Ministro da Defesa no mock-up do Grippen NG

Por Paulo de Tarso Lyra, Denise Rotenburgh e Leonardo Cavalcanti

clippingO Planalto negociou com o governo sueco uma redução no montante dos recursos repassados para financiar a compra dos caças Gripen da empresa Saab. A estimativa inicial era o repasse de R$ 1 bilhão em 2015 para o Brasil, mas, depois da negociação, baixou para R$ 200 milhões. Os demais R$ 800 milhões serão distendidos ao longo dos próximos anos. “Nós fizemos a proposta e eles toparam. Quem não quer vender caças ao Brasil? ”, questionou o ministro da Defesa, Jaques Wagner, ao Correio.

Ele explicou que essa negociação decorre da necessidade de uma revisão dos orçamentos após a decisão do governo de contingenciar R$ 69,9 bilhões do orçamento geral. Wagner destacou que esse montante de R$ 1 bilhão não sairia, originalmente, do Orçamento Geral da União, pois se trata de um financiamento feito pelos suecos ao Brasil. Mas defendeu a renegociação dos valores. “Toda vez que tomo empréstimo, ele impacta na minha meta de superavit primário. A presidente Dilma não fez um compromisso de assegurar uma meta de 1,2% do superavit? Se pegarmos R$ 1 bilhão, impacta na minha meta. Se forem R$ 200 milhões, o impacto é menor”, explicou ele.

Wagner acredita que essa redução não vai atrapalhar o cronograma de aquisição das aeronaves suecas, já que o projeto ainda está em sua fase inicial. Tanto que está mantida a ida de 250 engenheiros brasileiros para a Suécia em agosto. Ontem, durante visita à exposição Gripen, na Esplanada dos Ministérios, o ministro da Defesa justificou a viagem dos engenheiros ao exterior.

“É preciso que as pessoas entendam que tudo que você faz na indústria de defesa, acaba transbordando para indústria comum. Tudo que nós estamos aprendendo aqui de aviação vai servir, por exemplo, para a Embraer desenvolver outros equipamentos para aviação civil”, esclareceu Wagner.

Juros. O ministro também adiantou que ainda está em negociação o valor dos juros do contrato com os suecos. Segundo Wagner, na semana passada, houve um encontro entre o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, com o ministro da Indústria da Suécia, Mikael Damberg. “O prazo ideal para nós é, exatamente, 24 de junho, que é quando vence o período pós-assinatura do contrato comercial. ”

Wagner considera natural que tanto o Brasil quanto os suecos procurem sempre uma mudança mais vantajosa. “Todos procuram uma vantagem a mais, um custo um pouquinho menor, mas nós vamos bater o martelo e não tenho nenhuma preocupação com isso”, apostou o petista.

Essa negociação não trará, contudo, nenhum prejuízo às partes, de acordo com o ministro. “O contrato foi feito com o seguro das duas partes. Se subir (os juros) eles bancam, se baixar, a gente banca. É obvio que quando ele foi discutido, os juros estavam em um patamar e agora estamos em outro. Não tem um número mágico para dizer “eu quero xis”, assegurou o ministro.

FONTE: Correio Braziliense

 

10 Comments

 

  1. 23/06/2015  21:28 by teropode Responder

    Descendo pelo ralo ,em 15 anos o brasil estarah pior doque agora , o FX2 serah um projeto eternamente do futuro ,na melhor das hipotesis ,daqui a 5 anos o brasil compra-ra 12 Gripens recondicionados , anotem e me mandem bombons e flores !

  2. 11/06/2015  12:38 by Alex Responder

    Acho que tem que pagar 200 milhões mesmo, por que temos que pagar 1 bilhão se nem a fábrica em São José começou a ser erguida???
    Vejo também pessoas criticando a redução de verbas do prósub, do KC 390 mas não observam o quanto foi gasto com esses projetos, são bilhões dados a EMBRAER e a DCNS e nós ainda não recebemos 1 único submarino ou 1 único KC 390.
    Vamos cobrar a entrega dos subs dos Kc , dos gripens para depois falarmos de pagamentos, pois o que já adiantamos está de bom tamanho.

