Este vídeo mostra a fabricação e testes aerodinâmicos do modelo de túnel de vento EMBRAER KC-390 CMS5.

Este modelo é uma atualização do modelo EMBRAER KC-390 CMS4 que foi testado anteriormente. No teste atual, o sistema de reabastecimento em vôo é simulado, bem como testes de carga pára-quedas. Além disso, três investigações de campo de fluxo de velocidade tridimensionais são realizadas com uma partícula Velocimetry Imagem (PIV) técnica de medição.

kc-390

 

 

 

6 Comments

 

  1. 30/03/2014  1:27 by Wolfpack Responder

    Aonde está o expertize da Embraer adquirido no tão propagado projeto AMX? Aonde está o know-how da embraer que necessita recorrer a tunel de vento na Holanda e engenheiros Alemães e Dutches para realizar a tarefa que os cálculos de CFDs já teriam que ter resolvidos? Aonde está os milhões e milhões de dolares investidos através de subsidios do BNDES nesta empresa? Embraer é integradora de soluções da Mitsubishi, Boeing, Kawasaki, G&E, etc. Nada mais que uma montadora. Seu papel é superestimado neste país onde vale mais a retórica do que o savoir faire, onde existe muito amador dando opinião e pouco profissional de verdade sendo ouvido. O inglês sofrível do representante da Embraer diz tudo, amateur.

    • 30/03/2014  18:40 by oséias m.g. Responder

      e a Embraer é uma montadora mesmo, qual o mal nisso? ou algum fabrica de carros ou aviões precisa fabricar os componentes? Vc está simplesmente uns dois séculos atrasado no seu pensamento econômico, acabou a produção vertical, cada empresa faz o trabalho no qual é especialista, existe algo moderno chamado terceirização, caso queira saber.
      a Embraer é valorizada porque projeta e monta aviões em um pais que há pouco tempo não fazia nem teco-teco, porque conquistou em 10 anos com seus jatos comerciais um espaço maior que várias fabricas com mais experiencia mundo afora.
      sobre amador dando opinião, eu concordo, você por exemplo é um amador dando opinião no que não sabe.
      sobre o inglês do representante da Embraer, se ele não nasceu em pais de língua inglesa, não tem a obrigação de ser especialista em inglês, basta que seja compreensível.

      • 30/03/2014  20:34 by Wolfpack Responder

        Oséias, meu pensamento é exclusivamente técnico e não econômico, por sinal está diametralmente oposto a um pensamento econômico. Quanto a Embraer não ser capaz de definir as formas do KC-390, isso é grave e demonstra o estágio atual desta empresa e seu corpo de engenheiros que dependem de um tunel de vento na Holanda e correções de engenheiros Holandeses e Alemães. Nada de errado nisso, em se terceirizar o desenvolvimento desta aeronave, mas o que se vende no Brasil é ufanisticamente repetido por vc em seu comentário. Acreditam em Saci Pererê e na capacidade de vetor tecnológico da Embraer. Nada disso. Esta é mais dependente de fornecedores externos que qualquer indústria automobística. Mesmo um automóvel, a responsabilidade final sobre o desenho de componentes e seu envelope de uso é da montadora e seu corpo de engenharia não de um fornecedor qualquer. O que a Embraer nos mostra é que o desenho está a cargo de terceiros, e isso é grave, pelo menos pelo que vende aqui neste país desta empresa. Revisite seus conceitos e leia, mas leia bastante para não ficar no time dos amadores.

    • 31/03/2014  16:38 by Fred Responder

      Wolfpack, acho que você não tem idéia sobre o que está falando. Desde quando CFD consegue resolver tudo? E onde no vídeo está claro que o desenho do avião foi feito pelos alemães e holandeses? Você entendeu o que eles disseram no vídeo?
      Cara, na boa, se você não sabe nada sobre o trabalho da Embraer, ou sobre Engenharia Aeronáutica, é melhor ficar quieto...

      • 31/03/2014  20:01 by Wolfpack Responder

        Fred, o que vc sabe sobre CFD? E está claro que a equipe de engenheiros alemães e holandeses alteraram o desenho da aeronave. Isso deveria estar sendo feito no Brasil, afinal, a Embraer sempre teve acesso a recursos baratos do BNDES, estes mesmos oriundos dos impostos pagos por todos nós. O que esta gente vem fazendo se necessitam de consultoria externa para desenvolver o KC-390? Aonde está o resultado de tantos anos de investimentos? Eu não gosto de ser enganado e me enganar como a maioria que vê na Embraer a empresa de referência em engenharia no Brasil. Está muito longe disso que vcs imaginam.

        • 01/04/2014  7:51 by Fred Responder

          Wolfpack, eu não estou imaginando nada. Eu sei alguma coisa sobre CFD. Se você sabe, poderia me dizer como o código faz para calcular as equações de Navier-Stokes??? (hihihihi...). Não trabalho com isso, mas os caras que trabalham com isso trabalham a 3-4 mesas daqui, e tomamos cáfé juntos todo dia. Os holandeses só prestam serviço, eles não tem nada a ver com a definição de uma superfície do avião que seja. Aliás, esses holandeses prestam o mesmíssimo serviço para a Airbus, a Dassault, a Bombardier, a Boeing, etc... e todas estas empresas fazem exatamente a mesma coisa que a Embraer faz, todas elas desenvolvem os seus aviões. Os Holandeses não são consultores, são prestadores de serviço.
          Um dado histórico para você: o financiamento do BNDES começou forte no ERJ-145, antes disso não existia. Falo do fim dos anos 90. A Embraer começou a sua história em 1969. E você está certo, foram décadas de investimento do governo, que começou depois da 2a Guerra, com a criação do ITA, do CTA, da infraestrutura para fazer certificação de aeronaves no Brasil. Décadas de investimento em todos os níveis (educação, pesquisa, desenvolvimento de produto, encomendas da FAB, etc), que criaram a terceira maior fabricante de aviões comerciais do mundo. A única empresa que entrou no mercado de aviões executivos de maneira bem sucedida nos últimos 20 anos. Investimento esse que valeu cada centavo, e que deve continuar, pois não se iluda, todo país com indústria aeronáutica fez a mesmíssima coisa (em alguns casos, até mais).
          Você está falando mal de uma das poucas coisas que deram certo neste país nos últimos 40 anos, baseado num vídeo de 5 minutos, cujo assunto representa 2 ou 3% do total de trabalho que dá só para desenvolver um avião desses. Eu tenho orgulho da Embraer, dos profissionais sérios que tocam essa empresa, dos mais de 3 mil engenheiros que trabalham competindo com os melhores do mundo, e vencendo. Se você soubesse de alguma coisa que se passa dentro dessa empresa, teria orgulho também.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.