Por Mariano De Vedia

Após a tragédia da ARA San Juan e quase um ano após a falta de submarinos da Marinha, o governo está analisando a possibilidade de projetar e construir um submarino nuclear. O objetivo é colocá-lo na água no ano de 2025.

O projeto prevê o desenvolvimento de um reator nuclear compacto para impulsionar um submarino na estrutura do ARA Santa Fé, o submarino TR-1700, semelhante ao ARA San Juan e cuja construção foi abandonada há 25 anos 70 por cento construído.



A ideia é terminar o submarino no estaleiro Cinar e do conseguir 5 milhões de dólares nos próximos três anos. A iniciativa se tornou público ontem na Câmara dos Representantes em comissões plenárias de Defesa e Tecnologia, na qual se decidiu solicitar relatórios do Poder Executivo para explicar a viabilidade e implementação do projeto.

A possibilidade de que a Argentina construa um submarino nuclear, num momento em que o Brasil desenvolve o seu próprio submarino, surpreendeu as forças armadas, que ainda estão à espera da resposta do governo às reivindicações por reajuste salarial, anunciou no mesmo dia um que o projeto do reator nuclear foi analisado no Congresso.

A reunião foi liderada pelos chefes de ambas as comissões, as deputados Sandra Castro (FPV-San Juan) e Nilda Garre (FPV-Capital). “Com a entrada de vários especialistas convidados, deputados que compõem as comissões de Ciência e Tecnologia e de Defesa, analisar a viabilidade da Argentina contar com um submarino com propulsão nuclear, baseado em tecnologia nacional”, previu pelo Twitter o ex-ministro da Defesa , ao anunciar a chamada.

Pedido de relatórios

Como resultado, ambos os comités irão requerer que o governo de Mauricio Macri se manifeste “para usar os estudos realizados e concluídos no Centro Atômico Bariloche para o desenvolvimento da engenharia conceitual e básica de um submarino de propulsão nuclear TR- 1700”.

Entre os especialistas navais que foram consultados, os almirantes aposentados José Luis Pérez Projeto Varela gerente do projeto de submarinos de Tandanor e Carlos Castro Madero. Além disso, o historiador naval Ricardo Burzaco, especialista e editor da revista Defesa e Segurança-Mercosul, e Horacio Calderon ex representante do estaleiro Domecq Garcia, que participaram na construção da ARA Santa Fe e foi desmantelado nos anos 90.

Em relação ao submarino inacabado, estima-se que há partes suficientes para terminar e podem ser importados outros componentes, além de sistemas passivos de atualização e sensores ativos.

O deputado Carlos Gastón Roma (Terra do Fogo-Pro) recomendou incorporar o projeto no orçamento para “permitir o desenvolvimento de condições de viabilidade”. Em diálogo com a Nação, explicou que, basicamente, analisar a viabilidade de utilizar a estrutura da ARA Santa Fé para transformar o projeto diesel de propulsão elétrica nuclear. Seria, no entanto, uma propulsão híbrida: elétrica e nuclear. “O reator também pode ser usado para um quebra-gelo e para qualquer outro tipo de embarcação”, acrescentou.

A idéia, segundo LA NACION apurou, é que no desenvolvimento do projeto e na construção a Invap e a Marinha intervêm, levando em conta o modelo brasileiro.

A discussão não é menor em termos de custos. Os 5 milhões de dólares necessários para o avanço do projeto seriam para completar o estudo de viabilidade.

Então será a vez de grandes investimentos. “Para colocá-lo na água, temos que pensar em um investimento de US $ 500 milhões”, disse uma fonte especializada ao LA NACION.

No plenário das comissões, foi indicado que a Austrália assinou um acordo para a compra de submarinos franceses – não nucleares – por US$ 3 bilhões. Nesse sentido, ao citar um artigo do engenheiro José Converti, pesquisador e professor do Instituto Balseiro, foi explicado que a Rússia pretende desenvolver um novo submarino nuclear por US$ 500 milhões. E, entre outros planos mais ambiciosos, foi mencionado o caso da França, que desenvolve “o projeto Le Triomphant, com um orçamento estimado em US $ 3.8 bilhões”.

Além do compromisso do Brasil, que já tomou a decisão política de promover essa tecnologia, os países que possuem submarinos nucleares são China, Rússia, Estados Unidos, Reino Unido, França e Índia. A Argentina aspira a ingressar nesse seleto grupo, em meio às fortes restrições orçamentárias que limitam as Forças Armadas.

