RolloutGripenE_18

NOVA DELI (Reuters) – A Índia está se oferecendo para comprar centenas de aviões de combate dos fabricantes estrangeiros, desde que os jatos sejam feitos na Índia e com um parceiro local, disseram autoridades da Força Aérea.i

Um acordo para 200 aviões monomotores produzidos na Índia – que a Força Aérea diz que pode subir para 300 conforme o país descontinue completamente os envelhecidos aviões soviéticos – pode ser avaliado em algo entre 13 bilhões de dólares e 15 bilhões de dólares, dizem os especialistas, potencialmente um dos maiores negócios no país para aeronaves militares.

Depois que um acordo para comprar aviões Rafale da francesa Dassault foi reduzido para apenas 36 jatos no mês passado, a Força Aérea da Índia está tentando desesperadamente acelerar outras aquisições e conter uma queda na força operacional, agora um terço a menos que o necessário para enfrentar China e Paquistão.

Mas o governo do primeiro-ministro Narendra Modi quer que quaisquer outros aviões militares sejam feitos na Índia, com um parceiro indiano para alavancar a indústria aeronáutica nacional e terminar um vício caro de importações.

F-16D Block50-1-chile

A Lockheed Martin disse que está interessada em montar uma linha de produção para o seu modelo F-16 na Índia não apenas para os militares indianos, mas também para exportação.

A sueca Saab ofereceu uma linha de produção para suas aeronaves Gripen, dando início a uma concorrência para um dos maiores acordos para aviação militar em jogo.

(Por Sanjeev Miglani)

 

16 Comments

 

  1. 02/11/2016  0:25 by Flanker Responder

    Leonardo, você não entendeu o que eu quis dizer, novamente......mas deixa pra lá. O ccolega WSMDAL entendeu o que eu quis dizer .....não estou dizendo que nosso contrato está superfaturado (apesar de não botar a mão no fogo por isso) e sim, que os indianos estão subfaturando o deles, ou querendo muito por pouco.....eles querem pagar, ou planejam pagar, exatamente a metade do valor por unidade do que nós vamos pagar......

  2. 01/11/2016  15:59 by WSMDAL Responder

    Os indianos queriam comprar 126 Rafale no MMRCA por USD12bi a USD15bi. Levaram 3 anos negociando e desistiram.
    Vão comprar 36 Rafale de prateleira por USD 8,6bi.
    Moral da história: uma coisa é o que se quer pagar. Outra coisa é a realidade.

  3. 01/11/2016  7:40 by Leonardo Rodrigues Responder

    Flanker eu estou procurando um camaro por 15 mil reais pois quero comprar quatro. Entende o que quero dizer?
    Apenas comparemos fato com outro fato e não fato com mito. Duvido que nosso contrato esteja fora da realidade. Quanto aos números? Bem sabemos que chegaremos próximo a este número com a descontinuidade dos tigher, dos A1 e dos A4 da marinha. São além dos 12 mirage, 57 F5, 53 A1 e 24? A4 a serem substituidos. Esta é a lógica. Abcs

  4. 31/10/2016  23:53 by romário Responder

    Esse papo de corrupção é para entreter brasileiro tonto. Enquanto discutimos sobre corrupção, integrantes desse governo transferem bacias de petróleo do pré sal, descobertas pela Petrobras, para empresas estrangeiras. São 34 trilhões de dólares só em petróleo sem contabilizar os bilhões em plataformas, sondas e navios.

  5. 31/10/2016  10:05 by Flanker Responder

    Leonardo, se seu comentário se refere ao que eu postei, talvez não saiba que sou um dos maiores defensores da modernização de nossas FFAA com tudo de melhor que for possível....mas discuto aqui apenas os valores preliminare publicados, os quais ao meu ver, são muito díspares na relação valor/unidade entre o nosso e o pleiteado pelos indianos.....se isso é demérito ao que é feito aqui, talvez vc não tenha entendido o que eu quis dizer.

