MH-16 N-3033

Por Guilherme Wiltgen

A Lockheed Martin (LM) e a United Technologies, concretizaram a venda da Sikorsky Aircraft, uma das principais indústrias de fabricação de aeronaves do segmento militar e comercial de asa rotativa do mundo, por US$ 9 bilhões.

Segundo informou Marillyn Hewson, presidente e CEO da Lockheed Martin, a aquisição da Sikorsky é um ajuste natural para a Lockheed Martin e complementa o amplo portfólio de produtos aeroespaciais, de defesa e de tecnologia da empresa, e que esta operação vai ajudará a LM a ampliar os negócios com o crescimento da produção de helicópteros.

S-92_BHS

A aquisição está sujeita às condições habituais, o que inclui as aprovações das agências regulatórias, mas se espera até o final do quarto trimestre deste ano ou no início de primeiro trimestre de 2016 já esteja concluída.

Aqui no Brasil, a Sikorsky tem uma expressiva participação do mercado aeronáutico, atuando na área comercial (Executiva e Offshore) e Governamental, fornecendo os helicópteros da família “Hawk” para as três Forças Armadas (Black Hawk para o EB e FAB e Seahawk para a MB).

H-60L_RappelSAR_DCTA

 

16 Comments

 

  1. 20/07/2015  22:21 by Lucas rezende Responder

    realmente a LM com esses pedidos inicias e os proximos do f-35 tem tudo pra gerar um capital nunca visto na historia da industria militar.O que faz da proxima concorrencia de cacas de 6 geracao uma verdadeira batalha de titas entre boeing e lockheed martin., envolvendo de bilhoes e bilhoes de dolares.....

    • 22/07/2015  10:20 by Gilberto Rezende - Rio Grande/RS Responder

      Enquanto o F-35 não resolver seus GRAVES problemas de projeto (o que nem acho que é mais possível) estes pedidos iniciais são INICIAIS, podem virar fumaça assim que a LM não conseguir mais continuar a fazer os potenciais clientes internacionais ACREDITARAM que os imensos problemas do programa serão superados a TEMPO.

      Todas as cartas da respeitabilidade técnica da LM no momento estão no IOC do US Marines. E o PIOR, justamente na mais fraca das versões do F-35 a variante B (STOVL), a tendência é a pior possível e o tempo está se esgotando do programa JSF....

      • 22/07/2015  12:36 by Dalton Responder

        Depende do que se considera "PIOR" ! O F-35B que será
        utilizado principalmente de bases terrestres, pode, ao contrário
        das outras versões, operar também a partir de grandes navios de assalto
        anfíbio, 6 unidades normalmente serão embarcadas e até 20 em caso
        de necessidade.

        O AV-8B Harrier II é a aeronave mais necessitada de substituição no arsenal
        dos Marines e a retirada será até antecipada em 5 anos, 2025 ao invés de
        2030 como originalmente planejado e o F-35B será um enorme salto em
        capacidade quando comparado ao vetusto AV-8B.

    • 22/07/2015  15:31 by Leonardo Responder

      Gilberto
      F-35 são tão ruins, que Japoneses pediram presa para LM entregar os primeiros F-35 para os japoneses, notícia aqui no DAN.
      E Israel, fez o 3 pedido dos F-35, querem chegar á 75 F-35 até 2025.
      Sds

  2. 20/07/2015  19:29 by Leonardo Responder

    Lockeed Martin está para ser uma das empresas mais ricas da face da Terra. Podendo brigar com Google, essa semana alcançou valor de 700 doláres seus papeis, e também brigar contra Apple e Microsoft.
    Somente F-35 tem pedidos podem chegar mais de 3000 unidades do mesmo. Dinheiro é mato para LM.
    Sds

    • 22/07/2015  10:11 by Gilberto Rezende - Rio Grande/RS Responder

      Estes 3000 pedidos iniciais NUNCA se realizarão pois o F-35 tem sérios problemas e está muito acima do preço inicialmente projetado (como substituto 5ª geração do F-16).
      Os EUA certamente bancarão as suas unidades para ajudar a LM mas o F-35 muito dificilmente chegará perto dos 1500 jatos fornecidos para os aliados, só Israel pretende receber mais F-35 do que o inicialmente oferecido. A maioria dos aliados ou estão desistindo (F-35B), repensando (Canadá) ou diminuindo (quase todos) a quantidade à encomendar de F-35.
      Mais adiante é a Sikorski que pode ser arrastada para baixo quando esta potência da LM tiver que pagar a FATURA de incompetência do projeto F-35....

