A França está pronta para lançar estudos sobre a substituição de seu único porta-aviões da Marinha Francesa (Marine Nationale). O Charles de Gaulle será desativado em 2040, de acordo com a lei de planejamento militar 2019-2025, que será apresentada ao Conselho ministerial.

“Nós reservamos a possibilidade de ter um porta-aviões ao mesmo tempo que o Charles de Gaulle ou depois”, disse uma fonte próxima ao ministro das Forças Armadas Florence Parly à AFP.

Segundo a AFP, a França planeja alocar 295 bilhões de euros para seu orçamento militar entre 2019 e 2025, com o objetivo de aumentar os gastos com defesa para 2% do PIB em 2025, de acordo com o projeto de lei de programação militar para ser apresentado ao Conselho ministerial. O orçamento de defesa francês, de 34,2 bilhões de euros em 2018, vai receber um aumento de 1,7 bilhões de euros por ano até 2022, seguido por incrementos de 3 bilhões por ano a partir de 2023, após a próxima eleição presidencial, de acordo com a futura lei de planejamento militar .



Navy Recognition (NR), entende que a Marinha francesa e o Naval Group (anteriormente DCNS), tem esperança de que os novos estudos do futuro porta-aviões, venham a ser financiado o mais cedo possível porque existe uma janela muito pequena de oportunidade: Se os estudos forem/financiados entre o final de 2017 e o final de 2018, há uma chance potencial de estarem prontos a tempo do próximo reequipamento do Charles de Gaulle.

O único porta-aviões da França está atualmente atravessando o seu Mid Life Update (MLU). Refits são programados a cada 7 anos, em média. Para efeito de comparação, o HMS Queen Elizabeth da Royal Navy, teve o primeiro corte de aço em julho de 2009, foi lançado em julho de 2014 e começou os testes de mar em junho de 2017.

Conforme relatado várias vezes no passado, o futuro porta aviões da França (se financiado e construído) contará com catapultas eletromagnéticas EMALS da General Atomics. As discussões entre a DGA, Marinha Francesa, Naval Group e General Atomics, já foram iniciadas e ainda estão em curso. A Marinha francesa foi ainda informado pelo NAVAIR sobre a instalação de teste em Lakehurst do EMALS e AAG no verão passado.

Mais recentemente, durante a feira SNA 2018, realizada em Washington DC, em janeiro, NR soube que a Marinha francesa buscou informações sobre o E-2D Hawkeye da Northrop Grumman. Entramos em contato com a Marinha francêsa que confirmou-nos que os contratos para aquisição de E-2D, estão sendo considerados como parte da lei de planejamento militar 2019-2025. A aviação da Marine Nationale opera atualmente três Hawkeyes E-2C adquiridos em 1998, 1999 e 2004.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN

FONTE: Navy Recognition

 

10 Comments

 

  1. 11/02/2018  13:48 by Marcos Gilbert Responder

    Olha aí nosso futuro PA

  2. 10/02/2018  20:09 by Bardini Responder

    Falando em projeto "binacional"... O que pode acontecer é índia e França construírem um Porta Aviões em comum.
    .
    Brasil?
    Qualquer NPM já é um tremendo de um lucro.

  3. 09/02/2018  22:03 by RENAN DIAS LEITE Responder

    Brasil acorda e vai atrás de um projeto binacional
    Constrói 2 porta aviões
    1 francês e um brasileiro
    Dividir os custos inicial do projeto seria ótimo para os dois países
    Faz um lá na França e outro aqui no Brasil

    De quebra fecha um contrato das Fremm abraço

  4. 09/02/2018  19:07 by Ivan BC Responder

    Vai ser do Brasil!

  5. 09/02/2018  17:32 by mauricio matos Responder

    O futuro porta aviões da nossa MB o Charles de Gaulle tem outra opção construir um novo com parceria com os franceses .

  6. 09/02/2018  17:12 by John Kuallquer Responder

    Com relação ao extinto NAE São Paulo / A-12... Porque que a marinha do Brasil não investe na construção de umas 4 ou 5 plataformas fixas de pouso, decolagem e controle alto mar (não sei se já existe) ... Já que graças a Deus não atacamos ninguém, poderíamos usar como fiscalização, controle marítimo e até como porta avião.

    PS. Me perdoem a ignorância!

  7. 09/02/2018  15:17 by Esteves Responder

    PeloamordeDeus. Sai com isso pra lá. Outra encrenca, não.

  8. 09/02/2018  13:05 by Cleber Responder

    Em 2040 ele será nosso , anotem !

  9. 09/02/2018  12:43 by filipe Responder

    O nosso será em 2035 ...

  10. 09/02/2018  12:25 by Dalton Responder

    Os 3 E-2C franceses estão sendo modernizados nos EUA...a previsão é que o trabalho será finalizado em 2019. Das 3
    aeronaves, duas sempre embarcam no "CDG" enquanto a terceira fica em terra como reserva/treinamento/manutenção.
    .
    Cada NAe da US Navy embarca um pequeno esquadrão de 4 E-2Cs...mas...os novos E-2Ds que já estão operando a bordo
    de 3 NAes constituem esquadrões de 5 aeronaves já que existe um esquadrão próprio para treinamento e reposição de
    aeronaves que sejam perdidas ou estejam em manutenção.
    .
    A marinha francesa tem pensado em aumentar de 3 para 4 aeronaves seu esquadrão AEW o que talvez permita embarcar 3 dos novos E-2Ds a bordo do "CDG" na próxima década.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.