Georgetown 09/02/2018 – Em missão oficial à região norte da América do Sul, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, acompanhado dos ministros da Justiça, Torquato Jardim, e do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, estabeleceu acordos de cooperação com a Guiana para combate aos crimes transnacionais.



Os compromissos abrangem parcerias no enfrentamento aos crimes de tráfico de drogas, de armas, pessoas, contrabando e descaminho.

Este encontro é a continuidade de uma série de reuniões bilaterais realizadas com todos os países da América do Sul, com exceção da Venezuela, cujo ministro da Defesa não respondeu a um convite feito há mais de dois meses por seu contraparte brasileiro.

Na oportunidade pautas como crimes cibernéticos, terrorismo, capacitação militar, troca de informações, atuação conjunta nas fronteiras e parceria nos sistemas de vigilância e monitoramento Sisfron e Sivam foram discutidas.
Indagado sobre o contencioso entre a Venezuela e a Guiana, na questão de Essequibo, objeto de disputa entre os dois países, o ministro Raul Jungmann declarou: “O dissenso do Essequibo diz respeito à Venezuela e à Guiana, mas o Brasil, que possui uma das maiores fronteiras do mundo, construiu seus limites sempre por vias diplomáticas, ou recorrendo ao arbitramento, deixa sua história como um legado de que a solução pacífica para os litígios de fronteiras é fundamental para a estabilidade da região”.

Jungmann acrescentou: “Não se pode admitir, portanto, para o equilíbrio da região, qualquer saída pela força. O Brasil não aceita essa possibilidade e isso vale não só para esse dissenso, como para qualquer outro, pois esse é um princípio constitucional de nosso País”, disse o ministro.

FONTE e FOTO: MD



image_pdfimage_print

 

9 Comments

 

  1. 12/02/2018  14:39 by ebs75 Responder

    ..."O Brasil não tem inimigos, é cheio de amigos e bem quisto de todos, somos um povo paz e amor, amamos samba e futebol".... Vamos parar de criancice e crescer ! Passou demais da hora do Brasil virar adulto e assumir responsabilidades como tal e entre outras coisas, melhor se equipar militarmente é uma delas pois o ladrão não avisa a hora que virá...É até um dizer bíblico... Se liga Brasil. Apesar de termos um exercito muito maior e bastante capacitado tecnicamente, mas num mano a mano com a Venezuela muito provavelmente sofreríamos muito dado a questão equipamentos/armas. O Brasil "poderosão" teria que contar com a ajuda da Colombia e dos Gringos pra botar o Maduro no seu lugar. O mundo está mudando rapidamente e a grande maioria permanece alienada a pensamentos .... e yuppies.... Não precisamos adotar uma politica imperialista, armamentista... mas pelo menos termos condições de impor respeito e numa eventual necessidade botar "vagabundo" pra correr sem ter que pedir ajuda.

    MODERAÇÃO: EBS, favor evitar o uso de palavrões nos comentários futuros. Grato!

    • 13/02/2018  8:45 by Andre Responder

      Essa propaganda de que o Brasil não tem inimigos sempre achei ridícula! A pessoa tem que ser muito inocente para acreditar nisso.

  2. 11/02/2018  13:49 by mauricio matos Responder

    Não adianta sermos potência economicamente temos que ser no campo militar isto estamos longe de ser até para separar um eventual conflito nossas forças tem que ser bem equipadas aqui ficamos em cima do muro está na hora de assumir nosso papel de destaque perante nossos vizinhos.

  3. 11/02/2018  7:56 by stadeu Responder

    Tem que deixar uma postura agressiva/defensiva do Brasil para com o caso Guiana X Venezuela, esse tal de Maduro é capaz de pegar pesado com a Guiana e se nós não tomarmos à frente junto com a Colômbia e outros, o que vai acontecer é que os EUA virão aqui fazer o nosso dever de casa.

  4. 10/02/2018  18:57 by Daniel Azara Responder

    É necessário que o Brasil assuma posição de potência, a Venezuela e a Bolívia são narcoditaduras, ou seja, temos que tratá-los como devem ser tratados.

  5. 10/02/2018  15:35 by César Pereira Responder

    Não há nada ruim que não possa piorar ! Já tem um bom tempo que alguns jornalistas,especialistas e demais pessoas da grande mídia estão tentando ARRANJAR um contencioso entre BRASIL e Venezuela,essas pessoas são irresponsáveis e ficam por ai divulgando mentiras e pondo lenha na fugueira,disseminando o ódio ! Esse papo de que a Venezuela ira invadir a Guiana não passa de balela,coisa de gente sem oque fazer !

    • 10/02/2018  15:56 by Teropode Responder

      Certamente uma balela alimentada pelo boquirroto bolivariano!

  6. 10/02/2018  15:21 by Andre Responder

    Os termos do Ministro são autos, então precisa de poderio de respeito em troca se não essas palavras não passam de retórica. Opinei e vi no you tube vários brasileiros defendendo o regime do ditador venezuelano sobre a legitimidade do território a ser anexado. Se é justo para a Venezuela, que busque seu objetivo de forma justa e de reconhecimento internacional de seu direito, o problema é que isso é um contra-censo vindo de um ditador. Se for á força o bicho pega. Mas é claro que ele quer as reservas de petróleo que se encontram na Guiana, tem que ser muito cego para não perceber isso.
    Claro também que se ele entrar nessa aventura seria o mesmo que estivesse chamando o Trump e a Teresa May para a festa. Curiosamente, na última guerra no continente era justamente uma mulher que estava no comando do Reino Unido. Não se sabe a veracidade dessas informações da crise, então não nos preocupemos sem necessidade.

  7. 10/02/2018  15:06 by Tomcat3.7 Responder

    Esse tem bago roxo.RS Já passou da hora do Brasil se impor como líder regional na AL.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.