Por Guilherme Wiltgen

Passada a fase de confirmação da aquisição oficial do porta-helicópteros HMS Ocean, pela Marinha do Brasil, o Defesa Aérea & Naval, no final do ano passado, fez vários questionamentos sobre o futuro capitânia da Esquadra.

Nem todos os questionamentos puderam ser respondidos, devido ao estágio inicial das negociações e das tratativas contratuais.

Abaixo, seguem as informações enviadas pelo Centro de Comunicação Social da Marinha (CCSM):

“Senhor jornalista,

A Marinha do Brasil (MB), por meio da Diretoria de Gestão de Programas da Marinha (DGePM), informa os seguintes estágios de desenvolvimento do processo de aquisição do HMS “Ocean”:

Foram realizadas duas vistorias técnicas no navio, nos meses de junho e novembro de 2017, indicando que o HMS “Ocean” encontra-se em boas condições técnicas e operacionais.

Após reuniões técnicas preliminares com representantes do Ministério da Defesa do Reino Unido (MoD) e da Marinha Real Britânica (Royal Navy), ocorridas em novembro último, ficaram pré-acordados alguns planejamentos relacionados à manutenção/docagem do navio ainda no Reino Unido, treinamentos e cursos para a futura tripulação brasileira e cronograma de transferência do navio.

Ainda, a partir daquela data, foram iniciadas as negociações, ora em andamento, para a formalização do contrato de aquisição, a fim de conferir segurança técnica e jurídica ao processo.

Ademais, a futura aquisição do navio proporcionará melhores condições para que a MB permaneça exercendo as suas atribuições constitucionais, especialmente na Amazônia Azul.

Trata-se de um Porta-Helicópteros e de Assalto Anfíbio, concebido para as tarefas de projeção de poder sobre terra, pelo mar e pelo ar, e Comando e Controle de áreas marítimas.

É apropriado, também, para missões de caráter humanitário, auxílio a desastres e operações de manutenção de paz, além de poder ser empregado em missões estratégicas logísticas, transportando militares, munições e equipamentos.

Por fim, considerando o estágio das negociações, cabe esclarecer que o futuro nome do navio e seu indicativo visual ainda não foram escolhidos pela MB.”

NOTA do EDITOR: O DAN agradece ao CCSM e ao DGePM pela atenção às nossas demandas.
Continuamos acompanhando o processo de aquisição, divulgando as informações oficiais da Marinha do Brasil, e assim mantendo nossos leitores bem informados.

 

56 Comments

 

  1. 22/05/2018  11:43 by Rafael Responder

    OLA PESSOAL SOU UM CIVIL SEI MUITO POUCO SOBRE AS NOSSAS DEFESAS MAIS ACHO QUE SERIA VIÁVEL AO BRASIL CONCERTA O PORTA AVIÕES SÃO PAULO EU VI NUM CANAL DO YOUTUBE FALANDO DE UMA FABRICANTE DE PORTA AVIÕES QUE PODE FABRICAR NO BRASIL 4 PORTA AVIÕES E DE QUEBRA SOBRA DINHEIRO PRO BRASIL COMPRA VÁRIOS CAÇAS PODENDO ASSIM TER UMA DAS MAIORES ESQUADRAS AÉREAS

  2. 16/02/2018  16:37 by denis Responder

    Sou um mero civil bem ignorante no assunto
    Mas a Marinha ganharia muito ao vender o Sao Paulo? realmente seria muito interessante torna-lo em um museu.
    Voces, que tem mais dominio do assunto, poderiam fazer uma campanha para que isso se torne realidade. o Brasil só teria a ganhar

  3. 15/01/2018  10:41 by jose luiz esposito Responder

    Diversas vezes coloquei que uma Reforma dele seria possível se a MB , parasse com a Ideia de Catapultas , colocaria uma Rampa na Proa , mudaria a propulsão para Diesel/Elétrica ou Gás/Elétrica , recuperaria o aparelho de parada e trocaria os Tanques de combustíveis , mas isto deveria ser construído antes , quando mexessem no Navio , deveria ser somente para as Instalações e Trocas

    • 15/01/2018  13:48 by Luiz Padilha Responder

      Esposito, os estudos foram feitos mas não seriam apenas trocar os tanques. O aparelho de parada estava revisado. Existem diversos itens para a modernização, mesmo se eliminando as catapultas, que se mostraram inviáveis o investimento. Se fossemos uma China que está com dinheiro sobrando, OK, mas não somos e nem sei se seremos um dia, infelizmente.