    • 11/06/2015  16:28 by Celso Responder

      Alex, vc tem certeza q o Brasil ja adiantou tanta grana assim ou e so uma opiniao..........adiantamentos fazem parte de execucao de um produto, via projeto financeiro e outras obrigacoes q sao contratuais e de ambas a s partes............posso estar enganado, mas tudo o q tenho lido a respeito so fala sobre atrasos nestes pagamentos......esperar q estes projetos estejam 100 % executados e entregues e esperar demais....isso nao vai ocorrer tao cedo....ja ta virando uma novela.....O direito de nascer...rsrsrrs vc nao lenbra ...mas esta novela foi a percursora na extinta TV Tupi dos idos 60 e levou bons 4 anos pra acabar.......e era so uma novela hemmmmm...........kkkkkkkk

      • 13/06/2015  12:32 by Alex Responder

        Olá Celso concordo com sua opinião sim, mas pelo que eu li o Prosub já recebeu mais de 30% do acordado e não temos 1 único sub em operação, só as obras do estaleiro que sequer foram concluidas.
        No caso do KC 390 já pagamos muito dinheiro, só neste exercício findo de 2014 teve uma polêmica que girava em torno de centenas de milhões , e eu pergunto, se 1 KC 390 tem um preço estipulado em torno de 50/60 milhões de dólares, por que estão falando de atrasos em pagamentos se a EMBRAER efetivamente não entregou nada???
        No caso do Gripen é mais alarmante ainda, pois de fato nem o protótipo do caça existe ainda na versão NG, a fábrica de São Jose não tem 1 tijolo colocado e a SAAB já quer 1 bilhão???
        Acho que essas empresas precisam começar a entregar alguma coisa antes de exigirem pagamentos.

  3. 11/06/2015  12:28 by Dilson Queiroz Responder

    .............kkk....a SAAB quer vender!! se existe um cronograma de pagamentos,tudo esclarecido e acertado, e SE o Brasil ainda não está na "bacia das almas" porque a SAAB não nos entregaria os caças? demora,mas chegam....não entendo porque tanta apreensão...quanto à engenheirada, tem que ir muita gente pra aprender a fazer avião e ensinar engenharia aeronáutica nas Universidades, além de desenvolver empresas do ramo aqui em Pindorama.....kkkkk........os caças virão!!!.....sem fatalismos....

  4. 11/06/2015  12:06 by Leonardo Rodrigues Responder

    Esses engenheiros não são do governo e sim das empresas. São varias:
    Akaer, Embraer etc . . .
    Todos os negócios são assim amigo primeiro o superavit!
    Que venham os grifos

    • 11/06/2015  17:42 by Douglas Rodrigues Responder

      Entendo que são engenheiros de várias empresas e não do governo (desde quando o governo tem engenheiros??? Só tem é bando de cupinchas!). Mas mesmo em sendo várias empresas, poderiam enviar em menor número, e esses repassarem depois aos engenheiros locais como se dá o meio de fabricação da aeronave.
      Resguardadas as devidas proporções, é que nem as fábricas de veículos da Mercedes e da BMW no Brasil, não foram muitos engenheiros visitarem as matrizes dessas fábricas... Ou foram?

  5. 11/06/2015  9:59 by Douglas Rodrigues Responder

    Ah, tenha santa paciência, quando o ministro fala: "Quem não quer vender caças para o Brasil!"
    Grandes coisas... Mesmo a Argentina que ficou no limbo econômico por muito mais tempo (e ainda está) e com fama de mal pagadora, tem países interessados em vender caças pra ela...
    Agora vejam, o repasse será de apenas 20% da verba que foi programada, alguém duvida que o cronograma sofra atrasos por isso, e que a SAAB em troca do repasse menor vai acabar alterando o cronograma de entregas? Olha que no Brasil não existem só bobos e petistas, e parece que os políticos sempre falam para quem não teve oportunidade de estudar ou de criar um senso crítico das coisas.
    Agora mandar 250 engenheiros pra Suécia??? Pra que meu deus!? 50 já estaria de bom tamanho, e olhe lá! Em matéria de corporativismo e companheirismo esse governo é campeão mesmo!

  6. 11/06/2015  9:25 by Dilson Queiroz Responder

    ................se há realmente entendimento e compensação financeira de ambas as partesnão tem que ficar ruminando dúvidas....adiante com o projeto! bota a engenheirada pra aprender!! e vamo qui vamo!!

  7. 11/06/2015  9:09 by Topol Responder

    É compreensível a renegociação em vista da atual conjuntura econômica... embora isso com certeza impacta negativamente na confiança dos suecos e na credibilidade de nossa parte na negociação, mas não a ponto de haver um retrocesso no contrato... digamos que foi apenas um ponto negativo para nós... igual naquele sites de vendas, se você toma três negativos fica com a reputação suja !

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.