gripen-e_01

Desde o rollout do Gripen E, ocorrido em maio deste ano, o programa vem assistindo grandes progressos. As atividades de validação e verificação, como testes em equipamentos e simuladores foram realizados, e o período de teste de solo está em pleno andamento. O desenvolvimento baseado em modelo foi implementado e está sendo muito bem sucedido.

“Power on” e arranque do motor, são apenas dois exemplos de importantes marcos alcançados pelo programa que vem sendo realizados durante os últimos meses.

Com o Gripen E, a Saab tem posto em prática todo o conhecimento e experiência acumulados em mais de 75 anos de construção de aeronaves e o resultado é um caça inteligente, projetado para adaptar-se a evolução das ameaças e requisitos operacionais, como maiores áreas a defender (como no caso do Brasil) e novos cenários de ameaça.

O Gripen E tem um sistema de aviônicos revolucionário que garante que o futuro seja construído a partir do início. O sistema de aviônicos separa funções críticas dos Voos dos recursos táticos, permitindo que os clientes possam atualizá-lo (o sistema) e assim obter as mais recentes capacidades, com mais agilidade e com menores riscos.

gripen-e_03

Essas futuras atualizações, mudanças e funcionalidades, podem ser feitas através da adição de “apps”, sem a necessidade de requalificar todo o sistema.

“Nós estamos nos sentindo muito estimulados. A aeronave está respondendo muito bem a todas as atividades de testes e verificações. Desde o rollout em maio, temos alcançados grandes marcos, como o “start” da aeronave e do motor. O que falta para o primeiro voo é a qualificação do software para provar oficialmente, o que oficiosamente nos já sabemos através da quantidade de testes que realizamos”, disse Lars Ydreskog, Chefe de Operações da área de negócios de Aeronáutica.

A qualificação 

gripen-e_04

Agora, estamos testando o novo sistema de aviônicos no rig, o cockpit do Gripen já está conectado ao novo sistema de aviônicos.

“Este é o mais perto que você começa a voar do real, de modo que é um bom método de ensaio de missão para o piloto, o hardware e o software. Nós vemos que a abordagem da Saab do modelo baseado de desenvolvimento é muito útil nesta fase, porque eles são muito precisos, podendo desafiar o sistema de uma forma muito realista. Vemos uma estabilidade muito boa no nosso rig de aviônicos”, disse Hans Einerth, piloto de provas chefe da Saab.

A boa evolução do programa Gripen E permitiu a Saab tomar a decisão de realizar a qualificação completa da arquitetura do software do sistema, isso antes do primeiro voo com a primeira aeronave de teste, em vez de realizar a qualificação parcial como é de praxe na indústria aeronáutica.

gripen-e_02

“Nós estamos muito confiantes na nossa nova arquitetura de aviônicos. Estimulados pelos progressos do programa, vimos a oportunidade de nos qualificarmos para o padrão mais alto antes do primeiro voo. Isso não é visto normalmente na indústria de caças, mas decidimos seguir nesta direção, e estamos confiantes de que o caminho escolhido irá minimizar o risco e beneficiar o programa de teste de voo completo, garantindo uma plataforma de aviônicos totalmente estável, para quando o período de teste de voo começar”, completou Lars Ydre

NOTA do EDITOR: Segundo a Saab nos informou, o primeiro voo do Gripen E deve ocorrer no segundo trimestre de 2017.

FONTE: Saab
TRAUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN

 

5 Comments

 

  1. 25/11/2016  9:35 by Bueno Responder

    Os protótipos serão descartados ou serão aproveitados após a certificação ? Liue no caso dos 3 protótipos do KC serão aproveitados pela FAB após a certificação
    Grato!

  2. 25/11/2016  9:31 by Gilberto Rezende Responder

    YELLOW FLAG UP !!!
    Desde SEMPRE este foi um dos meus receios com o Gripen, a diferença IMENSA do interesse e pressa suecos para o interesse e pressa dos brasileiros.
    Este papinho de qualificar totalmente os aviônicos e esta lenda de atualização por APPs me lembra muito o programa JSF (F-35) este tipo de "novo avanço" e de "cortar caminhos" inovadores na indústria aeronáutica geralmente levam a atrasos e ERROS de projeto.
    Quem tem um celular Android sabe que esta coisa de sistemas de APPs resulta em problemas decorrentes de teste frágeis e APPs "compatíveis" que tem pequenas diferenças do padrão, APPs compatíveis com o sistema de base MAS incompatíveis entre si e quando você faz um upgrade do sistema de base APPs em serviço passam a não funcionar...
    Os suecos inicialmente nem queriam Gripen E 100% novo e não quiseram a versão F.
    Eles NÃO TEM PRESSA alguma de substituir seus Gripens C/D e podem ser tão cautelosos quanto quiserem com o desenvolvimento DO SEU CAÇA o Gripen E e atrasar seu voo inaugural em um ano sem suar... OS BRASILEIROS NÃO !!!
    Para o "parceiro" Brasil ao qual os suecos não tiveram nem a capacidade de HONRAR a promessa feita ANTES da escolha no F-X2 de prover Gripens C/D provisórios até o término do desenvolvimento do Gripen E/F este ano a mais na demora do voo inaugural vem embalado com este CAÔ que estamos testando 100% dos aviônicos antes de voar representa mais um ano voando o FOREVER FIVE...
    Seja crente neste hocus pocus de release de marketing quem quiser mas, até prova em contrário o avião de papel atrasou mais um ano INTEIRO para fazer o seu voo inaugural e já temos ANOS de sua escolha de aquisição...
    Feita em DEZEMBRO de 2013, se o prazo atual não for postergado mais adiante, o voo inaugural do Gripen E SUECO se dará 3 anos e meio depois do anúncio de sua vitória oficial no F/X-2...
    Sabe-se lá quando chegará a primeira aeronave...
    Esperaremos sentados...
    Desculpe-me a sinceridade e a falta de fé...

  3. 24/11/2016  21:35 by Flanker Responder

    tomcat3.7, o que você se refere é o IRST, dispositivo de busca passiva de alvos por infravermelho. Realmente não está colocado no protótipo, mas se você ampliar um pouco a primeira foto da matéria, verá que há uma "tampa", por assim dizer, de cor amarelada ( da cor do primer da pintura), no local onde ele fica. É um equipamento de razoável facilidade de colocação e remoção. Deve ter sido tirado por algum motivo, mas nas unidades operacionais (ao menos dos caças que contam com esse equipamento, com Rafale, por exemplo) é um equipamento que é mantido constantemente instalado na aeronave.

  4. 24/11/2016  18:48 by Leonardo Rodrigues Responder

    Caros o primeiro vôo não estava marcado para segundo semestre deste ano. Seria problemas no software ou mudanças necessárias a incorporação de novos armamentos? Ou apenas prudência?

  5. 24/11/2016  14:05 by tomcat3.7 Responder

    Observar que ele está sem aquele sensor que fica à frente da cabine e que parece um caroço.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.