Por George Allison

O HMS Albion (L 14), foi desafiado por uma fragata chinesa e dois helicópteros durante exercício de navegação livre. Entende-se que a China despachou a fragata e dois helicópteros para desafiar o HMS Albion enquanto navegava em área disputada.



A imprensa local informou que os dois lados permaneceram calmos durante o encontro e que o navio de assalto anfíbio da Royal Navy – Marinha Real, continuou seu curso apesar dos protestos da China. O HMS Albion estava conduzindo um exercício de manobra de navegação, segundo a Reuters, citando duas pessoas familiarizadas com o assunto. O navio estava a caminho da cidade de Ho Chi Minh, onde atracou na segunda-feira após um desdobramento no Japão e no entorno do país.

A cadeia de ilhas Paracel também é reivindicada pelo Vietnã, que em maio pediu à China que acabasse com as operações de bombardeiros na área, chamando-a de violação de sua própria soberania. Um porta-voz da Marinha Real disse: “O HMS Albion exerceu seus direitos de liberdade de navegação em total conformidade com as leis e normas internacionais”.

O Ministério das Relações Exteriores da China afirmou em comunicado enviado à Reuters: “A ação foi relevante, e infringiu a soberania da China. A China se opõe fortemente a isso e apresentou representações severas com o lado britânico para expressar forte insatisfação. A China exorta veementemente a parte britânica a interromper imediatamente tais ações provocativas, para evitar prejudicar o quadro mais amplo das relações bilaterais e da paz e estabilidade regionais. A China continuará a tomar todas as medidas necessárias para defender sua soberania e segurança ”.

O Albion é um dos três navios de guerra britânicos enviados para a região para mostrar que o Reino Unido não reconhece a área muito disputadas pela China. O secretário de Defesa, Gavin Williamson, havia dito anteriormente que os navios de guerra descreverão a importância “crítica” de defender a liberdade de navegação na região durante um discurso em Cingapura.

“A razão pela qual eles estão aqui e a razão pela qual estamos visitando, é enviar o mais forte dos sinais”, disse ele, dirigindo-se aos marinheiros da Marinha Real. Acreditamos que os países devem seguir as regras. Isso é ainda mais importante em um momento em que as nuvens de tempestade estão se acumulando e os temores regionais estão aumentando, quando mais nações têm armas nucleares e químicas, sem mencionar a violação do acesso, liberdades e segurança regionais.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN

FONTE: UKDJ


 

9 Comments

 

  1. 10/09/2018  15:44 by Marcos Campos Responder

    Brasil não tem marinha de águas azuis.
    Brasil não tem condição de defender seus navios mercantes fora de nossa costa.
    Brasil nem tem como defender nossa costa. kkkkkkk

  2. 09/09/2018  17:00 by José Carlos Responder

    As tensões no mar da china oscilam mais aumenta as escaramuças entre as grandes potências militares e em caso de um eventual conflito armado a situação do Brasil vai fica como?
    Todos os cenários devem ser premeditados e devemos sempre esta preparados porém não é o que vemos como a Marinha do Brasil a força mais importante da defesa sucateada e esquecida.

  3. 09/09/2018  3:04 by Topol Responder

    É o jeito vai ser fechar com a Royal Navy e adquirir tudo que ele forem descartando... principalmente as Type 23

  4. 08/09/2018  11:59 by EricWolff Responder

    Cuidado para não danificar o nosso futuro NDD!

    • 08/09/2018  12:37 by Claudio Luiz Responder

      :) :) :)

    • 08/09/2018  15:51 by Frederico Boumann Responder

      Pois é!! Primeira coisa que eu pensei, cuidado para não quebrar, nem fazer mossa!!

    • 08/09/2018  18:16 by Andre Responder

      Esse ainda demorar para dar baixa.

      • 10/09/2018  17:19 by EBS75 Responder

        Vai saber.... o Atlantico / Ocean também não havia previsão de baixa tão cedo, rssss

      • 10/09/2018  17:22 by EricWolff Responder

        É mas quem veio agora de Plymouth não me disse isso não ... Sei de nada!kkkk

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.