Por Carlos Lima

Uma das mais interessantes atrações do Historic Society fica por conta das diversas palestras que sempre acontecem englobando os mais diversos temas relacionados à aviação.

Das palestras, destaco duas. Uma com um dos veteranos do Doo Little Raid (ataque à Toquio feito por B-25 operados a partir de Porta Aviões), Lieutenant Colonel Edward J Saylor, que acabou pousando na China. O veterano contou o quanto foi arriscada a missão, a dureza do treinamento para conseguirem decolar a partir de um Porta Aviões, o bombardeio em si, que acabou acontecendo horas antes do previsto por conta da aparição de uma traineira japonesa, a qual poderia revelar a posição dos Americanos.

Além disso ele contou sobre o medo que teve quando foi recebido por chineses, pois os mesmos por um tempo, desconfiaram se eles eram realmente Americanos ou não. Um dos tripulantes ficava mostrando as bandeiras dos EUA e da China, tentando mostrar que eles eram ‘amigos’ e além disso, o livro com as traduções em chinês não funcionou, porque esse vilarejo falava um dialeto desconhecido.

Outro veterano contou como era interessante catalogar as aeronaves alemãs encontradas pelos Americanos no ‘pós guerra’ e o processo de acondicionamento e embalagem delas para futuros testes.

A outra palestra foi com Jessica Cox, uma moça que pilota aviões somente com os pés. Apesar de ter nascido sem os braços, seus pais sempre a trataram como uma criança normal e ela sempre sonhou em se tornar uma piloto, até que, com muita perseverança e esforço, conseguiu tirar o seu breve de piloto privado e hoje em dia é conhecida por ter se especializado em palestras de motivação pessoal.

Esse é um dos principais aspectos que tornam a visita ao Historic Society sempre interessantissima, pois o seu objetivo principal é expandir a cultura da aviação, mostrar à crianças e adultos a história de pessoas que viveram momentos importantes da sua vida relacionados a aviação, educar e expandir os horizontes de quem realiza uma visita.

O 787 no pátio da Boeing

Além das aeronaves do Historic Flight Society, por conta da sua localização ao lado da fábrica da Boeing em Everett, foi possível clicar várias aeronaves em diferentes estágios de fabricação.

Diversos 787 de várias companhias aéreas diferentes como JAL, ANA, India Airlines, China Southern e Ethiopian Airlines, assim como diversos 747 da Korean, Lufthansa e mesmo um ainda na pintura ‘prime’ e bem escondido um Boeing B-52 da USAF.

 

Mas o convidado ilustre foi um Dream Lifter que estava saindo para buscar partes para os 787 em algum lugar do mundo, que nos agraciou com um taxi e uma decolagem bem na frente do show aéreo. O Dream Lifter é um 747 modificado para carga de asas e outros componentes grandes do 787 sendo uma das aeronaves da Boeing que mais voa ao redor do mundo e vê-la em operação durante o dia é uma raridade.

Fui convidado a fazer parte da Historic Society e espero no futuro estar trazendo mais matérias sobre o que essas pessoas fazem para preservar e divulgar a cultura e a história da aviação.

image_pdfimage_print

 

2 Comments

 

  1. 27/09/2012  11:39 by Guilherme Wiltgen

    Parabéns Carlos, a matéria está de primeira!
    Será que algum dia vamos ver algo parecido por aqui??????
    Abraços,

  2. 28/09/2012  17:05 by Luiz Padilha

    Difícil.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.