A necessidade de encontrar novas soluções para financiar a indústria de defesa será o principal foco do II Encontro Internacional sobre Financiamento a Projetos de Defesa. O evento, que tem como tema “Conectando soluções e inovações para o fomento da Base Industrial de Defesa”, é promovido pelo Comando da Aeronáutica e será realizado nos dias 17 e 18 de outubro no auditório 9 do Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo (SP).

“Queremos debater como alavancar a indústria e os produtos da área de defesa, cujas tecnologias têm uso civil e militar. São projetos de longo prazo e não é fácil conseguir financiamento”, afirma o Major-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues, coordenador do evento e Diretor de Economia e Finanças da Aeronáutica (DIREF). O evento é direcionado a empresários, instituições governamentais e entidades acadêmicas.

Responsável por estruturar operações de crédito para aquisições e financiamentos de projetos estratégicos da Força Aérea Brasileira há pelo menos 20 anos, a DIREF propõe fortalecer a interlocução entre os diferentes agentes governamentais e privados na busca de novas soluções para desenvolver projetos. “Entendemos que o offset ou a colaboração entre instituições públicas e privadas são alternativas de financiamento”, complementa o Oficial-General. Os acordos de offset são compensações de natureza industrial, técnica ou tecnológica envolvidas nos contratos de aquisição ou desenvolvimento de produtos ou tecnologias.

Ao facilitar a interlocução entre os agentes que atuam nas áreas de financiamento e exportação, o primeiro encontro, realizado em dezembro de 2016 na capital federal, produziu resultados importantes: o anúncio da abertura de uma linha de crédito para exportação de produtos de defesa por parte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a inclusão do Ministério da Defesa na Câmara de Comércio Exterior (CAMEX).

Programação – Nesta edição, a organização traz representantes de instituições que têm experiência em inovação, no gerenciamento de projetos que envolvem offset e incentivos a startups. Pelo menos 30 palestrantes devem compartilhar experiências adquiridas no Reino Unido, Suécia, Noruega, Portugal e no Brasil durante os dois dias de evento.

Entre os convidados, estão o presidente do Centro de Pesquisa e Tecnologia da Boeing no Brasil, Antoninni Puppin Macedo; o coordenador do curso de offset da Crandfield University. do Reino Unido, Professor Ron Matthew; e o representante da Associação Europeia das Indústrias de Defesa e Aeroespaciais, Jan Pie.

Também serão realizados três painéis para debater o fomento ao crédito às exportações de defesa, como fortalecer as parcerias neste setor e os acordos de compensação nas Forças Armadas brasileiras. Entre os convidados, estão representantes do BNDES, da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência, das Secretarias de Assuntos Internacionais do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão e do Ministério da Fazenda e da Agência de Crédito de Exportação da Suécia.

A abertura do II Encontro Internacional sobre Financiamento a Projetos de Defesa contará com a presença do Ministro da Defesa, Raul Jungmann, e com uma palestra sobre a reestruturação administrativa e operacional da Força Aérea Brasileira, com o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato.

Confira aqui a previsão da programação

Serviço:
II Encontro Internacional sobre Financiamento a Produtos de Defesa
Data: 17 e 18 de outubro.
Local: Auditório 09 do Centro de Convenções do Anhembi – Av. Olavo Fontoura, 1.209 (entrada pela portaria B) – São Paulo-SP
Inscrições pelo email: [email protected]

Fonte: Agência Força Aérea, Ten Jussara Peccini

image_pdfimage_print

 

2 Comments

 

  1. 05/10/2017  16:05 by Wesst Responder

    Fábio , não sei se tens trochas mundo afora igual aqui .
    ninguém vai financiar essas corvetinhas superfaturadas 450 milhões de dolares cada é piada mundo afora.
    depois aparece um juiz e manda suspender a construção e assim segue nosso país como sempre.

    a MB só espera os besta aparecer para meter a mão na grana ,
    cadê o BNDES com os 16 bilhões doados para os irmãos bolivarianos ???
    16 Bi cairia bem na MB , mas nosso país é deixado por ultimo,
    o importante mesmo é o porto de cuba e o metro de caracas entre outros

  2. 04/10/2017  19:55 by fabio Souto. Responder

    Sera que sai o financiamento das corvetas Tamandaré?

Leave a reply

 

Your email address will not be published.