Projeto para implantação de novo modelo de governança que visa melhorar a efetividade dos resultados do órgão terá início em junho

A Fundação Ezute assinou um contrato para dar suporte ao programa de reestruturação organizacional do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul (TCE/MS). O projeto de prestação de serviços técnicos especializados pela Ezute, com duração prevista de 10 meses, prevê a implantação de um novo modelo de governança e gestão integrada, além da estruturação e melhoria dos processos de trabalho do Tribunal.



“Em 2017, o TCE-MS iniciou um processo de reestruturação organizacional com o objetivo de fiscalizar de forma mais eficiente a aplicação dos recursos públicos. A parceria com a Fundação Ezute visa proporcionar um realinhamento das áreas de estratégia, governança, gestão integrada e processos”, conta Marcello Palha, diretor de Mercado Civil da Fundação.

A resolução que aprovou e formalizou o modelo elaborado pela Ezute foi publicada pela instituição governamental (TCE/MS Nº 71, de 25 de abril de 2018) e o projeto aprovado abrangerá oito áreas temáticas, contempladas no modelo de governança, responsáveis pelo controle de gastos externos com Prefeituras, Câmaras de Vereadores e entidades para as quais o Estado aporta recursos.

“De fevereiro a abril a equipe da Ezute realizou oficinas de realinhamento estratégico e dinâmicas entre grupos para engajamento de todos os funcionários nos novos temas”, diz Palha. Segundo o diretor, o primeiro marco da reestruturação se dará em julho, onde as áreas de controle externo passarão a atuar sob o novo modelo.

“A Ezute cumpre o seu papel no apoio à reestruturação dos pilares de governança e gestão integrada do TCE-MS ao desenvolver modelos que visam a melhoria e a padronização dos processos de trabalho, não apenas simplificando a execução de processos complexos pelos funcionários, mas permitindo uma maior eficiência no acompanhamento dos serviços prestados pelo órgão aos seus diferentes públicos, com resultados positivos no equilíbrio de interesses conflitantes”, afirma.

“A nova estrutura de governança buscará a conquista dos resultados definidos no Plano Estratégico de forma efetiva e alinhada às práticas e à cultura do TCE-MS, envolvendo os principais atores da organização, cujo conhecimento e experiência serão utilizados na condução e monitoramento dos projetos, de modo a garantir o alcance dos resultados e os objetivos esperados pelo órgão. As áreas passarão a funcionar com processos padronizados e o foco nas especializações trará resultados positivos para o TCE-MS”, finaliza o diretor da Fundação Ezute.

FONTE: Convergência Comunicação Estratégica


 

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.