Um projeto ambicioso

  • Objetivo: Um grupo de engenheiros do Centro Atômico de Bariloche trabalhou no desenvolvimento de um reator nuclear para incorporá-lo ao ARA Santa Fé, um submarino que permanece inacabado.
  • Custos: Estimativas iniciais indicam que colocar um submarino nuclear na água em 2025 exigiria um investimento de US $ 500 milhões. E o avanço imediato do projeto exigiria US$ 5 milhões nos próximos três anos.
  • Homônimo: O ARA Santa Fé tem o mesmo nome do submarino S-21 usado na Guerra das Malvinas e capturado pelos britânicos.

Antecedente: O projeto do submarino à propulsão nuclear foi impulsionado na gestão da ex-ministra da Defesa Nilda Garré. O ministro das Relações Exteriores, Jorge Taiana, se opôs à proposta porque o projeto poderia gerar irritação no governo dos EUA.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN



 

27 Comments

 

  1. 05/07/2018  20:34 by César Pereira Responder

    Essa estória é antiga,esses planos envolvendo essa embarcação já foram amplamente divulgados no passado ,mas não encaro isso com escárnio ,que sabemos nós (brasileiros) sobre construção de submarinos que os argentinos não sabem ou não possam adquirir ?
    Nós compramos tecnologia alemã e francesa, o nosso submarino nuclear só existe no papel e nem temos a certeza que ele sera construído de fato,mas mesmo assim damos pitacos ,como se fossemos mestre nessa arte,mas isso não é de se estranhar, nós vivemos tirando sarro dos iranianos,dos indianos, norte coreanos e até dos chineses !
    Acredito que os argentinos não tenham verbas para bancar tal projeto,mas torço para que consigam e nos mostrem se isso é mesmo possível ! Sorte aos argentinos !

    • 06/07/2018  11:13 by Andre Responder

      Não se trata de escárnio César e sim de realismo. Você só se esqueceu de mencionar porque nosso submarino nuclear só existe no papel, ignorando o descaso político dos sucessivos governos com as Forças Armadas. Coincidentemente o Guilherme acabou de postar uma matéria tratando justamente disso.
      Não é só chegar lá no estaleiro, dimensionar um casco adequado ao reator e instalar os equipamentos e dizer que já tem um submarino nuclear. Os espanhóis estão penado para construir seu S80A (convencional) e agora você acha que um casco antigo pode ser convertido em submarino nuclear? Fazer algo complexo parecer fácil é fácil, mas na prática é outra história.
      Não se trata apenas de construir mas de se operar também e para isso o Brasil está construindo a base específica para esse tipo de submarino. Se para nós já é difícil essa empreitada porque para os hermanos seria diferente César? Nem parece que estamos falando de submarino!

      • 06/07/2018  15:59 by César Pereira Responder

        Meu caro Andre, eu não me aprofundei no nosso futuro submarino nuclear,porque esse não era, nem é o tema principal nesse momento,por isso falei de passagem,no momento oportuno dedicarei maiores comentários a ele !
        Você me pergunta:'' se para nós já é difícil essa empreitada porque para os hermanos seria diferente César ?'' Eu te respondo com uma pergunta retórica, meu caro Andre,você teve acesso aos planos dos engenheiros argentinos,você sabe realmente como farão essa adaptação.não sabe né ?
        Nós brasileiros desenvolvemos sozinhos nossas ultracentrífugas ,que segundo a mídia especializada,seriam bem melhores que as de outros países,alguns dizem que elas trabalham com levitação magnética,são um'' verdadeiro milagre'' da engenharia , e fomos nós que fizemos,mostramos ao mundo que podemos fazer esta aí,uma inovação, por isso digo que os argentinos podem fazer do TR-1700 um submarino nuclear caso tenham verbas para tal, na Argentina existe empresas capazes de fazer isso acontecer assim como fizemos aqui com as centrífugas,o fato de ninguém ter feito,não quer dizer que não possa ser feito !
        Por fim,antes que perguntem,eu não estou comparando ultracentrífugas com submarinos,estou só usando como exemplo para mostrar que coisas aparentemente impossíveis podem ser feitas, segundo alguns os besouros não poderiam voar,pois são pesados e nada aerodinâmicos ,mas mesmo assim eles voam ! Grande abraço !

  2. 05/07/2018  20:20 by jose luiz esposito Responder

    Muito bla bla bla e também despeito brasileiro , quando deveríamos aqui pensar que os nossos dois países poderiam trabalhar juntos em Projetos de defesa e espaciais já de a muito tempo, inclusive em Reatores Nucleares para propulsão Naval , eu penso em até construirmos Armas Nucleares conjuntamente , então deixaríamos de ser Capachos de um certo país !

