Durante a operação Unitas 47 a fragata Rademaker (F 49) da Marinha do Brasil disparou um míssil Seawolf contra um drone americano e acertou em cheio.

ILUSTRAÇÃO: Jacubão

 

12 Comments

 

  1. 10/01/2017  20:48 by Leonardo Rodrigues

    Muito legal a interceptação. Prontidão e operacionalidade.

  2. 10/01/2017  21:52 by Rudi

    Isso é recente? os Seawolf estão operacionais TKS...

  3. 11/01/2017  3:38 by Renato

    Ideal teria sido filmar de outros ângulos.
    Talvez outro navio, helicópteros.
    Só vimos o disparo.
    Gostei desses contêineres.
    Compacto, bem flexível, até o design é bonito.

  4. 11/01/2017  9:55 by Operacional

    UNITAS 47 => 2006.
    Se ainda em validade (ou passado por upgrade ), sistema eficiente para intensidade requerida.
    Forte abraço.

  5. 11/01/2017  10:52 by Spectre

    Unitas 47 ,,,,realizada em 2005,,,,,,praticamente ontem ,,,,,,,rrrssss

  6. 11/01/2017  11:00 by Gilberto Rezende

    Só uma perguntinha estava MESMO combinado que se deveria derrubar o drone de exercício???

    Normalmente em exercício se atira com um offset, você tem de passar a uma certa distância e não destruir o drone.

    Ou os americanos estavam usando um modelo de drone que está sendo descomissionado ou os brasileiros fizeram uma traquinagem só para provocar...
    DAR um drone para destruição em exercício para uma Marinha estrangeira é algo MUITO INCOMUM.
    Pelo menos na minha época.

  7. 11/01/2017  11:13 by Luiz Padilha

    Afirmativo. Normalmente se erra para não perder o drone, mas neste exercício era a volta da Rademaker após os reparos do "ataque" da Sarandí.

    E o disparo foi feito pela peça reparada.

    Exito total. Basta visitar o navio que os fragmentos do drone estão lá no corredor principal.

    O video é antigo, mas como eu ainda não tinha colocado ele no DAN, agora quem não viu pode ver.

  8. 11/01/2017  11:38 by HMS_TIRELESS

    O Seawolf é um excelente sistema. Durante os testes do seu desenvolvimento chegou a interceptar um projétil disparado de um canhão Vickers Mk-8 e durante o conflito das Falklands derrubou vários aparelhos atacantes argentinos, mesmo quando estes vinha à baixa altitude. Diante disso, e tendo em vista que o Modfrag foi definido quase ao mesmo tempo em que as Type 22 foram adquiridas, causa espanto que esse sistema de mísseis não tenha sido escolhido para modernizar as Niterói.

  9. 11/01/2017  20:49 by Flanker

    Padilha, quando você publicou esse vídeo pela primeira vez, lá em 2005/2006, eu gravei ele em DVD. Tenho até hoje.
    Abraço.

  10. 11/01/2017  21:15 by Luiz Padilha

    Pois é, republiquei porque no DAN não tinha. Muitos não tinham visto ainda, apesar de ter sido feito em 2005.

  11. 11/01/2017  22:24 by Srs

    É bem provável que estes mísseis não estejam operacionais hoje em dia ,pois não foi feito nenhuma atualização e quantidade que veio com os navios era pequena e essa versão já saiu linha a muito tempo.

  12. 12/01/2017  11:12 by Topol

    Gostei da trilha sonora ... parabéns

Leave a reply

 

Your email address will not be published.