que a FAB desde a saída dos Mirage 2000 operam apenas o FOREVER FIVE...
    E sabe lá mais quantos anos levara até que o Gripen E-BR dê as caras por aqui...
    E quantos anos mais teremos uma mini ALA de 6 aeronaves OPERACIONAIS em Anápolis....
    Na época da desativação dos nossos Mirage 2000 ainda éramos membros plenos dos BRICS seria extremamente fácil uma solução para aquela situação.
    MAS a arrogância da da turma nipônica da FAB e sua determinação de opor-se e a dar qualquer chance de vitória ao Rafale francês preferiram MATAR o Mirage 2000 e deixar o Brasil e a FAB uma DÉCADA (ou mais a ser verificado) com apenas o FOREVIS para sua defesa aérea...
    Na quela época a Índia começava seu programa de modernização de seus Mirage 2000 para o último padrão francês Mirage 2000-5.
    Bastava se negociar a inclusão dos Mirages brasileiros no programa indiano, usá-los até a chegada dos Gripens E-BR e se após uma inspeção dos indianos eles os quisessem poderiam os levar como um gesto de boa amizade e pelos serviços que elas nos pretariam até que os Gripen E-BR dessem as caras por aqui....
    Se derem, sou capaz de APOSTAR que um presidente que bate continência para a bandeira americana como um fan boy qualquer é bem capaz de cancelar os Gripens que não chegam nunca com meia dúzia de palavrões e trocá-los por 3 dúzias de F-16 do AMARG....
    E vai ter gente aqui e na FAB que vai VIBRAR com essa notícia...
    Quem viver VERÁ!!!
    Pobre Brasil...

  2. 13/10/2018  7:06 by Leonardo Rodrigues Responder

    Pelo valor ofertado sairia mais rentável embelezar praças e parques com estas belezas. Vender a preço de banana? Não faz sentido pra mim. Guardem a história é distribuam pelo país.

  3. 12/10/2018  10:24 by Kemen Responder

    Se bem que estiveram sem voar já faz algum tempo o que não aconselharia o vôo, o que não entendo é porque "não estariam em condições de voar", por acaso a FAB os foi largando na faze final sem manutenção alguma até pararem. Talvez queiram dizer que alguns não estão sem condições de voar porque precisam de uma revisão geral, de outros Mirage talvez tenham sido retiradas peças inclusive sistema propulsor, provavelmente os mais baratos...
    Que venham os Gripen !

  4. 12/10/2018  7:33 by Cesar Responder

    Foi um elefante branco que a FAB comprou, na época saíram por 80 milhões de dólares, daria para ter reformado todos os F5 adquiridos da Jordânia ou modernizado mais AMX, mas fazer o que? dinheiro do contribuinte que literalmente foi rasgado......

  5. 11/10/2018  17:45 by mauricio matos Responder

    O único país que talvez pudesse se interessar em comprar seria a Índia está em curso a modernização dos seus Mirage.

  6. 11/10/2018  17:42 by Souto. Responder

    EM minha opinião a FAB deveria comprar com o dinheiro dos mirages mais helicopteros Black Hawk.

    • 11/10/2018  23:42 by Tom Responder

      Com 500 mil dólares?!?! Talvez aeromodelos....

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.