  6. 31/10/2016  10:01 by Flanker Responder

    Bardini, eu entendo perfeitamente as suas ponderações sobre o contraro do Gripen para a FAB e que as unidades iniciais saem mais caras, isso concordo....só que na Índia eles querem mais do que 5 x mais unidades do que o nosso contraro....e querem uma linha de montagem inteira e outras exigências...... e também terão o custo de ToT como nós.....e isso por 3 vezes nosso valor? Mais do que 5 vezes mais aeronaves por 3 vezes o custo?

  7. 31/10/2016  1:10 by Lucas Schmitt Responder

    Pode até não ser os valores oficiais, mas só de imaginar que o preço por unidade é a metade do que o Brasil assinou já me dá até um frio na espinha. Não dá pra engolir um caça de 4++ geração por 150 mil dólares.

  8. 30/10/2016  18:46 by Topol Responder

    Sem falar que contrato com a Índia é igual ovo na galinha... Meciê Hollande que o diga...

  9. 30/10/2016  18:02 by Leonardo Rodrigues Responder

    Por favor, isto não é valor de contrato é estimativa. Parece que há uma necessidade de demérito em qualquer contrato contrato feito pelas FFAA. Na hora dos pontos nos "is" veremos os valores contratados pelos indianos.

  10. 30/10/2016  16:18 by mauricio matos Responder

    Essa crise que o país está passando uns dos motivos são os esquemas de corrupção que se instalou aqui esse pessoal desviou bilhões até as sobras do taxo eles rasparam e deixaram um enorme abacaxi para ser descascado. Os nossos vizinhos Chile, Peru, Colômbia até a Bolivia está com o crescimento de sua economia de 4% ao ano a Grécia que uns anos atrás estava na beira do abismo as coisas lá melhoraram . A índia tem sua economia crescendo 7% ao ano apesar que o povo lá vive em condições piores do que aqui e eles tem a ameaça da China e Paquistão mais isso não pode ser desculpa o grande problema do brasil aqui nada é levado a sério o erro está aqui .

  11. 30/10/2016  15:41 by Topol Responder

    Por outro lado podem ser ver pensos a não concordar com certos aspectos do contrato exigidos pela Índia como por exemplo a transferência irrestrita da tecnologia de integração e o códigos fonte que servirão para os indianos integrarem armamento russo nos seus F-16 e um possível poder de decisão de veto da Índia em futuras comercializações de armas americanas a países com relações instáveis com a Índia como por exemplo Paquistão e Taiwan...

  12. 30/10/2016  15:36 by Topol Responder

    O F-16 Block 70 ofertado pela Lockheed Martin vai ser um páreo duro para o Gripen E... com a drástica redução de pedidos para manter a linha do F-16 o governo americano vai jogar pesado para efetuar essa venda, e eles também tem outros fatores que pesam na negociação e servem de off sets interessantes para a Índia, como por exemplo os reatores navais que a Índia tanto deseja.

  13. 30/10/2016  15:24 by carl Responder

    Entre Gripen e F-16 (ultima geração).
    Se a Índia fechar negocio com os EUA / Lockheed vai controlar o fornecimento de peças do F-16, além de ter em suas mãos um senhor caça testado em vários conflitos e sempre muito elogiado.
    O Gripen não seria uma escolha ruim, mas o F-16 ultima geração é top.

  14. 30/10/2016  14:43 by Bardini Responder

    O contrato do Gripen E não sairia 5 e poucos bilhões sem o novo WAD e o HUD. E se existirem novos contratos por estas bandas, creio que não envolvera muito do preço pago pela ToT. Também não existirá uma fabrica a ser construída. Enfim, creio que será mais barato.

  15. 30/10/2016  11:16 by Flanker Responder

    Claro que são valores preliminares, mas 15 bilhões de dólares por 200 aeronaves? Estamos pagando 5 bilhões por 36 unidades......36 x 3 = 108 caças, logo, 5 bilhões x 3 = 15 bilhões......pelos mesmos 15 bi eles falam no dobro de aeronaves (200).... ou eles são muito bons negociadores e nós não, OU là não tem nenhum pixuleco e aqui é uma corrupção só, OU ainda, uma mistura de todas essas opções......enfim, tem algo de errado là ou aqui......

  16. 30/10/2016  10:03 by hamiltonpe Responder

    impressionante 200!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.