  4. 14/01/2018  21:40 by Juarez Responder

    Lembrando que a vinda dos três ciws Phalanx não dependia menos da aprovação do congresso americano, mas sim, fortemente da capacidade da MB de manter e operar os três sistemas e seus três radares de busca e os três respectivos diretores de tiro.
    Fato este que ainda se tem inúmeras incertezas.

    G abraço

  5. 13/01/2018  13:00 by Arthur João Mendes Teles Responder

    Só digo uma coisa: NPHm Pernambuco

    • 13/01/2018  13:14 by Luiz Padilha Responder

      Não sei se será NPHm mas Pernambuco é um nome fortíssimo.

  6. 13/01/2018  12:28 by jose luiz esposito Responder

    Senhor Evandro Maynard , troque Amazonas por AMAZONIA , talvez aceitem !

  7. 13/01/2018  12:23 by jose luiz esposito Responder

    Sr Rodrigues Barbosa , penso que o senhor esta enganado , as Asas Fixas já eram usadas com Minas Gerais , penso que o senhor não tem essa informação . Depois a MB gostou tanto do novo brinquedo que desativou prematuramente o Minas Gerais , poderíamos tê-lo por mais uns Cinco anos em Serviço e conseguido fazer a reforma necessária ao São Paulo , que a MB sabia que teria que fazer , não foi Iludida não !

  8. 13/01/2018  11:58 by Fernando Responder

    O A12 poderia virar fonte de receita para a MB sendo transformado em museu e centro de eventos com bares e restaurante temático abrigando uma noa coleção de aeronaves antigas da MB e FAB e ate de Nações amigas. Não faltariam visitantes dispostos a pagar e por ex. Brincar num super simulador de AF-4 pousando a nordo do velho SP.... O projeto poderia ser viabilizado através de uma PPP. Ganhariam todos a MB, o RJ e o público.

  9. 13/01/2018  11:45 by Fernando Responder

    O A-12 São Paulo seria uma excelente fonte de receita para a MB. Encostado próximo ao Centro Cultural da Marinha poderia ser transformado em Museu com algumas Aeronaves historicas como os Sea King o próprio A4 e os S2 Traker e outros que poderiam ser doações de Nações amigas como algum sptifire, P-47, F4, F5, F8, Super Entendard (que não poderia faltar), etc. Colocar uma loja bem legal com souvenirs, centro de eventos, lancherias, restaurante temático, e promover diversos eventos durante todo o ano. Tenho certeza que seria lucrativo. Eu seria um.
    a pagar para visitar o navio. Poderiam propor uma PPP para viabilizar o projeto. Baita negócio para a MB, para o RJ e para o público em geral.

    • 13/01/2018  11:54 by Luiz Padilha Responder

      Imaginem que para entrar no usa Independence em NY custa a bagatrla.de 33 dólares por pessoa, tirando as diferenças entre os navios, acervo e país, acho sua idéia muito boa. O que a MB vai gastar para retirar o Amianto do navio antes de vende-lo como sucata, não compensa e a MB ao longo dos anos iria recuperar isso fácil devido ao navio se transformar em mais uma atração turística da cidade. O problema é que os preços não poderiam ser tão baixos como são os atuais e nem tão altos que espantassem o público. Acho que no nível do Aqua Rio já seria de bom tamanho. Lanchonete, restaurante e Loja Boa com variedade e QUALIDADE, mataria a pau.

      MAS...........

  10. 13/01/2018  11:27 by Noisy Responder

    Podia chamar Minas Gerais , já que é o único nome que rendeu bons navios na marinha.

  11. 13/01/2018  11:24 by Noisy Responder

    São Paulo já foi tarde

  12. 13/01/2018  7:07 by Leandro Moreira Responder

    Não seria possível aproveitar o São Paulo como porta helicópteros em vez de comprar um?

