O navio porta-helicópteros chegou logo após o amanhecer para uma breve visita de despedida à cidade, antes de retornar a seu porto base em Devonport, pela última vez sob a bandeira do Reino Unido.

O Comandante do HMS Ocean, Captain Robert Pedre, disse: “Os tripulantes do meu navio e eu, estamos muito ansiosos para a nossa visita a Portsmouth. É justo que o Capitânia deva ter esta oportunidade de se despedir da cidade antes de dar baixa, uma visita que é ainda mais pungente para os muitos membros do navio que têm o privilégio de chamar esta cidade naval histórica de casa”.

Desde o comissionamento na Royal Navy, em 1998, ela esteve envolvida na Operação Palliser durante a guerra civil em Serra Leoa (2000), a Operação Telic no largo da costa do Iraque (2003), na Operação Ellamy como parte de uma coalizão internacional na Líbia (2011), e mais recentemente, o contingente furacão alívio na Operação Ruman no Caribe.

Ela ajudou a evacuar cidadãos britânicos e outras pessoas de várias áreas de conflito em todo o mundo e assistência humanitária e socorro para milhares de pessoas em necessidade, para citar apenas alguns de seus destaques operacionais.

Uma das operações finais do HMS Ocean a exemplo da sua primeira, foi o papel de prover assistência humanitária e alívio de desastres. No início de 1999 HMS Ocean foi designado para prestar assistência a Honduras e Nicarágua, na sequência do furacão Mitch. Cerca de 18 anos depois,realizou a mesma missão nas ilhas no Caribe, como parte da Operação Ruman.

“HMNB Portsmouth está extremamente orgulhosa de receber o Capitânia de Esquadra”, disse o Captain Bill Oliphant, Comandante da Base Naval. “Foi extremamente comovente vê-la atracada junto ao nosso novo porta-aviões HMS Queen Elizabeth e abrindo caminho para uma nova classe de capacidade. Tenho certeza que ela vai ter uma fantástica, e merecida Recepção em Plymouth, na próxima semana, quando ela atracar pela última vez na nossa base naval irmã”.

O papel do HMS Ocean como um navio anfíbio altamente capaz a permitiu contribuir significativamente para operações no Reino Unido ao longo dos anos, muitas vezes embarcando o Royal Marines, os helicópteros da Fleet Air Arm e do Army Air Corp da RAF, bem como fuzileiros, soldados e outros tipos de aeronaves de nações amigas.

O navio passou 11, dos últimos 16 meses, em operações no exterior, durante os quais ela cobriu quase 50 mil milhas.

FONTE e FOTO: RN

 

13 Comments

 

  1. 06/02/2018  17:34 by mauricio matos Responder

    O pessoal da MB deve aproveitar a ida na Inglaterra e da uma sondada nas fragatas Ty23 que vão ser descomissionadas .

  2. 05/02/2018  21:47 by Esteves Responder

    O A12 não foi abandonado. Comprado por uma oferta pontual de 12 milhões de dólares nunca funcionou.

    O orçamento mais otimista para colocar o NAe São Paulo operando foi de 1 bilhao de reais. O mais realista chegou a 1 bilhão e 200 milhões ou 2 Tamandaré. Poderia chegar a 1 bilhão e 500 milhões.

  3. 05/02/2018  21:22 by Adriano Corrêa Responder

    Sou teimoso e digo uma coisa com muita certeza: O Brasil não deveria ter abandonado o A12, para manter o domínio de asas fixas nos nossa mares e Atlantico Sul.

    O Ocean é muito bom mas é de uma categoria diferente do A12.

    Dinheiro tem sim, não tem é capacidade moral pra manter uma esquadra em funcionamento.

  4. 05/02/2018  18:36 by fabio souto. Responder

    Padilha sera que o Ocean pode trazer os tres helis AH-11 que estão sendo modernizados?

      • 05/02/2018  21:59 by Pablo Responder

        acho que também seria uma boa oportunidade averiguar os Super Cobras que vão estar disponíveis, quem sabe?

  5. 05/02/2018  11:58 by Willhorv Responder

    Ahhh....a última foto ilustra o choque de sonho x realidade!!! Kkkkkkkk
    Mas esta muito bom devido as condições atuais.

  6. 05/02/2018  11:55 by Willhorv Responder

    Já definiram o que vai vir com esta máquina?
    As defesas, sistemas, lanchas...etc?
    E como será operado? Quais helis...escoltas...etc?

    • 05/02/2018  15:55 by Luiz Padilha Responder

      Ainda este mês a MB irá assinar a posse do navio. Vamos ver então como ele virá.

    • 05/02/2018  17:18 by Andre Responder

      O nome dele!

      • 05/02/2018  17:56 by Luiz Padilha Responder

        Provavelmente sim, mas está guardado a 7 chaves. rsrsrsrsrs

        • 05/02/2018  20:13 by Andre Responder

          "Mistério" rsrsrs

          • 07/02/2018  15:37 by Claudio Responder

            Vamos começar um bolão. kkk
            Acho que vai ser um nome de Estado.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.