O TRF-2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) concedeu habeas corpus revogando a prisão preventiva do almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, ex-presidente da Eletronuclear.

Considerado um dos mais importantes cientistas nucleares brasileiros e um dos pais do programa nuclear do país, ele foi condenado a mais de 40 anos de prisão na Operação Lava Jato.

Acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e de tentar embaraçar as investigações, ele estava detido há dois anos, numa instalação da Marinha no Rio de Janeiro.

O almirante está passando por um tratamento de câncer de pele. Segundo o advogado Fernando Fernandes, “a soltura é um ato de justiça e humanidade”.

FONTE: Coluna Mônica Bergamo Folha de São Paulo