    • 06/07/2018  11:41 by Andre Responder

      Mas também José Luiz não é para menos! O seu "bla, bla, bla" é que acaba sendo um despeito por não levar em consideração do que estamos lhe dando aqui. As pessoas não se dão conta que submarino não é uma embarcação qualquer. O problema não é eles terem esse submarino o problema é como eles pretendem tê-lo. Usar um casco antigo, construído para uma categoria inferior, instalar equipamentos que exigem espaço, tendo custo de operação diferente do convencional com uma equipe especializada e temos que aceitar essa aventura a seco?
      O Scorpené é derivado dos submarinos nucleares, ou seja, do maior para o menor; do mais complexo para o "mais simples" (relativamente). Portanto é evidente o retrocesso, mas o contrário não! É como você pegar uma foto simples e querer convertê-la em full hd: fica ruim. Bom enfim, se é algo tão fácil como eles pensam sigam em frente, mas se tiverem que pedir ajuda como a Navantia vai ficar difícil.

      • 06/07/2018  12:03 by jose luiz esposito Responder

        Primeiro , pegaste o Bonde andando , nem pensei em responder as tuas insinuações para com a Argentina , apenas quis colocar que desde tempos remotos defendo um trabalho conjunto com os argentinos , primeiramente no ESPAÇO , depois em Defesa , Tecnologias diversas e trazendo outras nações vizinhas e amigas , porém nossos militares vivem com a Cabeça em outra nação que sempre que pode nos colocou cascas de bananas em nosso caminho. Sobre Submarinos é possível sim a Argentina transformar um TR em SUB nuclear , como nós aqui transformarmos os Riachelos também em Nucleares , estes até bem mais fácil !

        • 06/07/2018  16:32 by César Pereira Responder

          Eu concordo com você meu caro Jose Luiz Esposito, nos sul americanos e porque não dizer todos nós latinos americanos poderíamos nos unir por um bem comum nas mais diferentes áreas ,o desmembramento da UNASUL foi um erro enorme, pagaremos caro no futuro ! Voltando ao TR-1700, esse projeto argentino não é novo,segundo matérias antigas os argentinos usariam o reator Carem que foi projetado a partir de uma ideia de motor naval , construído pela INVAP por isso eu também acredito que esse projeto possa sim ser terminado caso tenham verbas !
          Grande abraço !

      • 06/07/2018  14:18 by Jose luiz esposito Responder

        Andre es o dono do site para dar oportunidade a alguem . Nem reparei em tua presença e em teus palpites !!!

  3. 05/07/2018  19:14 by Andre Responder

    Nossa esses argentinos viajam! Uma coisa é a Rússia construir submarinos nucleares com toda sua experiência, outra completamente diferente é a Argentina. E o que faz o Le Triomphant nessa matéria? É um SSBN!!!! Se já era impensável uma situação dessa ainda esqueceram de combinar com os britânicos.

  4. 05/07/2018  19:12 by Renato Responder

    Não tem nem aviação militar e quer submarino nuclear...

  5. 05/07/2018  17:53 by Jarbas Responder

    Na verdade eles estão apenas fazendo marketing barato para ganhar votos, os argentinos são famosos por começar algo e parar na metade, até para nossos políticos incompetentes isso é impensável mas para eles é normal, abandonar um submarino pela metade aff kkkk, olhem só a dor de cotovelo deles kkkkkkkkkkkkkkkkk eles morrem de inveja da gente.
    Vejam no YouTube com o título:
    Submarinos Brasileños, Ridiculo Argentino.

  6. 05/07/2018  17:38 by kfir Responder

    a inveja é uma coisa...
    estão falidos pegaram 50 bilhoes do FMI

  7. 05/07/2018  17:37 by L365 Responder

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Essa palhaçada argentina começou 2 anos depois de o Lula anunciar o retorno do desenvolvimento do submarino nuclear Brasileiro em 2008!! Submarino Tr-1700 nuclear kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Piada alá Argentina. Dor de cotovelo pura.

  8. 05/07/2018  17:02 by Bruce_D Responder

    Hahahaha... Também tenho uma piada ótima: "Era uma vez..."