    • 13/01/2018  9:10 by Luiz Padilha Responder

      Leandro, o casco do NAe São Paulo está em bom estado, mas seu interior, o recheio, está 100% comprometido. Tanques de combustível podres pela ação do tempo e do combustível (combustível de aviação é altamente corrosivo). Portanto, sua reforma é inviável, pois o custo para reformar e ATUALIZAR o navio extrapolou todas as previsões. Isso sem contar que não havia garantia de que o navio viesse a desenvolver a velocidade minima para operações aéreas com caças.

      A MB não desistiu de ter seu porta Aviões, apenas está aguardando um momento melhor do país para que esse projeto avance.

      • 13/01/2018  15:52 by Marcos Henrique Responder

        Pergunta pertinente a matéria:
        Quais modelos de aeronaves de asas rotativas estão sendo estudados para operar a partir do "Ocean" quando este for transferido a MB?

        • 13/01/2018  16:38 by Guilherme Wiltgen Responder

          Marcos,
          O Ocean pode operar com todos os modelos de helicópteros da nossa Aviação Naval, inclusive com a versão operacional do H225M naval (AH-15B) armado com o Exocet.
          Abs,

  13. 13/01/2018  2:54 by Ricardo Responder

    Lixo inútil

    • 13/01/2018  7:30 by Gil Responder

      Pese ao pouco uso militar que teria a falta de verdadeiros escoltas, e ainda que fosse para manter doutrina e ser usado em missoes humanitarias, já não seria uma aquisição inutil, menos ainda um lixo somente pelo fato de não ser novo.

      Esse comentario teu veio em base, a que?

  14. 13/01/2018  0:15 by claudio quadros Responder

    Porta aviões Sao Paulo sera vendido China esse dias tinha comandante chines la de olho nele .ele sera terceiro por aviões chines . vão copia-lo reforma Sao Paulo eles

  15. 12/01/2018  21:38 by Rodrigues Barbosa Responder

    O NAe Sao Paulo já cumpriu seu papel, que era trazer a Marinha do Brasil de volta as operações com aeronaves de asa fixa. Depois só trouxe prejuízo, tanto financeiro como para a vida de alguns militares.
    Já o HMS Ocean, é ótima aquisição. Trata-se de um navio miltipropósito e custar 4 vezes menos do que a reforma do A-12 (que descanse em paz).
    Entretanto, espero que depois a MB consiga um porta aviões com um mínimo de decência.

  16. 12/01/2018  21:34 by Evandro Maynard Responder

    Que tal o porta helicópteros se chamar Amazonas seria uma bela referência ao estado mais importante é cobiçado do mundo

  17. 12/01/2018  21:04 by Wolfpack Responder

    Eu transformaria o NAe São Paulo em um Museu. Seria muito legal. Colocaria no Rio, ou em um porto onde fosee fácil o acesso de turistas. Não vale a pena transformá-lo em sucata. Quanto ao Ocean, ótima aquisição de oportunidade e com os dois pés no chão. Tomará que a Marinha faça bom uso da Nave. Eu ainda ficaria de olho nas Type 23. São as melhores fragatas em uso próximo do descomissionamento. O Chile, que não brinca com as suas forças armadas, já as opera com sucesso.

  18. 12/01/2018  20:53 by Mabeco Responder

    Excelente aquisição, para tempos de guerra e paz.

  19. 12/01/2018  20:40 by Teropode Responder

    Uma rampa no SP daria um boa sobreviva, mas faltou ousadia do almirantado, aliás agem como se fossem oficiais da USNAVy.

    • 12/01/2018  20:50 by Teropode Responder

      Os belos A4 dariam bons escaladores de rampas, boa relação peso potência, ótima área alar, e seriam reabastecido após a decolagem ,,, mas já foi, perderam mais uma oportunidade.. Aliás parabéns aos chineses pela organização e beleza do convés de seu PA.

    • 12/01/2018  21:18 by JLM Responder

      Uma rampa não resolveria o principal problema do São Paulo que é a propulsão.

