Ucrânia

clippingNove soldados ucranianos foram mortos e 26 ficaram feridos em confrontos com separatistas no leste da Ucrânia nas últimas 24 horas, disse um porta-voz militar ucraniano nesta segunda-feira.

O porta-voz, Vyacheslav Seleznyov, disse que as forças do governo foram atacadas pelos rebeldes em cerca de 100 ocasiões separadas.

A violência se intensificou no último mês na Ucrânia, à medida que os rebeldes empreendem uma nova ofensiva.

Os militares da Ucrânia dizem que os confrontos têm sido especialmente intensos em torno da cidade de Debaltseve, uma importante junção rodoviária e ferroviária a nordeste da cidade de Donetsk.

O chefe regional de polícia, Vyacheslav Abroskin, disse que sete civis foram mortos por bombardeios em Debaltseve e em outra cidade na linha de frente, Avdiivka, no domingo.

FONTE: Reuters por Pavel Polityuk (Kiev) e Aleksandar Vasovic (Donetsk).
FOTO: AP

 

13 Comments

 

  1. 09/02/2015  19:52 by Oplita Responder

    Jamais a Rússia deixará a OTAN às portas da sua fronteira. Por outro lado, nenhum país europeu ou mesmo os EUA, estão dispostos a se meterem diretamente (com soldados etc..) nesse lamaçal ético e histórico. Talvez a única saída seja a do rei Salomão: dividir a criança em duas, cada um com sua parte... O Russos já pegaram a fatia deles!!!

  2. 09/02/2015  16:43 by Popaey Responder

    Amigo Daltoni, a Rússia(URSS) a epoca, combateu no Afeganistão TODAS as tribos, enquanto os nossos profissionais norte americanos apenas uma(talibã) não é isso? Pois é e além disso os EUA ainda foram e estao sendo ajudados por Grã Bretanha, Espanha, Austrália, Alemanha, etc..etc.. UFA!! E mesmo assim batem todos os records de perdas, como pode isso? Se ainda não o convenci,é só reparar na rapidez que invadiram Honduras, por que então não fizeram o mesmo quando a Rússia anexou a Criméia?? Escutou-se muitos latidos, mas uma pronta ação jamais. Amigo, na Rússia, Rambo não tem vez, eles como nós, são ruins de aturar na hora da verdade. O Brasil tinha que investir mais na industria cinematográfica, só assim seríamos mais respeitados, ate por alguns compatriotas rsssss. Avante Brasil!!!!

    • 09/02/2015  17:49 by bianca nogueira Responder

      gostei do que disse e muito cinema o exercito americano e pouca eficiencia nos fatos dizer que ganhou a guerra no que e ter absoluta certeza que nada vai acontecer como milicias lutando contra tropas invasoras e todo o resto mais eles invadem deixam a maior zona no pais ocupado e se mandam

    • 09/02/2015  18:44 by Fred Responder

      Popaey,
      acrescente-se que na época da ocupação sovietica no Afeganistão, não havia drones e os russos não lutaram somente contras as tribos afegãs, más também contra o apoio em armas (muitos mísseis Stinger inclusive), inteligência, localização de alvos e organização, fornecidos por Washington.

      Já no caso da invasão da OTAN no Afeganistão, os talebãs não receberam este tipo de apoio de nenhuma potência, os russos "deixaram quieto" e não interfiriram, o que facilita muitissimo...

      Na época da invasão soviética, Washington tratava os talebãs como "Afghan freedom fighters".Esta foto antológica diz tudo:

      Ronald Reagan, presidente dos EUA, no recinto da Casa Branca, ano de 1985, em reunião com talebãs:

      http://i.imgur.com/UvYSHGs.jpg

      FOTO-LEGENDA _"The tragedy of Afghanistan continues as the valiant and courageous Afghan freedom fighters persevere in standing up against the brutal power of invasion and occupation. The Afghan people are struggling to reclaim their freedom. These gentlemen are the moral equivalents of America’s founding fathers". Ronald Reagan, USA president.

      E a suprema classificação presidencial: "Estes cavalheiros (os talebãs) são o equivalente moral dos pais fundadores da América".

      Más há uma similaridade importante nas duas invasões, soviética e estadunidense: Em ambas, a resistência afegã vence pelo cansaço, por sinal, a mais legítima forma de resistência...Eles se curvam , más não quebram! E quando o invasor esgotou seus recursos e vai embora, retomam o poder...Isto é resultado de uma cultura de mente espírito fortes, que não se deixa assimilar por culturas e poderes estrangeiros.

    • 09/02/2015  21:01 by daltonl Responder

      Popaey...

      o que sei é que durante a invasão do Afeganistão pelos soviéticos
      o número de mortes entre civis e também o número de afegãos
      que abandonaram o país, os refugiados de guerra, foi muito maior
      do que agora.

      A abordagem americana é diferente, eles buscam ao máximo, evitar
      baixas entre civis e mesmo buscam uma melhor integração futura,
      já que "amigos" jamais serão.

      É preciso levar em conta também o Paquistão entre outras coisas,
      portanto não é uma questão de ineficiência dos militares dos EUA,
      sem falar toda a logística envolvida outra capacidade que os EUA
      são imbatíveis.

      Há muito exagero quanto à capacidade das forças armadas russas,
      mas, dificilmente veremos EUA e Rússia um contra o outro de qualquer
      maneira, muito menos por conta da Criméia ou Ucrânia que não faz parte
      da OTAN e provavelmente nunca fará.

