NDM-Bahia-24

Adquirido da França pela Marinha do Brasil no final do ano passado, o Navio Doca Multipropósito (NDM) Bahia (G 40) iniciou, na tarde do dia 21, sua jornada com destino ao Brasil. A primeira cidade brasileira a receber o navio será Salvador (BA), onde ocorrerá uma cerimônia de apresentação oficial do NDM.

Após meses de intensas atividades na França, entre recebimento, manutenções, provas de mar e adestramentos, o NDM Bahia faz a travessia do Oceano Atlântico, trazendo em sua doca embarcações de Desembarque de Carga Geral e de Desembarque de Veículos e Material.

A comissão entre os continentes dará à tripulação a oportunidade de realizar novos adestramentos com o navio em operação, o que resultará em maior aprestamento e prontidão.

O NDM Bahia foi incorporado à Esquadra brasileira no dia 10 de março, em Toulon, na França. A cerimônia foi presidida pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante de Esquadra Airton Teixeira Pinho Filho, e contou com a presença do Embaixador do Brasil em Paris, Paulo Cesar de Oliveira Campos, dentre outras autoridades.

 

3 Comments

 

  1. 23/03/2016  10:24 by I Andre I Responder

    Nas fotos de popa se nota a presença de 2 conteineres. Seriam sobressalentes?

  2. 23/03/2016  9:39 by Carl Responder

    Não é o Mistral, mas foi uma ótima compra.

  3. 23/03/2016  3:19 by Airacobra Responder

    Por mais que falem do Bahia, o mesmo foi uma ótima aquisição para a MB e será um grande passo para e evolução para as operações do Esquadrão de Apoio, pois facilitará em muita coisa a operação tal qual era no Ceará e no Rio de Janeiro, capacidade de operação aérea é muito superior, propulsão é diesel, tem armamento antiaéreo que o capacita a alguma capacidade de sobrevivencia a ataques aereos, habitabilidade bem melhor (quem ja serviu em um classe thomastom sabe do que to falando), possui centro cirurgico e enfermaria com mais de 40 leitos (não tem nem como comparar a enfermaria dos velhos NDDs à dele), um ótimo guindaste e essa rampa lateral é tão maravilhosa que me fez lembrar o quanto sofremos na operação pampa para embarcar no Ceará algumas dezenas de caminhões e jipes do EB com aquele guindaste lento, sorte que no desembarque em são chico houve apoio dos guindastes dos porto, lembro o quanto conversamos sobre o quanto uma rampa ro-ro facilitaria nossa vida, enquanto sofriamos embarcando os veiculos com aquele guindaste da decada de 50, que ja era lento, e que ficava mais lento ainda quando precisavamos dobrar a carga atraves de manobras com o cabo de aço e as roldanas do guindaste.
    Seja bem vindo NDM Bahia.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.