    • 12/01/2018  22:11 by FighterBR Responder

      O SP possui a rampa. Os franceses mandaram a rampa onde testaram o Rafale.

  20. 12/01/2018  20:35 by Teropode Responder

    Se faltar grana, planejamento e competencia, até máquinas novas deterioram rapidamente, o Nae SP poderia facilmente ter seu sistema cato ar substituído por uma Sky Jumps, mas....., oque não falta são boas células de A4 por aí!

  21. 12/01/2018  20:15 by César Pereira Responder

    O A-12 já era, sua desativação foi a melhor coisa que nos aconteceu, aquilo era uma pedra de tropeço,só serviu aos francese.que tentaram a todo custo nos arrancar uma grana com um projeto de modernização da embarcação.sem serventia alguma !
    Eu sei quem muitos querem um 'Nae Ostentaçãio', para tirarmos onda,mas as coisas não funcionam assim, devemos ter seriedade !

    • 12/01/2018  23:47 by Andre Responder

      Sem falar que é um navio bem antigo, sem sobressalente!
      Reformaram o Ceará e ele deixou os marinheiros na mão.
      Porque deveríamos esperar menos desse?

  22. 12/01/2018  19:29 by pgusmao Responder

    Logo os chineses compram o São Paulo como sucata e o transformam em um dos seus porta-aviões.

    • 12/01/2018  19:50 by DUDU Responder

      Pra transformar ele em um "cassino" kkkkkkkkkkkk

  23. 12/01/2018  18:38 by Esteves Responder

    Eu também não entendo nada do que o Cláudio escreve. Absolutamente nada.

    O NAe São Paulo cumpriu sua missão: desfilar. Infelizmente o navio veio cheio de vícios e defeitos que custariam quase 2 bilhões pra consertar. Por esse preço da pra comprar 2 NAe novinhos na China.

  24. 12/01/2018  17:01 by 308 Responder

    Uma pena o NAe São Paulo ir tão cedo para retalho. Pelo que consta o casco encontra-se em boas condições. Uma alternativa interessante seria desativar as linhas de vapor (inclusive da catapulta) e colocar 1 ou 2 reatores. Seria um bom protótipo e ótima oportunidade de aprendizado antes de utilizarmos no SubNuc. Assim teríamos mais um porta-helis.

    • 12/01/2018  17:14 by Andre Responder

      É tão simples assim instalar um ou dois reatores? Ser interessante não quer dizer ser prático. Existe um detalhe chamado custo. Esse custo, que com certeza não seria nada barato, deve ser também um benefício. Ou seja, tem que ser viável! Que garantia a Marinha tem de que essa empreitada é viável e não apenas do ponto de vista financeiro mas técnico e operacional? O submarino nuclear é bem diferente de porta-avião, são parâmetros totalmente diferentes principalmente se levarmos em consideração o restrito espaço de um submarino, por mais nuclear que ele seja.

    • 13/01/2018  11:18 by Noisy Responder

      É facil e barato colocar 2 reatores em um navio? Se o Foch fosse bom, os franceses não teriam vendido a preço de banana, desmontado o clemenceu e construído o Charles de Gaulle

  25. 12/01/2018  16:53 by FERNANDO Responder

    Bom mesmo será quando chegar no Rio de Janeiro.

    Não esquecer de pintar nas cores da MB, trocar a bandeira, verificar todos os banheiros, trazer todas a imprensa especializada para bons LOOKS, e já venha com nova RAZÃO SOCIAL.

    Não esquecer que não pode colocar RIO DE JANEIRO, MINAS GERAIS OU SÃO PAULO.

    Qualquer outro estado, menos estes três ai em cima.

    • 12/01/2018  17:56 by Thiago Responder

      Me desculpe, mas porque esses nomes não podem ser usados?

    • 13/01/2018  7:38 by Gil Responder

      São Paulo e Minas Gerais já foram usados em velhos PAs

      Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul parece que estão reservados para os dois proximos PAs
      venham quando venham.

      • 14/01/2018  14:12 by Thaigo Responder

        Ah sim! Entendi! Obrigado!!

