A França está pronta para lançar estudos sobre a substituição de seu único porta-aviões da Marinha Francesa (Marine Nationale). O Charles de Gaulle será desativado em 2040, de acordo com a lei de planejamento militar 2019-2025, que será apresentada ao Conselho ministerial.

“Nós reservamos a possibilidade de ter um porta-aviões ao mesmo tempo que o Charles de Gaulle ou depois”, disse uma fonte próxima ao ministro das Forças Armadas Florence Parly à AFP.

Segundo a AFP, a França planeja alocar 295 bilhões de euros para seu orçamento militar entre 2019 e 2025, com o objetivo de aumentar os gastos com defesa para 2% do PIB em 2025, de acordo com o projeto de lei de programação militar para ser apresentado ao Conselho ministerial. O orçamento de defesa francês, de 34,2 bilhões de euros em 2018, vai receber um aumento de 1,7 bilhões de euros por ano até 2022, seguido por incrementos de 3 bilhões por ano a partir de 2023, após a próxima eleição presidencial, de acordo com a futura lei de planejamento militar .



Navy Recognition (NR), entende que a Marinha francesa e o Naval Group (anteriormente DCNS), tem esperança de que os novos estudos do futuro porta-aviões, venham a ser financiado o mais cedo possível porque existe uma janela muito pequena de oportunidade: Se os estudos forem/financiados entre o final de 2017 e o final de 2018, há uma chance potencial de estarem prontos a tempo do próximo reequipamento do Charles de Gaulle.

O único porta-aviões da França está atualmente atravessando o seu Mid Life Update (MLU). Refits são programados a cada 7 anos, em média. Para efeito de comparação, o HMS Queen Elizabeth da Royal Navy, teve o primeiro corte de aço em julho de 2009, foi lançado em julho de 2014 e começou os testes de mar em junho de 2017.

Conforme relatado várias vezes no passado, o futuro porta aviões da França (se financiado e construído) contará com catapultas eletromagnéticas EMALS da General Atomics. As discussões entre a DGA, Marinha Francesa, Naval Group e General Atomics, já foram iniciadas e ainda estão em curso. A Marinha francesa foi ainda informado pelo NAVAIR sobre a instalação de teste em Lakehurst do EMALS e AAG no verão passado.

Mais recentemente, durante a feira SNA 2018, realizada em Washington DC, em janeiro, NR soube que a Marinha francesa buscou informações sobre o E-2D Hawkeye da Northrop Grumman. Entramos em contato com a Marinha francêsa que confirmou-nos que os contratos para aquisição de E-2D, estão sendo considerados como parte da lei de planejamento militar 2019-2025. A aviação da Marine Nationale opera atualmente três Hawkeyes E-2C adquiridos em 1998, 1999 e 2004.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN

FONTE: Navy Recognition

 

10 Comments

 

  1. 11/02/2018  13:48 by Marcos Gilbert Responder

    Olha aí nosso futuro PA

  2. 10/02/2018  20:09 by Bardini Responder

    Falando em projeto "binacional"... O que pode acontecer é índia e França construírem um Porta Aviões em comum.
    .
    Brasil?
    Qualquer NPM já é um tremendo de um lucro.

  3. 09/02/2018  22:03 by RENAN DIAS LEITE Responder

    Brasil acorda e vai atrás de um projeto binacional
    Constrói 2 porta aviões
    1 francês e um brasileiro
    Dividir os custos inicial do projeto seria ótimo para os dois países
    Faz um lá na França e outro aqui no Brasil

    De quebra fecha um contrato das Fremm abraço

  4. 09/02/2018  19:07 by Ivan BC Responder

    Vai ser do Brasil!

  5. 09/02/2018  17:32 by mauricio matos Responder

    O futuro porta aviões da nossa MB o Charles de Gaulle tem outra opção construir um novo com parceria com os franceses .

  6. 09/02/2018  17:12 by John Kuallquer Responder

    Com relação ao extinto NAE São Paulo / A-12... Porque que a marinha do Brasil não investe na construção de umas 4 ou 5 plataformas fixas de pouso, decolagem e controle alto mar (não sei se já existe) ... Já que graças a Deus não atacamos ninguém, poderíamos usar como fiscalização, controle marítimo e até como porta avião.

    PS. Me perdoem a ignorância!

  7. 09/02/2018  15:17 by Esteves Responder

    PeloamordeDeus. Sai com isso pra lá. Outra encrenca, não.

  8. 09/02/2018  13:05 by Cleber Responder

    Em 2040 ele será nosso , anotem !

  9. 09/02/2018  12:43 by filipe Responder

    O nosso será em 2035 ...

  10. 09/02/2018  12:25 by Dalton Responder

    Os 3 E-2C franceses estão sendo modernizados nos EUA...a previsão é que o trabalho será finalizado em 2019. Das 3
    aeronaves, duas sempre embarcam no "CDG" enquanto a terceira fica em terra como reserva/treinamento/manutenção.
    .
    Cada NAe da US Navy embarca um pequeno esquadrão de 4 E-2Cs...mas...os novos E-2Ds que já estão operando a bordo
    de 3 NAes constituem esquadrões de 5 aeronaves já que existe um esquadrão próprio para treinamento e reposição de
    aeronaves que sejam perdidas ou estejam em manutenção.
    .
    A marinha francesa tem pensado em aumentar de 3 para 4 aeronaves seu esquadrão AEW o que talvez permita embarcar 3 dos novos E-2Ds a bordo do "CDG" na próxima década.

Deixe uma resposta para Marcos Gilbert Cancelar resposta

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.