  9. 05/07/2018  16:57 by claudio quadros Responder

    quere fazer igual primeiros submarinos nuclear década 50 simples baseado projeto americanos reator antigo problema e que tudo caro e bom cabeça do povo boa sorte argentinos

  10. 05/07/2018  16:45 by César A. Ferreira Responder

    Que piada!
    Não conseguem manter voando um simples Mi-17 e querem projetar e lançar um submarino nuclear...
    Isto é Argentina.

  11. 05/07/2018  16:22 by Marcos Paulo Responder

    Quem é esta fonte Mariano de Vedia?

    • 05/07/2018  17:05 by Luiz Padilha Responder

      Reporter do jornal La nacion

  12. 05/07/2018  15:47 by Gilbert Responder

    Com todo o respeito mas acho que erram a data é em 2125 e não 2025

  13. 05/07/2018  13:57 by GABRIEL Responder

    kkkkkkkkkk rapaz tem que rir de uma coisa dessa, não tem como kkkkk Eles não possuem experiencia alguma com submarinos nucleares, aliás, não foram capazes de seguir com o projeto de submarinos convencionais que estavam construindo, e aí do nada chegam e falam que em 7 anos vão desenvolver um submarino nuclear com um orçamento militar que não ultrapassa os 3 bilhões de dólares, enquanto que o Brasil tem um orçamento 10 vezes maior e ainda sim ta sofrendo horrores pra construir seu submarino nuclear próprio...cara sem palavras...a única coisa que eu consigo é sorrir disso kkkkkkkkkk

  14. 05/07/2018  13:20 by Wolfpack Responder

    Los hermanos precisam enfrentar sua realidade de forma estruturada e contínua, não com essas viagens de transformar uma sucata o ARA Santa Fé em submarino nuclear. Isso soa ridículo e uma piada. Antes precisam construir um submarino convencional, ou em breve terão que recorrer com urgência a um pedido de socorro internacional como no caso do San Juan com o agravante de ser uma fonte de contaminação e acidente nuclear. Eu pensava que nós tinhamos os piores administradores público do Mundo, mas a Argentina nos supera com folga.

  15. 05/07/2018  13:15 by Luiz Responder

    Esse tipo de notícia é uma piada deixa eu ver se eu entendi eles querem colocar um reator nuclear, bombas de refrigeração ,condensadores,válvulas,turbinas, um poderoso motor elétrico e ainda mecanismos que evitam que a tripulação seja exposta a radiação em um tr-1700 abandonado a quase trinta anos????
    O tudo isso cabe dentro do tr-1700? a estrutura dele está preparada para o aumento de peso? Ele consiguirá emergir e navegar normalmente? Será preciso reprojetar o submarino?Quantos engenheiros na Argentina sabem projetar um submarino? 500 milhões não compra nem um u214 o que dirá construir um submarino nuclear!

  16. 05/07/2018  13:10 by Beto Santos Responder

    Isso me parece dor de cotovelo pois se o Brasil vai ter um sub nuclear os argentinos que são a "nata"da América Latina e muito mais inteligentes que os Brasileiros tem que colocar um no mar antes do Brasil, kkkk, é cada uma que me aparece quem sabe eles conseguem colocar este sub antes de nós mais ai vai ser uma marinha simples com um único submarino e mais nada nem navios vão ter, que ridículo isso.

    • 06/07/2018  12:08 by jose luiz esposito Responder

      Primeiro , pegaste o Bonde andando , nem pensei em responder as tuas insinuações para com a Argentina , apenas quis colocar que desde tempos remotos defendo um trabalho conjunto com os argentinos , primeiramente no ESPAÇO , depois em Defesa , Tecnologias diversas e trazendo outras nações vizinhas e amigas , porém nossos militares vivem com a Cabeça em outra nação que sempre que pode nos colocou cascas de bananas em nosso caminho. Sobre Submarinos é possível sim a Argentina transformar um TR em SUB nuclear , como nós aqui transformarmos os Riachelos também em Nucleares , estes até bem mais fácil !

  17. 05/07/2018  12:58 by césar silva Responder

    isso é sério ta mas pra conversar pra boi dormir como já foi comentado e o resto da frota? e das forças armadas em geral? se eles conseguirem parabéns. só uma observação se dizia que os submarinos alemães não servia para submarinos nucleares foi um dos argumentos para a compra dos submarinos franceses

  18. 05/07/2018  12:43 by FERNANDO Responder

    Ishi, sonhar todos podem.
    Vão gastar um dinheirama e fragatas e corvetas???
    Bem, deixa pra lá.

  19. 05/07/2018  12:36 by ricardo Responder

    Isso me pareceu uma grande gambiarra. Enfim...

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.