  26. 12/01/2018  16:07 by Manuel Flávio Responder

    Bom, o DAN agradece a MB e a gente agradece ao DAN...

  27. 12/01/2018  13:38 by claudio quadros Responder

    não são Paulo sera vendida para china transforma 3 porta aviões ja teve ate comandante chines visitando são Paulo

    • 12/01/2018  14:05 by Jose carlos fernandes mangabeira Responder

      Não sei porque estão largando o São Paulo,se a MB tem planos de construir um Porta Aviões porquê não modernizam o São Paulo ? Mesmo com problemas ele já é do Brasil , dá bora aproveitar muita coisa não sendo necessário sair do zero, vejam o exemplo da China comprou da Rússia o projeto e o casco do navio.A MB precisa cortar o cordão umbilical com o Rio,a Base NAVAL de ARATU condições iguais ou melhores que o Rio para um grande projeto como A Modernização do São Paulo,se falar na capacitação do pessoal.Como pode ,nos idos 1920 a MB já construiu grandes embarcações,e, hoje não tem?resta o Almirantado deixar a boa vida do Rio de Janeiro....

      • 12/01/2018  14:44 by XO Responder

        Prezado José, o custo-benefício de modernizar o SP já foi considerado insatisfatório... graças a Deus e ao CM, esse navio já era...
        E, desculpe, mas você não deve conhecer a BNA para achar que ela tem condições de fazer algo dessa monta... abraço...

      • 13/01/2018  0:27 by Andre Responder

        José, uma comparação entre China e Brasil está longe de ser esse mero exemplo prático de como se deve retomar um grande navio. Para se ter uma ideia a China opera ssbns e o Brasil é um país que não consegue construir navios patrulha de 500 toneladas! Isso porque o Brasil arrecada trilhões em impostos! Que país consegue levar 14 anos para comissionar uma única corveta além do Brasil José?
        Você fala como se bastasse ir na oficina da esquina reformar um carro. O governo destina só 1,2% do pib para as forças armadas e ainda assim contingenciadas. A maioria desse montante são para custeio.
        É contraproducente continuar colocando parco dinheiro nesse navio sem nem ter a certeza de que ele atenderá o investimento, como foi o caso do Ceará. Navio não é só casco. É muito arriscado investir nele.

    • 12/01/2018  15:16 by J. Neto Responder

      Mas será possível que só eu não entendo este Cláudio Quadros...???

  28. 12/01/2018  12:42 by Cleber Responder

    Segundo informações : O congresso Americano autorizou a venda para a MB dos Phalanx .

  29. 12/01/2018  12:03 by tomcat3.7 Responder

    Muito bom. Se no final negociações incluírem ao menos uns 12 Apaches e umas duas ou três fragatas Type23 será melhor ainda.

    • 12/01/2018  13:14 by XO Responder

      Amigo, não espere nada disso... nessa negociação, virá apenas o Ocean... abraço...

    • 13/01/2018  11:23 by Noisy Responder

      Quem dera , mas é um sonho distante

  30. 12/01/2018  11:34 by gilson Responder

    amigos a verdade seja dita, nada no mundo militar e feito as coxas, tudo é planejado e elaborado com antecedência, assim foi à aquisição ďo porta helicóptero ocean, tudo já estava acordado entre as duas marinhas bem antes de aparecer as notícias. claro que isso leva em conta que as negociações são feitas muitas vezes secretamente e envolvendo oficiais de patentes superiores e isso foi o que aconteceu. eu acho que a marinha do Brasil, fez uma ótima aquisição e digo mais não poderia parar por aí , poderia sim fazer um esforço maior e reforma o porta aviões sãoPaulo, precisamos de uma marinha forte e soberana , porque algo está pra acontecer no mundo , em termos de conflito mundial e quem estiver preparado pode se defender melhor.

    • 12/01/2018  13:02 by Lucas Vieira Responder

      O NAE São Paulo já foi vendido como sucata para um desmanche na Índia onde será completamente desmontado amigo...

      • 12/01/2018  21:23 by JLM Responder

        De onde vc tirou essa informação Lucas?

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.