      Uma vez os soviéticos tentaram bloquear Berlin Ocidental...e a resposta dos
      EUA veio rapidamente, então, subestimar os EUA como fez o Japão Imperial
      e a Alemanha Nazista pode não ser o melhor caminho.

      Quanto ao "Rambo" lembro de ter assistido uma fita VHS russa de
      uma versão russa do Rambo...não entendi nada pois não tinha legenda
      em inglês, mas, foi divertido ver os malvados yankees serem exterminados
      mas ainda prefiro o Rambo !

      abraços

  3. 09/02/2015  11:49 by daltonl Responder

    Primeiramente o exército russo é formado em grande parte por conscritos
    enquanto o exército dos EUA é formado por profissionais o que é uma
    grande e significativa diferença.

    O exército dos EUA é o mais experiente hoje em dia e baixas por "milícias civis"
    não são exclusivos deles é só ver o que houve com a URSS no Afeganistão
    nos anos 80.

    As Forças Armadas russas na verdade estão indo na direção da profissionalização
    que há no ocidente, principalmente no que concerne à sargentos sempre muito
    negligenciados,e se as forças armadas russas voltarão a ser algo similar ao que
    foram nos bons tempos da URSS é algo ainda para ser visto, por enquanto são
    mais dependentes de armas atômicas do que são os EUA.

    Claro que o exército russo conta com unidades profissionais como o Spetsnaz,
    mas, a maior parte do exército russo é pobremente treinado e há inúmeras fontes
    abertas na internet sobre os problemas enfrentados mesmo de jovens recusando-se
    a servir e muitas unidades existindo apenas no papel onde falta de tudo.

    Por último, os EUA não estão treinando soldados ucranianos e mesmo há dúvidas
    se um dia a Ucrânia poderá vir a ser parte da OTAN por exemplo.

    • 09/02/2015  14:00 by Paulo Moraes Responder

      Os países europeus não quererem uma guerra no Continente. É um problema por estarem no inverno e precisarem do gás russo. Também há o fato da crise econômica no continente e a conta de um conflito.
      A Ucrânia não tem dinheiro para mais nada e precisaria de um resgate econômico para treinamento de tropa e tornar seus equipamentos menos obsoletos, gastos que a Europa já tem dor de cabeça com a Grécia. Como vão justificar com os outros países um gasto extra como este?
      No fundo no fundo, os europeus acham que o conflito Ucrânia e Rússia é briga de parentes, na qual tem séria dúvidas até aonde devem se envolver.
      Nem russos e nem estadunidenses vão para guerra total e vão usar seus marionetes neste conflitos. A Ucrânia terá de tomar, no mínimo, uma posição neutra, e de não alinhamento com a OTAN, ou não terá paz, isto é certo.

    • 09/02/2015  17:15 by Mauricio Responder

      A questão é justamente essa: profissionalizar combatentes com fluência no idioma ucraniano!. Veja esse link do Facebook: https://www.facebook.com/pages/Ukrainian-American-Society-of-Texas/300491927859?fref=ts
      Career opportunities for Ukrainia speakers in United States Army (all US Army recruiting centers in US are looking for Ukrainian speakers).

    • 09/02/2015  17:26 by Mauricio Responder

      Outro link do Facebook a respeito de recrutamento de "profissionais" fluentes no idioma ucraniano:
      https://www.facebook.com/UCCA.org/posts/10205657938265552

  4. 09/02/2015  11:07 by Mauricio Responder

    A situação está crítica no sudeste ucraniano, e creio que ficará ainda pior. Os E.U.A. além de prometerem auxiliar Kiev com armamentos letais também começaram a veicular anúncios dizendo que esta a recrutar imigrantes com fluência no idioma ucraniano. A Rússia consequentemente irá enviar mais auxilio aos separatistas de Donbass e Lugansk.

  5. 09/02/2015  11:00 by filipe Responder

    Infelizmente a historia já demonstrou que todos os exércitos que tentaram invadir a russia não tiveram sucesso, essa tentativa da NATO entrar e se estabelecer na ucrânia para uma futura invasão a Russia, também não terá sucesso. Os povos russos e ucranianos são geneticamente iguais, foram os ucranianos quem fundaram a russia, ou seja foram os habitantes de kiev que fundaram muscovo, ou seja eles são irmão mesmo, não será o ocidente quem vai separar esses povos, o ocidente não ganha nada com esse conflito, o único objectivo é destruir a Russia.

    • 09/02/2015  13:49 by Lucio Satiro Responder

      Quem decide isso são os ucranianos, meu amigo e a juventude ucraniana, já escalkdada pelas conversas e relatos terríveis do que os ucranianos passaram nas mãos dos ditadores soviéticos especialmente de Stalin,que ordenou o Holodomor onde pereceram de fome entre 7 a 10 milhões de ucranianos em apenas 1 ANO. Por isso a juventude sabe que o socialismo no discurso é lindo (e propaganda pra enganar trouxa) mas na prática é um lixo de opressão. Se fossem os Estados Unidos invadindo aí um bando de idiota útil criticando, mas como são os russos..bem, ontem foi o Afeganistão, a Chechênia, a Ossétia do Sul, hoje é a Ucrânia etc.

  6. 09/02/2015  10:49 by Popaey Responder

    Estes soldados Ucranianos estão sendo treinados pelo exército norte americano? Se não foram ou não estão parecem ter sido, como perdem "guerreiros" contra milícias civis, imaginem entao se fosse contra o exército oficial Russo , como alguns teimam em afirmar, meu Deus!! Acho que deveriam arrumar um jeito de levar estes separatistas do Leste da Ucrânia para combater o EI, pois teriam melhor sucesso do que as forças aéreas que por lá combatem.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.