      • 23/07/2015  20:38 by Leonardo Responder

        Fernando
        Dinamarca participa dos parceiros.
        França não tem projetos para caça 6 geração, pode sim, se tornar um futuro comprador.
        Os outros países como Alemanha, Egito, Arábia Saudita, Suíça, Polonia e Nova Zelândia ainda não mostraram interesse. Mas são possíveis candidatos no futuro, só estão esperando a LM terminar de vender para os parceiros, para que eles possam manifestar interesse.
        India ama fazer salada de frutas, mesmo eles fazendo parte do T-50, não descarta o possível interesse principalmente nos F-35B.
        Sds

        • 23/07/2015  23:12 by Fernando Responder

          Acho improvavel a França comprar o F-35, pois eles nem sequer participaram do projeto, não haveria qualquer ganho para a industria francesa, no dia que eles quiserem um caça de 5 ou 6 geração eles vão projetar seu proprio avião os franceses ja são autosuficientes em motores e sensores a decadas e são um dos poucos países do mundo que podem se gabar de poder projetar um caça inteiramente sozinho.
          Quantos aos demais países, até eles demonstrarem um interrese serio no F-35, pode tirar eles da sua lista.
          E quanto a India, os russos já anunciaram que pretendem ter uma versão naval do T-50, portanto é muito mais provavel que eles optem por um avião que vai ser produzido localmente ao inves de comprar um avião que nao vai trazer nenhum ganho para sua industria.

    • 22/07/2015  15:29 by Leonardo Responder

      Gilberto
      Somente os Estados Unidos tem pedidos que chegam mais de 2500 unidades.
      E países parceiros são 604 unidades.
      Fonte: Wikipedia-F35 em inglês.
      Depois que LM terminar de carregar os americanos e parceiros, tem India, Árábia Saudita, Egito, Espanha, Suíça, Finlândia, Dinamarca, França, Alemanha, Polônia, Cinpagura, Nova Zelândia, na fila de espera.
      Sds

      • 23/07/2015  10:22 by Fernando Responder

        Leonardo
        Mais uma vez você apresenta a sua listinha de potenciais compradores do JSF, onde mais parece que você apontou um monte de nomes aleatoriamente, se você realmente tivesse pesquisado pra valer sobre o F-35 saberia que a Dinamarca não e éapenas um simples potencial comprador, e sim um dos parceiros no desenvolvimento do F-35, dos países que você citou somente Cingapura(que já mostrou interesse no F-35) e Espanha( que terá que substituir os seus Harrier) são candidatos sérios a comprar o F-35; Arabia Saudita, Egito, Suiça, Finlandia, Alemanha, Polonia e Nova Zelandia até agora não mostraram qualquer sinal de estarem interessados no F-35; França dificelmente compraria um caça em que eles nem sequer participaram do desenvolvimento e a India tem o FGFA seria idiotice eles comprarem outro avião.

  3. 20/07/2015  19:24 by Topol Responder

    Todo o potencial da Sikorski agora a serviço da Lockheed Martin... novos super helicópteros logo surgirão dessa união de gigantes.

    • 22/07/2015  10:03 by Gilberto Rezende - Rio Grande/RS Responder

      Todo o potencial de sofisticar e encarecer o produto da LM (F-35) a serviço dos helicópteros Sikorski... É mesmo vai ser uma marravilha...

  4. 20/07/2015  18:52 by RomauBR Responder

    Rapaziada aqui está com complexo de mãe diná?? Que isso, a LM adquiriu uma empresa que faltava pro seu já variado mix de produtos e começam de mimimi?? Por acaso o listradinho acha que dinheiro agora é lenha?? Talvez seja pro "nossos queridos" governantes, mas não pra empresa líder no segmento de engenhos aeronáuticos no mundo.

    E se a LM investir seus conhecimentos na Sikosrky, como, aliás, deve fazê-lo, a concorrência que aperte os cintos. É claro, de bobo eles não tem nada, portanto os contratos devem ser minuciosamente estudados pra que não ocorra o transtorno que foi/é o cost plus suportado pelos contribuintes estadunidenses junto ao programa do F-35.

    • 20/07/2015  22:30 by teropode Responder

      Normal , nada que acontece no Norte deve ser considerado positivo , faz parte da cartilha ! A Boeing ja possui este seguimento , mas estao relegando-o ao esquecimento , o Osprey deve ser o ultimo produto da Vertol !

  5. 20/07/2015  15:16 by Gilberto Rezende - Rio Grande/RS Responder

    Péssimo para a Sikorski e ótimo para a Lockheed Martin...

    Os helis virarão um rodapé na LM... O foco não será mais na Sikorski...

  6. 20/07/2015  14:37 by Gabriel Responder

    A LM está lucrando alto com o abacaxi voador(F-35), estão até querendo virar oligopolio!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.